EDITAL EP – 022/2017 – LIVRE DOCENTE – JULHO 2017

pnv

ABERTURA DE INSCRIÇÕES AO CONCURSO DE TÍTULOS E PROVAS VISANDO A OBTENÇÃO DO TÍTULO DE LIVRE-DOCENTE, NOS DIVERSOS DEPARTAMENTOS DA ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO.

 

EDITAL- EP/Concursos – 022/2017

O Diretor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, Prof. Dr. José Roberto Castilho Piqueira, torna público a todos os interessados que, conforme estabelecido nos artigos 56 e 57 do Regimento Interno da Escola Politécnica, faz saber que estarão abertas as inscrições, no período de 03/07/2017 a 17/07/2017, nas seguintes especialidades ou áreas:

Departamento de Engenharia de Construção Civil – PCC:

  1. Tecnologia e Gestão da Produção na Construção Civil.
  2. Engenharia de Sistemas Prediais.
  3. Materiais e Componentes de Construção Civil.
  4. Real Estate.
  5. Planejamento e Engenharia Urbanos.
  6. Tecnologia Computacional para Construção Civil.

Departamento de Engenharia de Estruturas e Geotécnica – PEF:

1. Teoria das Estruturas;

2. Mecânica dos Sólidos Deformáveis;

3. Projeto e Métodos Construtivos de Estruturas;

4. Construções de Concreto;

5. Estruturas Correntes, Projeto e Materiais Estruturais;

6. Geomecânica;

7. Fundações e Escavações;

8. Obras de Terra e Geotecnia Ambiental.

Departamento de Engenharia de Energia e Automação Elétricas – PEA:

  1. Sistemas de Potência.
  2. Instrumentação e Sensores a Fibras Ópticas para Medição, Proteção e Automação de Sistemas Elétricos de Potência.
  3. Energia Elétrica.
  4. Eletrônica de Potência.
  5. Distribuição de Energia Elétrica.
  6. Automação de Processos Industriais.
  7. Elementos Finitos Aplicados a Máquinas Elétricas.
  8. Conversão Eletromecânica de Energia e Máquinas Elétricas.
  9. Proteção de Sistemas Elétricos de Potência.

10. Compatibilidade Eletromagnética.

Departamento de Engenharia de Computação e Sistemas Digitais – PCS:

  1. Arquitetura de Computadores.
  2. Automação e Sistemas Convergentes.
  3. Confiabilidade e Segurança.
  4. Engenharia de Software e Banco de Dados.
  5. Fundamentos da Engenharia de Computação.
  6. Inteligência Artificial.
  7. Redes de Computadores.
  8. Tecnologia da Informação Aplicada ao Agronegócio, ao Ambiente e à Biodiversidade.
  9. Tecnologias Interativas.

Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental – PHA:

1.  Obras Hidráulicas Fluviais e Marítimas.

2.  Hidráulica Ambiental.

3.  Recursos Hídricos.

4.  Saneamento.

5.  Engenharia Ambiental e de Recursos Hídricos.

  1. Engenharia Ambiental.
  2. Saneamento Ambiental.
  3. Gestão Ambiental.

10. Poluição Ambiental.

 

Departamento de Engenharia Mecânica – PME:

  1. Mecânica dos Fluidos.
  2. Controle de Sistemas Dinâmicos.
  3. Dinâmica e Vibrações.
  4. Mecânica das Estruturas.
  5. Projeto e Análise de Estruturas Mecânicas.
  6. Comportamento e Seleção de Materiais para Engenharia Mecânica.
  7. Termodinâmica e Transferência de Calor e Massa.
  8. Máquinas e Sistemas Térmicos.
  9. Biomecânica

 

Departamento de Engenharia de Minas e de Petróleo – PMI:

  1. Economia Mineral e Pesquisa Mineral.
  2. Engenharia Ambiental Aplicada à Mineração.
  3. Lavra de Minas.
  4. Mecânica de Rochas Aplicadas à Mineração e Abertura de Vias Subterrâneas.
  5. Tratamento de Minérios.
  6. Caracterização Tecnológica
  7. Recursos Minerais Energéticos

 

Departamento de Engenharia Mecatrônica e de Sistemas Mecânicos – PMR:

  1. Seleção de Materiais.
  2. Processos de Fabricação.
  3. Projeto de Máquinas.
  4. Automação da Manufatura e Robótica.
  5. Métodos Computacionais Aplicados à Automação Industrial e Robótica.
  6. Engenharia Mecatrônica.
  7. Mecânica Computacional Aplicada à Engenharia Mecatrônica.

Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais – PMT:

1. Materiais Poliméricos.

2. Materiais Metálicos.

3. Materiais Cerâmicos.

4. Processos de Metalurgia Extrativa.

5. Processos de Conformação.

Departamento de Engenharia Naval e Oceânica – PNV:

1.  Projeto do Navio.

2.  Hidrodinâmica de Sistemas Navais e Oceânicos.

3. Tecnologia de Construção Naval.

4.  Estruturas Navais.

5.  Máquinas Marítimas e Controle de Sistemas Oceânicos.

6. Transportes Marítimo e Fluvial, Planejamento Portuário e Logística.

Departamento de Engenharia Química – PQI:

  1. Análise, Simulação e Controle de Processos Químicos.
  2. Engenharia de Alimentos.
  3. Engenharia Bioquímica.
  4. Eletroquímica e Corrosão.
  5. Fenômenos de Transporte.
  6. Engenharia de Reações Químicas.
  7. Separações Térmicas e Mecânicas.
  8. Termodinâmica Química.

Departamento de Engenharia de Produção – PRO:

  1. Trabalho, Tecnologia e Organização.
  2. Gestão de Operações e Logística.
  3. Gestão da Tecnologia da Informação.
  4. Qualidade e Engenharia do Produto.
  5. Economia da Produção e Engenharia Financeira.

Departamento de Engenharia de Sistemas Eletrônicos – PSI:

  1. Circuitos e Instrumentação.
  2. Circuitos e Sistemas.
  3. Materiais e Processos para Micro e Nanossistemas.
  4. Meios Eletrônicos Interativos.
  5. Metodologias de Projeto de Sistemas Digitais Integrados.
  6. Micro e Nanodispositivos.
  7. Microondas e Optoeletrônica.
  8. Neurocomputação Eletrônica e Sistemas Adaptativos.
  9. Processamento de Sinais.

10. Processamento e Análise de Imagens.

  1. Projeto de Circuitos Integrados.
  2. Sistemas Eletrônicos para Computação Ubíqua.
  3. Microondas e Ondas Milimétricas

 

Departamento de Engenharia de Telecomunicações e Controle – PTC:

1. Controle e Automação;

2. Telecomunicações;

3. Engenharia Biomédica;

4. Eletromagnetismo Aplicado a Telecomunicações;

5. Processamento e Análise Digital de Sinais.

Departamento de Engenharia de Transportes – PTR:

1. Infraestrutura de Transportes – Sub-área: Projeto de Vias de Transportes.

2. Planejamento e Operação de Transportes – Sub-área: Logística e Sistemas de Transporte.

3. Aquisição, Tratamento e Uso de Informações Espaciais – Sub-Área: Geoprocessamento Aplicado à Engenharia.

4. Infraestrutura de Transportes – Sub-área: Projeto e construção de pavimentos.

5. Aquisição, Tratamento e Uso de Informações Espaciais – Sub-área: Topografia, Geodésia e Cartografia Aplicadas à  Engenharia.

  1. Planejamento e Operação de Transportes – Sub-área: Transporte Urbano.

INSCRIÇÕES E DOCUMENTOS

 

1. As inscrições serão feitas no Serviço de Órgãos Colegiados e Concursos da Escola Politécnica da USP, de segunda a sexta-feira, exceto feriados e pontos facultativos, das 9 às 11 ou das 14 às 16 horas, na Avenida Professor Luciano Gualberto, 380 – Travessa 3 – Edifício Engenheiro Mário Covas Júnior – Térreo, e no ato da inscrição o candidato assinará um requerimento dirigido ao Diretor da Escola Politécnica (formulário a ser preenchido no Serviço de Órgãos Colegiados e Concursos), acompanhado dos seguintes documentos:

I – memorial circunstanciado, em dez cópias, no qual sejam comprovados os trabalhos publicados, as atividades realizadas pertinentes ao concurso e as demais informações que permitam avaliação de seus méritos;

  1. Comprobatórios (UMA VIA):

A -1. Entregar a documentação comprobatória do memorial acondicionada em pastas ou caixas, devidamente etiquetadas, com nome do candidato, número do edital e uma lista dos documentos nela contida; essa documentação será devolvida aos candidatos após a realização do concurso;

A -2. No caso de diplomas, certificados e atestados, deverão ser entregues cópias e no dia do certame o candidato deverá trazer seus originais;

II – Prova de quitação com o serviço militar para candidatos de sexo masculino (cópia simples);

III – Título de eleitor e comprovante de votação da última eleição, prova de pagamento da respectiva multa ou a devida justificativa (cópia simples);

IV – RG ou, no caso de candidato estrangeiro, RNE ou passaporte (cópia simples);

V – Prova de que é portador do título de Doutor, outorgado pela USP, por ela reconhecido, ou de validade nacional (cópia simples).

VI – Dez exemplares da tese original ou de texto que sistematize criticamente a obra do candidato ou parte dela.

Parágrafo 1º – Os docentes em exercício na USP serão dispensados das exigências referidas nos incisos II, III e IV, desde que as tenham cumprido por ocasião de seu contrato inicial.

Parágrafo 2º – Os candidatos estrangeiros serão dispensados das exigências dos incisos II e III, devendo apresentar cópia de visto temporário ou permanente, que faculte o exercício de atividade remunerada no Brasil.

1.1. Inscrições realizadas por terceiros serão aceitas mediante apresentação de procuração assinada pelo candidato, com firma reconhecida em cartório acompanhada de RG do procurador e cópias autenticadas de todos os documentos do candidato.

1.2. Não serão recebidas inscrições pelo correio e Internet;

2. As inscrições serão julgadas pela Congregação, em seu aspecto formal, publicando-se a decisão, no Diário Oficial do Estado.

2.1. O candidato poderá acessar a informação de aceitação ou não de inscrição no site da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo (jornal do Diário Oficial do Estado) www.imesp.com.br.

PROVAS:

3. O concurso deverá ser realizado no prazo máximo de cento e vinte dias, após a aprovação das inscrições. A contagem será a partir da publicação no Diário Oficial do Estado.

3.1. A agenda dos trabalhos será elaborada pela Comissão Julgadora no primeiro dia do certame e os candidatos receberão cópia da mesma.

3.2. O Concurso terá as seguintes provas:

I – prova escrita;

II – defesa de tese ou de texto que sistematize criticamente a obra do candidato ou parte dela;

III – julgamento do memorial com prova pública da arguição;

IV – avaliação didática;

V – prova prática, de acordo com o artigo 167, parágrafo único do Regimento Geral da Universidade de São Paulo.

PROVA ESCRITA

A prova escrita, que versará sobre assunto de ordem geral e doutrinária, será realizada de acordo com o disposto no art. 139 e seu parágrafo único do Regimento Geral da USP a seguir:

I – a Comissão organizará uma lista de dez pontos, com base no programa de concurso e dela dará conhecimento aos candidatos, vinte e quatro horas antes do sorteio do ponto;

II – sorteado o ponto, inicia-se o prazo improrrogável de cinco horas de duração da prova;

III – durante sessenta minutos, após o sorteio, será permitida a consulta a livros, periódicos e outros documentos bibliográficos;

IV – as anotações efetuadas durante o período de consulta poderão ser utilizadas no decorrer da prova, devendo ser feitas em papel rubricado pela Comissão e anexadas ao texto final;

V – a prova, que será lida em sessão pública pelo candidato, deverá ser reproduzida em cópias que serão entregues aos membros da Comissão Julgadora, ao se abrir a sessão;

VI – cada prova será avaliada pelos membros da Comissão Julgadora, individualmente. Após seu julgamento, as cópias das provas deverão ser entregues ao Serviço de Órgãos Colegiados e Concursos para serem incineradas.

Parágrafo Único – O candidato poderá propor a substituição de pontos, imediatamente após tomar conhecimento de seus enunciados, se entender que não pertencem ao programa do concurso, cabendo à Comissão Julgadora decidir, de plano, sobre a procedência da alegação.

O candidato poderá usar computador nesta prova, a critério da Comissão Julgadora do Concurso. A CPU será verificada, conforme determina a Circ.SG/Co/70, de 5/09/2001, e documento aprovado pela Egrégia Congregação em 28/02/2002.

DEFESA DA TESE OU TEXTO

Na defesa pública de tese ou de texto elaborado (redigido em português), os examinadores levarão em conta o valor intrínseco do trabalho, o domínio do assunto abordado, bem como a contribuição original do candidato na área de conhecimento pertinente.

Na defesa pública de tese ou de texto serão obedecidas as seguintes normas:

I – a tese ou texto será enviado a cada membro da Comissão Julgadora, pelo menos trinta dias antes da realização da prova;

II – a duração da arguição não excederá de trinta minutos por examinador, cabendo ao candidato igual prazo para a resposta;

III – havendo concordância entre o examinador e o candidato, poderá ser estabelecido o diálogo entre ambos, observado o prazo global de sessenta minutos.

JULGAMENTO DO MEMORIAL

O julgamento do memorial e a avaliação da prova pública de arguição serão expressos mediante nota global, atribuída após a arguição de todos os candidatos, devendo refletir o desempenho na arguição, bem como o mérito dos candidatos.

Parágrafo Primeiro – O mérito dos candidatos será julgado com base no conjunto de suas atividades, que poderão compreender:

I – produção científica, literária, filosófica ou artística;

II – atividade didática;

III – atividades de formação e orientação de discípulos;

IV – atividades relacionadas à prestação de serviços à comunidade;

V – atividades profissionais, ou outras, quando for o caso;

VI – diplomas e outras dignidades universitárias.

Parágrafo Segundo – A Comissão Julgadora considerará, de preferência, os títulos obtidos, os trabalhos e demais atividades realizadas após a obtenção do grau de doutor.

AVALIAÇÃO DIDÁTICA

A prova de avaliação didática destina-se a verificar a capacidade de organização, a produção ou o desempenho didático do candidato em sessão pública:

I – a Comissão Julgadora organizará uma lista de dez pontos com base no programa do concurso;

II – a Comissão Julgadora dará conhecimento dessa lista ao candidato, imediatamente antes do sorteio do ponto;

III – a realização da prova far-se-á vinte e quatro horas após o sorteio do ponto;

IV – o candidato poderá utilizar o material didático que julgar necessário;

V – a duração mínima da prova será de quarenta minutos e a máxima de sessenta (em nível de Pós-Graduação);

O candidato poderá propor a substituição de pontos, imediatamente após tomar conhecimento de seus enunciados, se entender que não pertencem ao programa do concurso, cabendo à Comissão Julgadora decidir, de plano, sobre a procedência da alegação.

Cada membro da Comissão Julgadora poderá formular perguntas sobre a aula ministrada, não podendo ultrapassar o prazo de quinze minutos, assegurado ao candidato igual tempo para resposta.

PROVA PRÁTICA

A prova prática consistirá em trabalho de projeto, ou trabalho experimental ou estudo de caso, reger-se-á pelas seguintes normas:

I – A Comissão Julgadora elaborará uma lista de no mínimo cinco temas, com base no programa do concurso, para subsequente sorteio, dando-se conhecimento aos candidatos antes do início da prova;

II – O candidato poderá propor a substituição de pontos, imediatamente após tomar conhecimento de seus enunciados se entender que não pertencem ao programa do concurso, cabendo à Comissão Julgadora decidir, de plano, sobre a procedência da alegação;

III – A prova terá duração máxima de 5 horas, contadas a partir do instante em que o candidato receber as especificações do trabalho a ser realizado, sendo livre a consulta à documentação desejada;

IV – Se o número de candidatos o exigir, eles serão divididos em grupos, observada a ordem de inscrição para fim de sorteio e realização da prova;

V – Os temas de natureza experimental devem ser compatíveis com os recursos disponíveis no Departamento;

VI – Na prova prática é permitida a utilização de computador, sujeita a explícita anuência da Comissão Julgadora, que deverá examinar o equipamento antes da realização da prova.

RESULTADO FINAL DO CONCURSO

  1. O resultado do concurso será imediatamente proclamado pela Comissão Julgadora, em sessão pública.

4.1.    Serão considerados habilitados os candidatos que alcançarem da maioria dos examinadores, nota final mínima sete.

4.2.    A Comissão Julgadora elaborará relatório final circunstanciado sobre o desempenho dos candidatos, justificando as notas.

COMISSÃO JULGADORA

5. A Comissão Julgadora será constituída por cinco professores, de nível igual ou superior ao do associado, indicados pela Congregação, por proposta do Conselho do Departamento, dos quais no mínimo um e no máximo dois da própria Unidade.

5.1. Assegurada à presença de no mínimo três membros estranhos à Unidade, para a composição das comissões Julgadoras do concurso de Livre-Docência, poderá ser indicado um docente aposentado da própria Unidade.

PROGRAMAS:

6. Os programas elaborados pelos Departamentos, bem como outras informações serão fornecidas no local de inscrição ou através de e-mail.

Informações e normas pertinentes ao concurso acesse o site www.usp.br/normas (Regimento Geral da USP);

Informações dos editais publicados acesse o site www.imesp.com.br

Contatos: e-mail: svorcc@poli.usp.br

 


 

 

RETIFICAÇÃO DO EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES AO CONCURSO DE TÍTULOS E PROVAS VISANDO A OBTENÇÃO DO TÍTULO DE LIVRE-DOCENTE, NOS DIVERSOS DEPARTAMENTOS DA ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO.

 

EDITAL- EP/Concursos – 022/2017

Excluem-se as especialidades abaixo relacionadas:

Departamento de Engenharia de Estruturas e Geotécnica – PEF:

4. Construções de Concreto.

 

Departamento de Engenharia Mecatrônica e de Sistemas Mecânicos – PMR:

1. Seleção de Materiais.

3. Projeto de Máquinas.

Departamento de Engenharia de Sistemas Eletrônicos – PSI:

1. Circuitos e Instrumentação.