Escola Politécnica da USP

usp.br

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Início Comunicação Notícias Arquivo de notícias Prédio da Poli-USP ganhará mural artístico

Prédio da Poli-USP ganhará mural artístico

Um dos maiores muralistas do Brasil e ex-aluno da Escola, Andruchak fará monumento no prédio da Engenharia Elétrica

O prédio da Engenharia Elétrica da Escola Politécnica da USP (Poli-USP) vai se transformar em um ateliê de arte entre os dias 20 e 23 de outubro, quando será construído de forma coletiva um mural artístico, idealizado pelo artista plástico Andruchak, um dos maiores muralistas do país, tanto em número quanto em diversidade de obras realizadas. Trata-se de um monumento em cimento, com alto e baixo relevo, que terá a dimensão de 20 m² (2,5 m x 8 m) e cujo nome é "Tecnologia, Inovação e Arte". Ele será produzido em um espaço de convivência do prédio, e sua construção terá a participação de alunos, professores e funcionários, que poderão contribuir ativamente com a criação, fazendo a pintura da obra. Esta interação visa despertar na comunidade a sensação de pertencimento. “A relação com o público deve ser muito intensa. Quem participar jamais esquecerá aquele momento”, ressalta o artista.

Andruchak explica que esta será uma obra de reconhecimento nacional e internacional e, como os participantes de certa forma serão coautores, eles tendem a cuidar da obra. “Certamente o mural será um divisor de águas na Poli. O ambiente ficará mais alegre e o monumento estará ali para sutilmente lembrar, todos os dias, a união, a sinergia e o esforço conjunto reunido para sua feitura, tal como são feitos os trabalhos e pesquisas nas dependências dos departamentos e laboratórios da Escola Politécnica da USP”.

A obra será elaborada ao longo dos quatro dias, e haverá uma cerimônia de entrega na segunda-feira, dia 23, para marcar sua conclusão. Andruchak explica que a poética será geometricista. “A definição dos grafismos também tem participação da comunidade acadêmica que efetua sugestões a partir das quais o conjunto da obra é produzido. O relevo carrega consigo a questão da inclusão ao permitir que deficientes visuais possam sentir a obra, ou parte dela”.

A proposta surgiu com o apoio dos professores Antônio Zuffo e Antonio Carlos Seabra, do Departamento de Engenharia de Sistemas Eletrônicos da Poli-USP, e a previsão é a de que a obra será renovada de quatro em quatro anos com a presença do autor. O trabalho faz parte de um projeto de extensão da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), onde o artista leciona, com monumentos em diversas cidades brasileiras e também no exterior.

Sobre Andruchak - O artista realizou o seu mestrado no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica da Poli-USP, e sua relação com a Escola e a Universidade é de muito apreço. “Fiz meu mestrado no LSI (Laboratório de Sistemas Integráveis), na área da computação gráfica, e a Poli é minha casa. Ao longo do meu doutorado, realizado na Escola de Comunicações e Artes (ECA-USP), os laboratórios da Engenharia Elétrica me deram suporte para os trabalhos acadêmicos. Ter a oportunidade de retribuir com arte a diversidade de conhecimento que ganhei quando estudei na USP é muito gratificante”, ressalta.

Algumas obras do artista podem ser visualizadas no site https://andruchakartebrasil.wordpress.com/. Ele conta que a ideia de produzir murais surgiu com uma exposição itinerante que realizou por oito países na Europa em 2007, na qual entrou em contato com outra realidade, a qual gostaria de ver também no Brasil. “Comecei reclamando que ninguém fazia nada, até um tempo depois perceber que eu também estava incluído na lista. Resolvi fazer o inverso do grafitti, que nasceu nas ruas para depois ganhar as galerias: tirei as obras da galeria com o início da produção de murais em ruas, avenidas e demais áreas urbanas”. Inicialmente, Andruchak fez muitos trabalhos em pintura, imprimindo sua marca com o uso do geometricismo, mas queria propor uma técnica que fosse única, e buscou em seus estudos essa forma diferenciada. “Depois de muitas tentativas consegui estruturar o mural em relevo utilizando cimento. Desta forma as obras passaram à categoria de monumento. Outros elementos passaram a figurar no trabalho, como a inclusão de pessoas deficientes visuais que poderiam sentir a obra, ou a durabilidade altamente incrementada e ainda a possibilidade da produção colaborativa, com participação das comunidades onde a obra seria executada”, conta o artista.

-------------------

Serviço

Construção do monumento "Tecnologia, Inovação e Arte" no prédio da Engenharia Elétrica da Poli-USP
Data e horário: 20 a 23 de outubro, das 7h30 às 17h.
Cerimônia de entrega: 23 de outubro, às 17h.
Endereço: Av. Prof. Luciano Gualberto, travessa 3, nº 158, Cidade Universitária, São Paulo, SP.