Escola Politécnica da USP

usp.br

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Início Comunicação Notícias Arquivo de notícias Comissão realiza segunda reunião para discutir Poli Leste

Comissão realiza segunda reunião para discutir Poli Leste

Próximo encontro será no campus da EACH, com a participação de lideranças da região

A comissão de professores responsável por elaborar um projeto para a implantação definitiva da Escola Politécnica da USP no campus da Universidade situado na Zona Leste de São Paulo, realizou sua segunda reunião de trabalho nesta sexta-feira (16/10). O encontro foi uma continuidade do trabalho inicial de alinhamento de informações e objetivos iniciado na primeira reunião, realizada dia 1º de outubro, na Poli.

A comissão já agendou a terceira reunião de trabalho para o dia 23 de outubro, nas dependências da Escola de Artes, Ciências e Humanidade (EACH-SP), para ouvir de lideranças da Zona Leste quais seriam suas visões a respeito de possíveis cursos de Engenharia adequados para serem implantados na região.

O professor Waldir Augusti, líder comunitário da Zona Leste, é o representante da Zona Leste na comissão, conforme definido em reunião no dia 9 de outubro, da qual participou o diretor da Poli, José Roberto Castilho Piqueira.

Os professores também devem convidar um especialista em planejamento urbano, urbanismo ou economia urbana para ter mais informações de base sobre as características da Zona Leste e as tendências em termos de desenvolvimento econômico. O objetivo é obter o máximo de subsídios possível para poder elaborar um projeto que, de fato, contribua com o desenvolvimento da região.

A proposta final que a comissão apresentará para a Diretoria da Escola deverá conter o projeto político pedagógico, definição sobre que curso ou cursos serão implantados, quantas vagas devem ser disponibilizadas, quantos professores, salas de aula e quais laboratórios serão necessários, entre outros detalhes.

Os participantes discutiram a possibilidade de pensar em formar turmas de 150 alunos, envolvendo um ou mais cursos, e também em elaborar um projeto que contemple outras atividades, como ações de apoio ao empreendedorismo, por exemplo.

Ressaltaram, ainda, a necessidade de haver uma interação entre a Poli e atores que já têm iniciativas já existentes ou que estão sendo organizadas na região, como a Fatec, as escolas técnicas (ETECs), a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e a incubadora de empresas que está sendo construída.

Também foi discutida a possibilidade de trabalho em parceria com empresas da Zona Leste e também com municípios da Região Metropolitana de São Paulo que são próximos da região. As empresas poderiam oferecer estágios para os alunos, contribuindo para a formação dos estudantes que poderão empregar no futuro.