“Falta cultura de segurança forte nas empresas”, diz especialista da Poli-USP

Veja aqui todos os artigos de opinião da Poli-USP.

Entrevista à Rádio USP

Professor da área de Engenharia de Minas afirma que tragédia de Brumadinho é um exemplo dessa precariedade

Em entrevista ao Jornal da USP no Ar, o professor Sérgio Médici de Eston, do setor de Engenharia de Minas da Escola Politécnica (Poli) da USP, afirma que Brumadinho se tornou mais um capítulo da triste crônica brasileira de tragédias anunciadas e aponta que o problema — que poderia ser evitado — está justamente na segurança. “Está, principalmente, no que eu chamo de ‘cultura de segurança das empresas’. E não é uma novidade no País, pois o Brasil não tem cultura de segurança. Aquelas empresas resolvem correndo os riscos maiores na área de engenharia e os riscos de engenharia são maiores que os riscos financeiros. No financeiro, se você fizer um mal negócio, você perde uns US$ 100 milhões. Mas o risco com obras de engenharia vai ser um crime ambiental e perdas de vidas. Esta falta de segurança permeia o Brasil: cai viadutos por falta de manutenção, não tem gerenciamento adequado de riscos, controles rígidos que não devem ser burlados.”