Escola Politécnica da USP

usp.br

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Início Comunicação Notícias Arquivo de notícias Metabiologia tenta predizer Teoria da Evolução

Metabiologia tenta predizer Teoria da Evolução

Ex-pesquisador do Centro de Pesquisa da IBM fará uma conferência na Poli/USP para apresentar a metabiologia e suas implicações para a ciência.

O matemático e cientista Gregory John Chaitin, um dos pioneiros na área da teoria da informação algorítmica, sempre considerou um escândalo o fato de que a Teoria da Evolução de Charles Darwin não pudesse ser explicada por equações. Embora haja uma vasta literatura que comprove essa teoria, faltava uma ferramenta que explicasse seu funcionamento. E ao que tudo indica Chaitin a encontrou na metabiologia, um novo campo do conhecimento que ele apresentará nos dias 26 e 27 de setembro, em uma conferência na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli/USP), em São Paulo.

A metabiologia faz a conversão de duas tecnologias: a de tecnologia da informação com a biologia. Ou seja, uma baseada em um software digital artificial (a linguagem dos programas de computador) e outra baseada em um software digital natural, o DNA. Na metabiologia, a mutação aleatória seria estudada por um software. “O que ele propõe é usar uma ferramenta já consolidada na matemática e na computação em outro campo – como a teoria da evolução na biologia”, explica o professor Ricardo Luis de Azevedo da Rocha, do Departamento de Engenharia de Computação da Poli, que está promovendo a vinda de Chaitin.

Segundo Rocha, esse novo campo do conhecimento, se bem sucedido, poderá ter implicações profundas na ciência. “Um exemplo radical seria interferir no processo evolutivo para determinar características hereditárias”, aponta. “Isso possibilitaria preparar organismos para enfrentar situações adversas; com a diferença que os cientistas saberiam exatamente como fazer isso”, acrescenta. Ele lembra que a maioria das conquistas atuais da biotecnologia é obtida em cima de tentativas empíricas. “Sabe-se muito pouco ainda sobre o processo evolutivo e o papel da mutação genética nesse processo; daí a importância desse novo campo do conhecimento, em especial para matemáticos, engenheiros da computação e biólogos”, diz.

Ex-pesquisador do Centro de Pesquisa da IBM, Chaitin é doutor honoris causa da Universidade do Maine, nos EUA. Ele foi um dos três cientistas responsáveis pela teoria da informação algorítmica, pela qual se mostrou possível utilizar computação na teoria da informação, explicando assim alguns paradoxos lógicos, como o teorema da incompletude de Gödel, por meio dessa teoria. Foi ainda o descobridor do número Ômega (número real entre 0 e 1) que, de certa forma, recoloca a famosa questão de Einstein “Deus não joga dados” em xeque novamente, desta vez no âmbito da matemática pura. Chaitin está no Brasil como professor-visitante da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Serviço: a conferência de Chaitin será proferida em inglês, em duas partes: uma no dia 26/9, às 14h30, e outra no dia 27/9, às 9h. Após cada apresentação, haverá tempo para os participantes conversarem com Chaitin. O evento será realizado na sala C1-49 do prédio da Engenharia Elétrica da Poli, (Av. Prof. Luciano Gualberto, travessa 3 nº 380, Cidade Universitária). Inscrições gratuitas neste link

 

Saiba + sobre o palestrante: http://en.wikipedia.org/wiki/Gregory_Chaitin

Saiba + sobre a metabiologia: http://www.cs.umaine.edu/~chaitin/sfi.html