Gestão de Lâmpadas Fluorescentes e Mistas

A Poli utiliza em torno de 3.000 lâmpadas fluorescentes/ano que, apesar de muito eficientes, são classificadas como “resíduo perigoso” pela NBR 1004/2004 e de acordo com a legislação precisam de tratamento específico e não podem ser dispostas como resíduo comum por possuírem componentes considerados perigosos à saúde. Assim, foi elaborado o processo de gestão identificando pontos de coleta, treinamentos, aquisição de coletores e contratação de serviço de coleta, descontaminação e destino final dos resíduos por empresa especializada.

As lâmpadas queimadas e quebradas são depositadas temporariamente nos coletores específicos em cada prédio e depois transferidas a um coletor de maior capacidade no Serviço de Manutenção e Obras para posterior descarte adequado ao final do semestre.

A responsabilidade dos “monitores” ficou em realizar a fiscalização das condições dos coletores, das quantidades de lâmpadas acumuladas e da disposição destas nos coletores até a destinação final destas. Assim como na gestão de pilhas, os “monitores” aqui também participaram, dos processos de seleção e contato com uma empresa responsável e certificada para receber as lâmpadas.

Atualmente coleta-se e envia-se para destinação correta uma média de 3.000 lâmpadas/ano, atingindo o objetivo desse projeto de zero lâmpadas fluorescentes e mistas descartadas em locais inadequados.

 

Equipe do Projeto

Coordenador
Prof. Dr. José Carlos Mierzwa
Gestor Camila E. Marinho
Monitores
Felipe Lebensold
Jonathan Koiti Shimoda
Renan de Azevedo Ruffo

Colaboradores do Projeto

 

Secretárias(os), recepcionistas, zeladores e administradores dos prédios
Funcionários do Serviço de Manutenção e Obras
Equipe de Limpeza
Seção de Veículos