Escola Politécnica da USP

usp.br

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Início Comunicação Notícias Arquivo de notícias Projetos de iniciação científica são avaliados no 23º SIICUSP na Poli-USP

Projetos de iniciação científica são avaliados no 23º SIICUSP na Poli-USP

As apresentações se encerram nesta sexta-feira (18/09), com projetos da área Civil e Ambiental

Terminam nesta sexta-feira (18/09) as apresentações dos alunos da área de Engenharia inscritos na primeira fase do 23º Simpósio Internacional de Iniciação Científica da USP (SIICUSP), que está sendo realizado nas dependências da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli/USP). Até o final do evento terão sido apresentados 228 trabalhos de pesquisa de alunos da graduação da Poli e de outras instituições de ensino de Engenharia externas à USP. Cada trabalho receberá análise de três avaliadores, desde metodologia e conteúdo até forma de apresentação.

“A iniciação científica complementa a formação acadêmica dos alunos. Eles aprendem a resolver problemas de forma estruturada, ou seja, fazendo revisão bibliográfica, análise de resultados, seleção de metodologia, compreendendo os fenômenos mais relevantes para o problema estudado”, destaca o professor Gilberto Francisco Martha de Souza, vice-presidente da Comissão de Pesquisa e coordenador da Subcomissão de Iniciação Científica da Poli. “Com este trabalho, formamos nossos estudantes não só para atuar no desenvolvimento científico, mas também tecnológico. É uma oportunidade para eles aplicarem os conceitos e conhecimentos adquiridos em classe”, prossegue.

 “Esse tipo de iniciativa é fundamental para os alunos apresentarem suas pesquisas a outras pessoas, e não apenas aos seus orientadores, e também para saberem o que seus colegas estão fazendo”, destaca um dos avaliadores, o professor Paulo Miyagi, do Departamento de Engenharia Mecatrônica e de Sistemas Mecânicos da Poli.

Kazuo Nishimoto, professor do Departamento de Engenharia Naval e Oceânica da Poli, é outro avaliador veterano no SIICUSP. “A participação em um programa de iniciação científica e no Simpósio reforça o aprendizado do aluno”, aponta. “Ele aprende a desenvolver um trabalho de pesquisa, a fazer a apresentação dos resultados para os avaliadores, compreender as dificuldades, receber um feedback. É importante passarem por isso, já que avaliações são processos rotineiros na vida acadêmica e profissional”, ressalta.

Experiência valiosa

Aprender a pesquisar foi o maior ganho apontado por um dos estudantes que participaram do SIICUSP. “A iniciação científica trabalha muito com a independência e a curiosidade intelectual. A gente deixa de perguntar para os outros e passa a pesquisar, desenvolvendo essa habilidade”, destaca Gabriel Fonseca Francisco, aluno do Departamento de Engenharia da Produção da Poli. Depois de uma temporada de um ano de estudos nos Estados Unidos, Gabriel voltou ao Brasil decidido a associar o que aprende em sala de aula com o desenvolvimento de algo prático. Então, ele entrou no programa de iniciação científica e desenvolveu o projeto “Entregas Noturnas: revisão bibliográfica e análise de uso de tecnologias para implementação” junto ao Centro de Inovação em Sistemas Logísticos da Poli (CISLog).

Ele disse ter gostado muito da experiência, especialmente por poder desenvolver um projeto associado a trabalho de campo e que lida com um grande problema da cidade da São Paulo hoje: a mobilidade. “Atualmente trabalho na área de pesquisa de investimento em um banco e a iniciação me ajudou. Os profissionais hoje, em qualquer área, precisam saber onde procurar a informação e a encontrar antes dos outros, sem ficar recorrendo a outras pessoas”, completa.

Para o aluno Lucas Mafra Barros, do Departamento de Engenharia Elétrica e de Computação, um aspecto muito positivo da iniciação científica foi o ganho de conhecimento em logística e computação. Ele desenvolveu e apresentou no SIICUSP o projeto “Implementação do serviço de gerenciamento de pedidos de logística de uma empresa virtual”. “Só o fato de estar num projeto, ter uma atividade com começo, meio e fim, prazos, responsabilidades, já foi um ganho”, aponta.

Ele está apenas no segundo ano do curso, mas isso não criou grandes dificuldades. “Muito conhecimento de que precisei eu só irei estudar mais para frente, mas foi possível aprender agora”, afirma. Segundo ele, a orientação dos docentes foi fundamental. “Eles serviram como guias, dando instruções, indicando os conceitos que eu deveria pesquisar”, ressalta.

Sobre o SIICUSP – Iniciativa da Pró-Reitoria de Pesquisa da USP, o SIICUSP apresenta trabalhos de bolsistas do programa de iniciação científica da Universidade (PIC-USP) financiados pelo CNPq, Santander e pela Reitoria. O Simpósio é realizado em duas fases, sendo a primeira no âmbito das unidades da USP. Na segunda etapa, inscritos de todas as unidades e áreas do conhecimento, selecionados em função dos resultados das avaliações dos seus trabalhos durante a primeira fase, estarão reunidos em um mesmo local para realizar nova apresentação. Uma comissão avaliadora vai escolher os 15% melhores, que participarão da segunda fase de apresentação e avaliação, prevista para ser realizada entre outubro e novembro desse ano. A data está sendo definida pela Pró-Reitoria de Pesquisa.