Escola Politécnica da USP

usp.br

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Início Comunicação Notícias Arquivo de notícias Formação de profissionais e inovação são principais demandas de instituições públicas e privadas

Formação de profissionais e inovação são principais demandas de instituições públicas e privadas

Representantes do governo e iniciativa privada discutiram desenvolvimento tecnológico

e pós-graduação no evento 100 Mil Títulos da Pós-Graduação

O último dia do evento 100 Mil Títulos da Pós-Graduação apresentou as expectativas da comunidade não-acadêmica sobre os programas de pós-graduação. O evento, promovido pela Pró-Reitoria de Pós-Graduação da USP entre os dias 7 e 9 a 11 de Outubro, discutiu a formação de profissionais que atendam às necessidades do país em desenvolvimento tecnológico e geração de conhecimento.

As discussões da tarde do dia 11 de Outubro, que tiveram como tema a “Relação do Estado e do setor produtivo com a Pós-Graduação”, foram presididas pelo Prof. Dr. Vanderlei Salvador Bagnato, coordenador da Agência USP de Inovação, que ressaltou a importância da interação entre universidade e meios externos para melhorar a formação de profissionais nos cursos de pós-graduação, atendendo às demandas do mercado.

O diretor da Agência Espacial Brasileira, Thyrso Villela, discutiu o perfil desejável do pós-graduando para a área tecnológica federal, destacando a importância dos programas de pós-graduação para a Inovação. Segundo Villela, o Programa Espacial Brasileiro ainda depende de tecnologias estrangeiras, o que compromete a capacidade do Brasil no monitoramento climático e na gestão de desastres naturais, por exemplo. Por isso, para que a Agência Espacial Brasileira possa ter um programa espacial independente, a instituição busca no Brasil profissionais e tecnologias que possibilitem o acesso ao espaço sem a necessidade de importação de tecnologia estrangeira. Villela destacou ainda que a NASA sempre apoiou seu desenvolvimento na pesquisa acadêmica, concluindo que a pesquisa acadêmica deve ter participação efetiva no desenvolvimento de ciência e tecnologia espacial.

Representando o Governo Federal, o Diretor do Departamento de Políticas e Programas Temáticos do Ministério da Ciência e Tecnologia, Carlos Alfredo Joly, apresentou as estratégias e programas de longa duração do ministério para promover o desenvolvimento tecnológico no Brasil. Joly destacou também a necessidade de formação de recursos humanos preparados para gerar inovação e, assim, transformar o setor produtivo brasileiro, tornando-o menos dependente de commodities.

O Diretor-presidente (CEO) do Grupo Ultra, Pedro Wongtschowski, apresentou as perspectivas da área industrial quanto à tecnologia, ressaltando a grande demanda por profissionais que atuem no desenvolvimento de inovação nas empresas. Segundo Wongtschowski, a Inovação atende às necessidades das empresas privadas quanto à diferenciação no mercado, sustentabilidade e redução de custos, gerando impactos e melhorias para a sociedade.

A sessão contou com a participação de diversos representantes da comunidade acadêmica que discutiram os desafios no cenário da pós-graduação na Universidade de São Paulo e sua contribuição para o desenvolvimento tecnológico.

 

Sobre o evento

A Pró-Reitoria de Pós-Graduação promoveu as celebrações para marcar os 100 mil títulos obtidos por mestres e doutores. A principal referência para chegar a esse número foi a regulamentação e a padronização dos Programas de Pós-Graduação em todo o país em 1965, e na USP em 1969. O evento teve como título “A Pós-Graduação Construindo o Futuro”, e as comemorações ocorreram nos dias 7 e de 9 a 11, no Memorial da América Latina e nos campi da USP.