Escola Politécnica da USP

usp.br

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Início Comunicação Notícias Arquivo de notícias Mural artístico na Poli-USP é entregue para comunidade concluir pintura

Mural artístico na Poli-USP é entregue para comunidade concluir pintura

Professores, alunos e funcionários participam da pintura da obra de arte, de autoria de Andruchak, um dos mais reconhecidos muralistas do Brasil

O mural “Tecnologia, Inovação e Arte”, idealizado pelo artista plástico e politécnico Andruchak, um dos maiores muralistas do Brasil, foi entregue para a comunidade da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) nesta segunda-feira (23/10). A obra de arte fica no saguão de entrada do prédio da Engenharia Elétrica, no campus da Poli na Cidade Universitária, em São Paulo, e tem 20 m² (2,5 m x 8 m). Trata-se de um trabalho coletivo: enquanto o grafismo e a confecção do mural em cimento, com baixo relevo, foram feitos pelo artista, toda a pintura, já iniciada, caberá à comunidade politécnica.

A proposta teve o apoio dos professores Antônio Zuffo e Antonio Carlos Seabra, do Departamento de Engenharia de Sistemas Eletrônicos (PSI) da Poli-USP. O artista realizou o seu mestrado no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica da Poli-USP, sob orientação do professor Zuffo. O trabalho faz parte de um projeto de extensão da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), onde o artista leciona. Andruchak é muito prestigiado; já fez mais de 100 murais em diversas cidades brasileiras e também no exterior.

Entre os membros da comunidade que já deram sua contribuição para pintura do mural está o diretor da Poli, professor José Roberto Castilho Piqueira. “Este mural retrata o que é a Escola Politécnica: vemos nele uma construção coletiva e que a Poli se mantém no caminho da preservação da tradição, sem deixar a modernidade”, afirmou Piqueira. “O mural tem a participação de todos e reflete o que é o processo de ensino-aprendizado atual: não temos mais um aprender passivo, hoje ele é coletivo”, completou.

Andruchak se disse emocionado por ver sua iniciativa se concretizando com a participação alunos, funcionários e professores. “Esse é um momento que organizamos para ver a reunião das pessoas em torno do trabalho. Quando concluído, queremos fazer uma cerimônia de inauguração para celebrarmos a iniciativa”, comentou o artista. Ele agradeceu a todos os apoiadores, em especial ao professor Zuffo, que foi seu orientador no mestrado na Escola. “Essa foi uma forma que encontrei de agradecer à Poli pela minha formação. O departamento de Engenharia Elétrica foi o berço de tudo”, comentou.

Segundo o artista, mesmo a ideia do grafismo acabou sendo uma construção coletiva, pois ele se inspirou em uma lista de ideias nascidas de sugestões de imagens dadas pela comunidade e que representariam o universo dos campos de conhecimento que estão presentes nas engenharias. Ele disse que o significado final do painel será uma interpretação pessoal, individual, mas apontou alguns dos diversos elementos gráficos que introduziu na obra e que estão relacionados com seu título – “Tecnologia, Inovação e Arte” – e com a atividade de ensino e pesquisa da Poli.

Dessa forma, é possível observar um raio, que é a fagulha inicial da energia, circuitos integrados impressos e torres de energia, representando o nascimento das ideias e sua transmissão. Um ratinho estilizado dentro de uma lâmpada reforça essa mensagem e traz os alunos, a base da Escola. A coruja simboliza a sabedoria, e está em cima de um ramo de folhagens que representa o meio ambiente – a sustentabilidade é um aspecto fundamental do trabalho do engenheiro.

As mulheres também estão representadas no painel, na forma de uma figura feminina que observa, pensativa, o universo, fazendo uma reflexão sobre seus próximos passos. Seus cabelos são diodos e suas mãos, chips. Até mesmo o ‘Patinho Feio’, primeiro computador criado no Brasil por uma equipe de pesquisadores da Poli, está no mural. As flores representam as minorias, que têm conquistado mais espaço na sociedade brasileira. O satélite nos remete à imensidão do espaço e o homem em cima de uma molécula de átomo nos recorda que ainda temos muito o que estudar e aprender sobre nós mesmos e o Universo, uma das razões de ser da existência das universidades.

Confira as fotos da entrega do mural no álbum do Flickr da Poli-USP. https://www.flickr.com/photos/poliusp/albums/72157687437762281