Poli-USP utiliza impressoras 3D para produzir protetores faciais para profissionais de saúde

Um grupo de pesquisadores da Escola Politécnica (Poli) da USP, junto a voluntários de diversas áreas, está trabalhando com impressoras 3D para produção de suprimentos necessários para enfrentar a atual pandemia do COVID-19. O grupo aperfeiçoou um modelo para uma tiara de sustentação e está produzindo face shields — protetores faciais utilizados como equipamentos de proteção individual (EPI) pelos profissionais de saúde, que atuam na linha de frente na prevenção da doença. 

O professor da Poli, Eduardo Pellini, acredita que o modelo seja promissor para suprir a demanda emergencial desses equipamentos. O novo design levou em conta todos os requisitos do Ministério da Saúde, com contribuições de médicos e enfermeiros de hospitais, como do Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Entidades como o Hemocentro Mário Covas em Santo André, Pronto Socorro Central de Diadema, Hospital Cachoeirinha e Hospital de Embu já estão recebendo esses suprimentos. Mais de 10 outras instituições estão na fila para essa fornecimento.

Ainda segundo o professor Eduardo Pellini, é possível fazer um face shield por hora em cada impressora. No momento, o grupo conta com mais de 18 impressoras e busca outros voluntários. O custo de fabricação está entre R$3,50 e R$5,00 por unidade. Os protetores estão sendo distribuídos gratuitamente aos hospitais públicos interessados. Todo o financiamento do projeto tem sido obtido por meio de doações, campanhas de financiamento coletivo e, recentemente, através de apoio financeiro do Fundo Patrimonial Amigos da Poli.

Um trabalho feito a muitas mãos – Criado e organizado pelo aluno de pós-graduação da Poli, Alain Nascimento Guimarães, o grupo é integrado pelos professores da Poli Eduardo Pellini , Renato Monaro, Bruno Angélico  e Henrique Moriya. Com mais de 45 outros colaboradores, integram o projeto pesquisadores do Laboratório de Pesquisa em Proteção e Automação de Sistemas Elétricos (L.PROT), do Laboratório de Redes Elétricas Avançadas (L.GRID), o Laboratório de Automação e Controle (LAC) e o Laboratório de Engenharia Biomédica (LEB) dos Departamentos de Energia e Automação Elétricas (PEA) e Telecomunicações e Controle (PTC) da Escola Politécnica da USP, junto de um grupo de makers e voluntários, que inclui alunos de graduação e pós-graduação da Poli e MAUÁ, e profissionais diversos.

Contato para informações: egroup.covid19@gmail.com

Site: https://www.poli.usp.br/faceshields