Escola Politécnica da USP

usp.br

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Início Comunicação Notícias Destaques Arquivo "Em foco" Tapete de flores: a foto vencedora do 1º Concurso de Fotografia “Poli em foco: mostre sua cara”

Tapete de flores: a foto vencedora do 1º Concurso de Fotografia “Poli em foco: mostre sua cara”

A estudante do último semestre do curso de engenharia metalúrgica da Poli, Ana Cecília Pontes Rodrigues, venceu o 1º Concurso de Fotografia “Poli em foco: mostre sua cara”, promovido pela instituição em parceria com o Grêmio Politécnico. A imagem registrada por Ana Cecília de uma alameda da Poli forrada por flores de ipês, formando um tapete, no início da primavera, foi a mais votada pelo público que visitou a exposição das fotografias inscritas no concurso, realizada de 7 a 8 de outubro no hall de entrada do prédio da Engenharia Civil.

tapeteflores

Como prêmio, a estudante ganhará um certificado de participação e um par de ingressos para assistir a um dos filmes que serão exibidos na Mostra Internacional de Cinema em São Paulo 2010, que começa esta semana na capital paulista. Além disso, será entrevistada para o jornal “O Politécnico”, mantido pelo Grêmio Politécnico. E seu trabalho integrará o acervo fotográfico da Poli.

O concurso e a exposição de fotografia fizeram parte da programação da tradicional Semana de Arte da Poli (Sapo), que aconteceu de 4 a 8 de outubro, nas dependências da Poli-USP, na Cidade Universitária. Em sua 21ª edição, o evento, que visa aproximar os politécnicos da arte e cultura, é organizado pelos próprios alunos da Poli.

Este ano mais de 30 atividades formaram a programação do evento, entre palestras ministradas por especialistas, oficinas, recitais, apresentações de música popular, teatro, minicursos, exposições de artes plásticas, e mostra de cinema.  Realizadas em todas as dependências da Poli, em sua maior parte durante o intervalo das aulas e após as 17h, cada atividade reuniu um público que variou de 20 a 100 pessoas.

“A ideia foi que as atividades ocorressem nos horários de intervalo das aulas para reunir o maior público possível e fazer com que a arte e cultura invadisse, por um momento, a vida dos politécnicos”, diz um dos organizadores da Sapo Alexandre Angulo.