Alunos de escola pública desenvolvem projeto no Tanque de Provas Numérico

Jovens da Escola Técnica Estadual de São Paulo participaram de Programa de Pré-Iniciação Científica da USP

No dia 7 de março, um grupo de 11 alunos da Escola Técnica Estadual de São Paulo (ETESP) apresentou o resultado do seu projeto no Programa de Pré-Iniciação Científica (Pré-IC) para o então diretor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP), professor José Roberto Castilho Piqueira. O Pré-IC é desenvolvido na Poli-USP desde 2007, e estes alunos participaram de uma proposta específica, na qual puderam trabalhar em equipe, ao longo de um ano, no Tanque de Provas Numérico (TPN-USP), um laboratório de simulações da Escola, de renome internacional.

Os estudantes Gabriel Obmerga, Jou Kuroda, Leticia Pacheco Ferras de Arruda e Oliveira, Lídice Valeriana Oliveira Diop, Marco Aurélio Condé Oliveira Prado, Mateus Arcanjo Lino, Mateus Yabe, Matheus Tadeu Rabelo Querino, Thiago Souza Costa, Tiago Correia de Lima e Victor Hideaki Uehara, que cursam a  terceira série do ensino médio integrado ao técnico em informática, desenvolveram um “Sistema de Gerenciamento de Projetos com Agendamento e Chat Integrados” para o laboratório, com a orientação de professores da ETESP e da Poli-USP.

O professor Kazuo Nishimoto, coordenador-geral do TPN-USP, propôs um projeto de desenvolvimento de aplicativo à Pró-Reitoria de Pesquisa da USP, em 2017, e obteve aprovação para conceder bolsas integrais a todos os participantes. Os alunos desenvolveram um software multimídia para múltiplas plataformas, que podem ser acessados em computadores e aparelhos móveis, para que os pesquisadores do TPN possam planejar suas atividades remotamente, de maneira que toda a equipe possa acompanhar em tempo real quais experimentos estão sendo realizados no laboratório. O docente explica que o desenvolvimento do projeto teve três objetivos. “Quisemos, além de trazer os alunos de ensino médio técnico para a Poli, mostrar a eles quais são as pesquisas desenvolvidas na Escola, e incentivá-los a ingressarem na nossa instituição”.

O professor da ETESP e coordenador do curso técnico em informática da instituição, Luiz Ricardo Souza, conta que a ideia de participar do Programa surgiu como uma maneira de incentivar os alunos a conhecerem a carreira acadêmica. O Pré-IC foi uma oportunidade neste sentido. O docente relata que os alunos puderam ver a aplicação, na realidade, do que aprendem em suas aulas de Análise de Sistemas. “Com este projeto, eles tiveram que levantar os requisitos, entender a necessidade do usuário, e desenvolver o sistema. Eles viram toda a teoria em aulas, e aqui a exercitaram na prática. Além disso, a  capacidade analítica e a habilidade de trabalhar em grupo também se desenvolveram”. Souza considera que os estudantes são grandes vencedores, pois apesar de realizar 19 matérias por semana, eles conseguiram concluir o projeto proposto. “Como visão de mundo, eles conheceram como é a Universidade, e o seu funcionamento. Uma coisa é estar em um banco escolar de um nível secundário, outra coisa é estar em uma universidade. Eles ganharam autonomia e aprenderam a buscar o conhecimento de maneira proativa”, ressalta.