Escola Politécnica da USP

usp.br

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Início Comunicação Notícias Arquivo de notícias RCGI seleciona bolsistas para programas de pós-graduação

RCGI seleciona bolsistas para programas de pós-graduação

Oportunidades abertas são para os níveis de pós-doutorado e doutorado (PhD), mas haverá também bolsas de iniciação científica; candidatos poderão estudar no Imperial College de Londres, uma das dez melhores universidades do mundo

 Centro de Pesquisa para Inovação em Gás Natural (“Research Centre for Gas Innovation” - RCGI, na sigla em inglês) está com cinco chamadas abertas para pesquisadores interessados em se juntar à sua equipe, sendo duas para doutorado (PhD) e três para pós-doutorado. As chamadas serão encerradas dia 30 de abril e fazem parte de um convênio assinado entre a USP, o Imperial College de Londres e a BG Brasil (uma das financiadoras do Centro). As bolsas abrem a possibilidade de o candidato viajar ao exterior para fazer parte do curso, ou todo ele, fora do país.

“Este programa, especificamente, dispõe de 25 bolsas de estudo, sendo cinco de pós-doutorado, oito de doutorado integral no Imperial College, oito de doutorado sanduíche também no Imperial College e quatro de dupla titulação de doutorado, todas com co-orientação de um docente da USP. As bolsas estão sendo distribuídas ao longo de 72 meses, que começamos a contar a partir de dezembro de 2014”, diz o diretor acadêmico do RCGI, Julio Meneghini, professor titular da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP), onde o Centro está sediado. Segundo ele, já há um aluno da Poli fazendo a dupla titulação no Reino Unido com uma bolsa ofertada pelo convênio.

De acordo com o cronograma do RCGI, serão oferecidas seis bolsas por ano. Os candidatos interessados devem entrar no site do RCGI (www.usp.br/rcgi) e clicar na aba “oportunidades” para realizar as inscrições. Atualmente, o Centro tem 28 projetos em andamento, nos quais os alunos selecionados para pós-graduação irão trabalhar.

As chamadas abertas referem-se a cinco projetos: Otimização da cadeia de abastecimento de gás natural tendo em conta os custos do ciclo de vida e os impactos ambientais; Caracterização geológica e litológica para armazenamento de CO² em cavernas de sal da bacia de Santos; Modelagem de funções sustentáveis para tecnologia de gás na indústria, no transporte e em aplicações na construção; Otimização de fluxo de campo de células a combustível de óxido sólido com uso de métodos numéricos e Sistema híbrido solar-gás para reforma catalítica de Gás Natural.

“O Imperial College está entre as dez melhores universidades do mundo de acordo com o ranking da Times Higher Education, publicado todo ano. Também figura entre as dez mais internacionalizadas do mundo. É uma oportunidade incrível tanto para o aluno quanto para a universidade, no tocante à internacionalização”, resume o professor.

Além das bolsas ofertadas pelo convênio USP, Imperial College e BG, há ainda 40 bolsas de iniciação científica da FAPESP e quatro de doutorado, oferecidas pela BG.          “No convênio assinado entre a Fapesp e a BG para a criação do Centro, existe a previsão de mais 40 bolsas de iniciação científica, com duração total de 12 meses e a possibilidade de que quatro deles sejam cursados no exterior. E ainda outras quatro bolsas de doutorado, com duração total de quatro anos, dos quais um pode ser feito fora”, ressalta Meneghini. Na carteira da Fapesp, essas oportunidades são chamadas de BEPE (Bolsa Estágio de Pesquisa no Exterior).

            Haverá ainda oportunidades para pós-graduação (doutorado) junto ao RCGI por meio dos programas que a própria Poli já mantêm. “São bolsas do CNPq e fazem parte da contrapartida da USP pela criação do centro. Funciona assim: alguns programas de pós-graduação da USP têm cotas de bolsas do doutorado. Usaremos essas cotas quando houver interesse do aluno, do professor e, é claro, do RCGI.” 

Sobre o RCGI

O RCGI (www.usp.br/rcgi) foi criado no final do ano passado para investigar o uso atual e futuro do gás natural com o objetivo de aumentar a sua participação na matriz energética do País e diminuir as emissões de gases de efeito estufa. O gás natural tem papel estratégico na transição entre uma matriz energética com base em fósseis para uma matriz mais limpa.

Com previsão de R$ 100 milhões em investimentos por parte da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e a BG Brasil (empresa do BG Group recentemente adquirida pela Shell), o RCGI está investigando temas como o uso de energia solar para produção de syngas, o uso de gás natural como combustível para navios, combustão avançada, células de combustível para hidrogênio, entre outros.

As pesquisas são conduzidas em parceria entre pesquisadores de nove departamentos da Poli-USP, dos institutos de Energia e Ambiente (IEE), de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN) e de Química (IQ-São Carlos), da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, todos da USP; do Instituto de Química da Universidade Federal de São Carlos e da Escola de Medicina da Universidade Federal de São Paulo.

Outros parceiros são: Sustainable Gas Institute (SGI), ligado ao Imperial College London; University College London, University of Cambridge e University of Leeds (Reino Unido); University of Illinois at Urbana-Champaign e Texas A&M University (EUA); Technische Universitaet Darmstadt (Alemanha) e Université de Lyon (França).