Escola Politécnica da USP

usp.br

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Início Comunicação Notícias Arquivo de notícias Como fazer um forno solar de baixo custo?

Como fazer um forno solar de baixo custo?

Professor da Universidade de Algarve, de Portugal, mostrará na Poli como construir um forno que usa a radiação solar como fonte de energia

Usando superfícies espelhadas que possam refletir os raios do Sol, caixa de papelão, placas de madeira e outros materiais, é possível construir um forno solar de baixo custo, uma opção para quem mora em regiões nas quais o fornecimento de energia é difícil, e até para quem quer ter uma cozinha “ecológica” no quintal de sua casa nas cidades. Para mostrar como construir esse forno, a Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) e a Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento (Abrava) promovem no dia 21 de setembro, no campus da universidade, em São Paulo, o “Encontro de Cozinha Solar à Brava”.

O professor Celestino Rodrigues Ruivo, do Instituto Superior de Engenharia da Universidade de Algarve, de Portugal, está vindo ao Brasil para participar do evento e fará uma palestra sobre as potencialidades da cozinha solar. Ele também mostrará como construir a cozinha solar de baixo custo. Se o tempo estiver ensolarado, o forno montado no Encontro será usado para cozinhar um bolo, de modo a ser feita uma demonstração prática do seu funcionamento. “Esperamos que essa iniciativa seja um pontapé inicial para que a Poli comece a desenvolver projetos nessa linha”, destaca o professor Alberto Hernandez Neto, do Departamento de Engenharia Mecânica da Poli, que está à frente da organização do Encontro.

A cozinha solar já é conhecida há muitas décadas, mas ainda é utilizada por um número reduzido de pessoas. “Temos uma empresa paulista que produz forno solar, mas nossa ideia com o Encontro é mostrar uma tecnologia de baixo custo, que pode ser usada de forma complementar ao forno convencional, e que está alinhada à necessidade”, explica Hernandez.

No forno solar “caseiro”, é possível preparar bolos e outros alimentos. “Mas não é uma tecnologia que substitui o forno, ela atua de forma complementar. Primeiro porque seu funcionamento depende de termos a radiação solar adequada, o que não acontece em dias nublados e chuvosos, e depois porque o tempo de preparo no forno solar é um pouco maior do que o do forno. Contudo, é importante lembrar que há fornos solares com potência elevada, que conseguem cozinhar a comida tão rapidamente como nos processos de cocção a gás ou com eletricidade”, comenta.

“A tecnologia é pouco difundida, mas pode ser uma alternativa complementar interessante e sustentável para regiões mais remotas, como aquelas que usam diesel para ter energia, a exemplo do que ocorre no interior do Brasil, ou para quem não tem acesso à rede elétrica”, conclui.

A participação no Encontro é gratuita, é preciso fazer inscrição prévia até o dia 14 de setembro. O formulário e mais informações sobre o evento estão disponíveis no endereço http://sites.poli.usp.br/org/informativos/agosto2015/24-ECOSOL21Set2015.pdf.

*****************************

 

Atendimento à imprensa:

Acadêmica Agência de Comunicação – www.academica.jor.br

Erika Coradin – Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. "> Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Tels. (11) 5081-5237 / (11) 5549-1863