Escola Politécnica da USP

usp.br

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Início Comunicação Notícias Arquivo de notícias Laboratório da Poli-USP recebe R$ 2 milhões de investimentos com novos equipamentos

Laboratório da Poli-USP recebe R$ 2 milhões de investimentos com novos equipamentos

Resultado de parceria com as empresas Bruker e Oregon Labware, o LCT-USP reforça suas competências na caracterização de materiais

 O Laboratório de Caracterização Tecnológica (LCT) da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli/USP) está operando com dois novos equipamentos: um aparelho de espectrometria de fluorescência e outro de difração de raios X, muito utilizados pela indústria do setor mineral, tanto para pesquisa como no controle de processos. Os equipamentos da marca Bruker AXS são de última geração e custam em torno de R$ 2 milhões, tendo sido alocados no laboratório mediante parceria com a empresa Oregon Labware, representante comercial da Bruker ASX para o setor mineral.

“Como parte do acordo com essas empresas, deverão ser realizados projetos de pesquisa específicos de interesse de ambas as partes, estreitamente alinhados com as nossas linhas de pesquisa e competências”, afirma o professor Henrique Kahn, coordenador do LCT. Os estudos serão publicados e divulgados em congressos e periódicos científicos indexados. Com o apoio da doutora Giuliana Ratti, também serão oferecidos treinamentos e cursos de capacitação para novos usuários do equipamento de fluorescência de raios X.

Kahn explica que esse equipamento é empregado na análise química quantitativa de elementos, desde o boro até o urânio. Já o de difração de raios X é usado na identificação e quantificação de fases cristalinas e determinação de parâmetros de estrutura cristalina. “O LCT já dispunha desses equipamentos, mas em versões obsoletas e que precisavam ser modernizadas para garantir que o Laboratório continue operando no estado da arte”.

Um dos projetos contempla o desenvolvimento de análises de minérios de ferro por difração de raios X para determinação de conteúdos de magnetita, hematita, goethita e demais minerais de ganga, objetivando avaliar as possibilidades de substituição de análises de ferro bivalente hoje realizada por técnicas de análise químicas convencionas por via úmida, diminuindo, assim, o impacto ambiental destas análises (com a eliminação do uso de reagentes), além da automação do processo de análise. Outro projeto contempla o desenvolvimento de análises químicas de elementos de terras raras por espectrometria de fluorescência de raios X.

“Essa parceria é de grande valia não apenas para as empresas envolvidas, mas para todos os profissionais e alunos que terão a oportunidade de ter acesso a equipamentos com tecnologia de ponta”, destaca o engenheiro Danilo Bittar, diretor da América do Sul da Bruker AXS. “A experiência no mercado de mineração, juntamente com o know-how de cada um dos partícipes envolvidos na parceria, será de extrema importância para o setor mineral, que está em constante ascensão no país”, acrescenta o engenheiro Fausto Rizzo, da Oregon Labware.

A Oregon Labware é o principal fornecedor de insumos para preparação de amostras para fluorescência de raios X no Brasil. Desde 2015, atua no setor de mineração como representante da Bruker AXS. O LCT é um laboratório multiusuário, aberto a pesquisadores da USP e de outras universidades, além de empresas; foi criado em 1990 e dedica-se à pesquisa na área de caracterização tecnológica de materiais, notadamente no setor mineral.