Poli na Mídia: CEO da P&G, Juliana Azevedo lembra cargo em outro país sendo mãe: “Fui julgada”

Foto: Helena Wolfenson

25/08/2020 – Se tivéssemos que escolher apenas uma palavra para definir Juliana Azevedo, certamente seria pioneira. Ela foi a primeira oradora mulher da Escola Politécnica, a faculdade de Engenharia da USP. Duas décadas depois, se tornou a primeira mulher a assumir o cargo de CEO no Brasil da Procter & Gamble, a gigante empresa norte-americana de bens de consumo, fundada em 1836.

Juliana, prata da casa da P&G, completa este mês dois anos à frente da empresa na qual iniciou sua carreira profissional. Sua formação é pouco ortodoxa: além de engenharia de produção na USP, concluiu direito tributário na PUC-SP. “Entrei nas duas faculdades ao mesmo tempo”, conta. “Comecei pela engenharia, aí vim trabalhar aqui e dei início ao direito à noite. Foi uma escolha acertada: a engenheira pensa com uma lógica mais definida; a advogada, com a lógica do ‘depende’.”

Leia o texto completo da revista Marie Claire aqui