Pesquisadores da Poli-USP buscam inovar para enfrentar a crise da covid-19

Conheça aqui as iniciativas de pesquisadores da Escola Politécnica da USP para ajudar a sociedade brasileira a enfrentar a pandemia de 2020 do coronavírus.

Pesquisadores da USP buscam os detalhes do que acontece no organismo de pacientes que tiveram casos graves da covid-19

Uma equipe de pesquisadores da Escola Politécnica (Poli) da USP está participando de uma pesquisa do INCOR e da Faculdade de Medicina (FM) da USP que busca identificar quais são os marcadores, ou seja, as substâncias que estão presentes em pequenas quantidades no sangue, em amostras de soro coletados de pacientes que desenvolveram a forma mais grade da covid-19. Por dominarem a técnica de espectrometria de massas, estes pesquisadores que atuam no Laboratório de Dempster, no Departamento de Engenharia Química da Poli, foram convidados a participar de uma pesquisa que pretende identificar os marcadores plasmáticos, coordenada pelo professor do INCOR e da Faculdade de Medicina (FM) da USP, Edécio Cunha Neto. Os cientistas utilizam equipamentos de ponta capazes de detectar e identificar moléculas de interesse por meio da medição de sua massa molecular.

Poli e HC projetam dispositivos para tratamento de pacientes com coronavírus

Projeto envolve a fabricação de dispositivos para acomodar pacientes com deficiência respiratória grave na posição de bruços. O professor Douglas Gouvêa, um dos organizadores da iniciativa, conta que foi constatado que a capacidade respiratória de doentes com deficiência respiratória grave melhora se este for colocado de bruços, sendo esse o caso dos pacientes com COVID-19 em estado grave nas Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs). Para acomodar o paciente de forma satisfatória, são necessários dispositivos para adaptação da posição, os chamados coxins.

Pesquisadores da Poli-USP desenvolvem ventilador pulmonar para enfrentar crise do COVID-19

Equipe de engenharia multidisciplinar criou um projeto de baixo custo, livre de patente, e de rápida produção, com insumos de fácil acesso no Brasil.

Estudo da Poli e MIT ajuda a diminuir risco de contágio por coronavírus usando simulações de fluxo de pessoas

Pesquisadores da Poli desenvolveram uma solução que transpõe um problema real para a matemática, utilizando um software para prever situações estatisticamente e, assim, buscar a identificação do melhor cenário. Essa iniciativa é um estudo do fluxo de pessoas em ambiente de trabalho mitigando o risco de contaminação por doenças infectocontagiosas (como o coronavírus), coordenado pelo professor do Departamento de Engenharia de Produção da Poli, Daniel de Oliveira Mota, e sua equipe, em parceria com pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos Estados Unidos.

Poli integra projeto da USP que testa materiais para produzir 1 milhão de máscaras para hospitais

Máscaras que irão para 8 mil profissionais de saúde têm eficiência de até 97% em reter vírus. Também começam testes de máscaras com tecidos de algodão de camiseta, para uso geral.