Estudantes da USP buscam doações para ajudar na luta contra a pobreza menstrual

A falta de acesso a recursos, infraestrutura adequada e escassez de conhecimento acerca de cuidados que envolvem a menstruação é comumente chamado de pobreza menstrual. Em situação de vulnerabilidade socioeconômica, as pessoas acabam utilizando itens inadequados e inseguros durante o ciclo menstrual, como pedaços de papel higiênico, retalhos de tecido, folhas de jornal e até miolos de pão.

Para auxiliar na segurança das pessoas que menstruam, a entidade de alunos da Escola Politécnica (Poli) da USP, a Poli Social, vende rifas para angariar fundos para obtenção de absorventes e artigos de higiene pessoal. A iniciativa tem a parceria do Projeto Absorver e as doações serão encaminhadas para a Casa Laudelina, centro de acolhimento a mulheres vítimas de violência. Os interessados em contribuir podem fazer doações por meio deste link e a cada R$10 doados equivalem a um número da rifa, que dá direito a concorrer a diversos prêmios.

Leia a matéria do Jornal da USP na íntegra.