Escola Politécnica da USP

usp.br

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Início Comunicação Notícias Arquivo de notícias LASSU inaugura Espaço Paideia e lança programa de formação para jovens de baixa renda

LASSU inaugura Espaço Paideia e lança programa de formação para jovens de baixa renda

Laboratório de Sustentabilidade da Poli-USP é centro de referência em estudo, pesquisa e inovação para soluções envolvendo sustentabilidade e TICs

O Laboratório de Sustentabilidade (LASSU), vinculado ao Departamento de Engenharia de Computação e Sistemas Digitais (PCS) da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP), inaugurou nesta terça-feira (22/11) o Espaço Paidéia, onde serão desenvolvidas as atividades de um novo programa de formação em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), voltado para jovens baixa renda na idade de 16 a 20 anos. O local também abrigará uma exposição permanente de equipamentos antigos de informática. As novas instalações e parte dos equipamentos foram patrocinados pela empresa Recicladora Urbana, por meio do Programa Parceiros da Poli.

O LASSU pesquisa e desenvolve projetos de inovação, muitos deles em parceria com empresas, e também atua na disseminação de conhecimento sobre soluções sustentáveis em TIC. Além de MBAs, conta com dois programas de formação voltados para a catadores de material reciclável: o Projeto EcoEletro – Reciclagem de Eletrônicos, e o Descarte Legal. O novo programa, batizado com o mesmo nome do espaço, Programa Paidéia, irá oferecer treinamento em microinformática e programação computacional para jovens entre 16 e 20 anos, com baixa renda, residentes na Região Metropolitana de São Paulo, e que estejam cursando a partir do segundo ano do ensino médio ou que já tenha concluído esse nível de ensino.

“O programa tem a proposta de aumentar as chances de empregabilidade desses jovens no mercado de trabalho, oferecendo capacitação complementar para que possam atuar na área de informática”, explica a professora Tereza Cristina Melo de Brito Carvalho, coordenadora do LASSU. São 360 horas de curso, divididos igualmente em 120 horas para microinformática; programação; e ética e cidadania. Em princípio serão abertas 25 vagas.

Empresas poderão apoiar o programa, financiando bolsas de estudos para os alunos, com algumas vantagens. “A empresa que financiar acima de três bolsas, por exemplo, terá ao final do programa prioridade na seleção dos melhores estudantes, caso queira contratá-los”, cita. Pessoas físicas poderão contribuir com qualquer valor. As informações sobre o curso e as modalidades de apoio estão disponíveis no site http://www.lassu.usp.br/paideia/

            História da computação – O Espaço Paideia conta com três ambientes: uma Sala de Aula e Experimentação, onde ocorrerão as atividades do novo programa de formação; uma Sala de Co-criação, destinada à discussão e troca de ideias para estimular o uso de diferentes métodos de projeto colaborativo (por exemplo, design thinking); e o Acervo Técnico, onde ficará a exposição dos equipamentos de informática e telecomunicações, como computadores dos anos 1980, algumas das primeiras versões de laptops e celulares, entre outros. Os equipamentos vêm sendo reunidos desde 2009, a partir de materiais recebidos pelo Centro de Reúso e Descarte de Equipamentos de Informática (CEDIR) da USP.

“Esperamos que esse espaço seja um embrião de um acervo maior, que sirva de referência em informática. Estamos fazendo chamadas para pedir às pessoas a doação de peças antigas”, afirma. “Queremos ampliar esse acervo com equipamentos de rede e de armazenagem. Quem nos visita gosta de ver o acervo, que mostra um pouco da história da informática e da evolução da tecnologia”, prossegue. Para obter informações sobre como doar equipamentos ou para visitar o acervo, entre em contato com o LASSU – http://www.lassu.usp.br/, pelo telefone (11) 3091-1092.

O acervo chamou a atenção de quem participou da cerimônia de inauguração do Espaço Paidéia, que contou com as presenças do professor Vahan Agopyan, vice-reitor da USP; professor Carlos Eduardo Cugnasca, Chefe Suplente do Departamento de Engenharia de Computação e Sistemas Digitais (PCS), representando, além da Chefia do Departamento, o professor José Roberto Castilho Piqueira, diretor da Poli; professora Tereza Cristina Melo de Brito Carvalho, coordenadora do LASSU; professor Marco Antonio Saidel, chefe do Departamento de Engenharia de Energia e Automação Elétricas (PEA); professor Nelson Kagan, docente do PCS; e de Ronaldo Stabile, diretor comercial da empresa Recicladora Urbana, além de vários docentes, pesquisadores e funcionários da Escola e empresários da área de reciclagem, sustentabilidade e tecnologias digitais.

Nos discursos ressaltou-se a importância de parcerias deste tipo tanto para a Universidade como para as empresas e o desenvolvimento que isso acarreta. A coordenadora do LASSU agradeceu e elogiou a iniciativa da empresa Recicladora Urbana, que doou um total de R$ 130 mil para a construção das novas instalações, além de alguns equipamentos e mobiliários. Ela se disse bastante animada com os resultados que deverão ser alcançados com a iniciativa e a possibilidade de trabalhar com diversas empresas no setor de inovação e inclusão social. A possibilidade de parcerias pelo Programa Paidéia está aberta e as empresas parceiras poderão contar com diversos benefícios, além de viabilizar uma nova perspectiva de vida e carreira para os jovens participantes do programa.

Já o vice-reitor da USP falou sobre as possibilidades de avanço e inclusão social que o projeto traz e disse ser um orgulho para a Universidade abrigar este tipo de ação. Depois do descerramento da placa de agradecimento pela parceria pelas autoridades presentes, a professora Tereza convidou os presentes a visitarem o espaço e, em especial, a Mostra “Do computador de mesa ao computador de bolso”.