FORMANDO ENGENHEIROS E LÍDERES

Programa prevê também aulas por videoconferência de universidades brasileiras

Um evento realizado na Escola Politécnica da USP na segunda-feira, dia 29 de fevereiro de 2016, marcou o lançamento de um programa colaborativo de pós-graduação que envolverá cinco universidades japonesas e quatro brasileiras, específico para área de Engenharia Naval e Oceânica. Uma delegação das universidades de Tóquio, Nacional de Yokohama, de Nihon e de Kuyushu foi recepcionada pelo diretor da Poli-USP, professor José Roberto Castilho Piqueira, e pelos professores do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Naval e Oceânica da Escola.

O professor Toru Sato, da Universidade de Tóquio, apresentou suas propostas pedagógicas sobre o curso colaborativo. Segundo ele, as aulas serão oferecidas por meio de um sistema de videoconferência específico para oferecer interatividade, e o horário será às 8h da manhã do Brasil e às 20h no Japão, devido ao fuso horário. Os semestres letivos se iniciarão em abril e setembro, e os alunos que completarem os créditos receberão um certificado conjunto com o nome das universidades. Segundo o professor, haverá espaço também para intercâmbios curtos, de três semanas. Depois da apresentação do plano pedagógico, outros professores e pesquisadores apresentaram suas linhas de pesquisa.

O curso será iniciado em abril, e todos os estudantes de pós-graduação das Escolas e Universidades integrantes do acordo poderão participar do programa, que terá diversas disciplinas com formatação diferente das convencionais. Participam da iniciativa as seguintes universidades brasileiras: USP, Unicamp, UFRJ, UFPE e UFSC. O projeto faz parte de uma iniciativa do Ministério da Educação do Japão para apoiar a formação de programas colaborativos com as universidades latino-americanas. Segundo o professor Kazuo Nishimoto, do Departamento de Engenharia Naval e Oceânica da Poli-USP, este curso faz parte da proposta que a Universidade de Tóquio está organizando envolvendo diversas universidades brasileiras e japonesas que tenham programa de pós-graduação ou de graduação com foco na Engenharia Naval e Oceânica. “A ideia é aumentar a gama de disciplinas atualizadas que possam cobrir as demandas cada vez mais diversificadas nesta área. Como o Brasil vem mostrando diversas teses e dissertações (papers) de alto nível na área de Engenharia Oceânica, especificamente em exploração e produção de petróleo e gás no mar, eles escolheram como principal parceiro”.

Outras informações com o Programa de Pós-Graduação em Engenharia Naval e Oceânica, pelo site http://www.pnv.poli.usp.br/posGraduacao.php

Print Friendly, PDF & Email