Escola Politécnica da USP

usp.br

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Início Comunicação Notícias Pós em Engenharia Metalúrgica e de Materiais da Poli-USP é avaliada com nota máxima

Pós em Engenharia Metalúrgica e de Materiais da Poli-USP é avaliada com nota máxima

CAPES concedeu nota 7 ao programa em avaliação de quadriênio (2013 a 2016) divulgada esta semana

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), fundação do Ministério da Educação (MEC) que realiza a avaliação dos programas de pós-graduação brasileiros, concedeu nota máxima ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia Metalúrgica e de Materiais da Escola Politécnica da USP na última avaliação do quadriênio de 2013 a 2016, divulgada no dia 19 de setembro. A Avaliação do Sistema Nacional de Pós-Graduação foi estabelecida a partir de 1998, é realizada com a participação da comunidade acadêmico-científica por meio de consultores, e tem como principal objetivo assegurar e manter a qualidade dos cursos de Mestrado e Doutorado no país.

O coordenador do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Metalúrgica e de Materiais, professor André Paulo Tschiptschin, explica que os cursos de pós-graduação são avaliados pela CAPES com conceitos que variam de 3 a 7 e que levam em consideração a produção científica do corpo docente e discente, a estrutura curricular do curso, a infraestrutura de pesquisa da instituição, dentre outros fatores. “Nos parâmetros da CAPES, a nota 5 é atribuída a cursos de excelência em nível nacional e as notas 6 e 7 correspondem a cursos de qualidade internacional”. O docente explica que a nota é um reconhecimento do esforço de internacionalização das atividades de pesquisa do programa, que tem parceria com grupos de pesquisa no exterior, e ressalta a importância da interação com grupos de excelência de outros países, com alto grau de desenvolvimento e cultura de inovação, bem como laboratórios equipados com tecnologia de ponta. “Interagir com eles é algo muito importante para os nossos pesquisadores, que passam a conhecer e compartilhar desta vivência”.

Entre estas cooperações se destacam os acordos com a School of Metallurgy da University of Birmingham (Reino Unido), com a University of California in Davis (Estados Unidos), com as Universidades de Lyon e Grenoble (França), e com a Universidad Nacional de Colombia (Bogotá e Medellin). Além disso, professores e alunos do programa organizaram Congressos Internacionais neste período, como o Interrnational Conference on Magnetism and Magnetic Materials, em 2016, e o 1st Latin American TMS Meeting em 2015.

Entre os fatores de destaque do programa, a coordenação aponta a expressiva produção bibliográfica com relação ao número de docentes e titulações, a alta formação de doutores por docente, e a alta captação de recursos, expressa em projetos de grande porte.

Sobre o programa – Iniciado em 1970, o programa já formou 440 mestres e 224 doutores. Possui 13 professores pertencentes ao núcleo, seis pesquisadores nível 1 e sete pesquisadores nível 2, e quatro professores colaboradores. Forma, em média, 28 mestres e doutores por ano. O coordenador também destaca o elevado número de pós-docs, e a alta integração com a graduação, com bolsistas de iniciação científica.

No quadriênio avaliado pela CAPES, de 2013 a 2016, o programa desenvolveu 26 projetos de pesquisa, 18 deles apoiados por órgãos de fomento com a FINEP, FAPESP, CNPQ, MCT e outros. Oito deles receberam apoio de empresas como a Vale do Rio Doce - Cátedra Vale, Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), Alpargatas e Petrobras. O valor de todos os projetos no quadriênio superam a marca de R$ 29 milhões, e deste total, R$ 22 milhões se concentram em sete projetos de valor superior a R$ 1 milhão.

Os principais temas abordados nas pesquisas estão:

Tribologia e Engenharia de Superfícies ( NAP-TRIBES), que trata da redução de atrito e desgaste em motores de combustão interna

Aços avançados de alta resistência para indústria de mobilidade, para diminuição do consumo de combustível e de emissões poluentes

Nanocompósitos de matriz polimérica contendo cargas de reforço biodegradáveis, para redução de poluentes ambientais

Redução de perdas elétricas e magnéticas em aços elétricos, para aumentar a eficiência de motores elétricos, com aplicação na indústria de mobilidade

Materiais cerâmicos nanoestruturados com propriedades físicas

Polímeros condutores

O site do programa de pós-graduação pode ser acessado no link. http://www.pmt.usp.br/pos-graduacao/