FAQ da Graduação: A Poli está Online

(atualizado 11/05/2020)

Mensagem da Diretoria

A Diretoria e a CG estão trabalhando para que todos estudantes de graduação da Poli não percam contato com o conhecimento, que possam fazer exercícios e outras atividades, dando continuidade à sua vida acadêmica e com isso promovendo esperança e acreditando no futuro. Isso é de uma riqueza exemplar, se transformando possivelmente em um pilar de sustentação emocional no seu ambiente familiar.

Existem estudantes vulneráveis para os quais a Poli, com o apoio da AEP e do Grêmio, está disponibilizando computadores e acesso à internet. Contamos com o apoio e compreensão de todos os nossos professores para possibilitar que nenhum estudante seja prejudicado pelas circunstâncias que no momento enfrentamos.

FAQ da Fase 2

(atualizado 11/05/2020)

De acordo com a divulgação do “FAQ da Fase 1” disponibilizado logo abaixo neste site em 1º de abril de 2020, a Poli, com base nas diretrizes COVID-19 da PRG e demais orientações do Estado, identificou três fases para o período letivo. A fase 2, assim como a fase 1, está compreendida dentro do período de Pandemia.

Durante a fase 1, a Poli tomou todas as ações possíveis para incluir estudantes que não tinham acesso remoto ou computador, visando atingir o maior número possível e resguardar àqueles que mesmo assim ficarem sem acesso remoto que eles não sejam prejudicados.

A fase 2, iniciada em 04/05/2020, é a fase onde os professores podem aplicar avaliações para nota. A recomendação da Diretoria, da CG e das CoCs/CCB da Poli é que todas as disciplinas apresentem um plano de ação para aqueles estudantes que por motivo de força maior não possam realizar as avaliações, de maneira que não sejam prejudicados.

A fase 3 está compreende o período de Pandemia em que haverá o retorno às atividades presenciais dentro da Universidade. Os detalhes sobre esta fase serão divulgados oportunamente.      

A Pró-Reitoria de Graduação da USP (PRG):

  • identificou que 97% das disciplinas da Poli, e 90% de toda a USP, continuaram suas atividades acadêmicas após a quarentena.
  • Estabeleceu que aulas e atividades que são essencialmente práticas, e que só podem ser ministradas de forma presencial, deverão ser repostas após a retomada das atividades presenciais.
  • Regulamentou que a data limite para trancamentos em disciplinas passou a ser 20 de junho de 2020.
  • Manteve o período de matrícula para o 2º semestre (1ª interação) de 22 a 29 de junho de 2020.
  • Além da ação da Poli em parceria com a AEP e o Grêmio, os órgãos centrais da USP também disponibilizaram kits internet para estudantes da Poli qualificados no Programa de Apoio à Permanência e Formação Estudantil da USP.
  • Autorizou formalmente (resolução 7949 de 27-04-2020) no âmbito da graduação da Universidade de São Paulo, em caráter excepcional, a substituição das aulas, avaliações e atividades presenciais, do ano letivo de 2020, por equivalentes que utilizem meios e tecnologias de informação e comunicação.
  • Estabeleceu nessa mesma resolução que “o pré-requisito, de qualquer natureza, exigido em disciplinas ficam suspensos para o ano letivo de 2020”.
  • Adicionalmente estabeleceu que “deverá ser observada reposição prioritária e condensada das atividades acadêmicas para os alunos com conclusão do curso prevista para o primeiro semestre do ano letivo de 2020”. 

Sim. No entanto é preciso seguir as diretrizes da Diretoria e CG apresentadas no item 4. Essas diretrizes visam orientar os professores na elaboração de avaliações específicas e sugerir àqueles que não possuem experiência com avaliações remotas. Deve-se tomar muito cuidado com avaliações síncronas (online) pois muitos estudantes reportam conexões instáveis.

  • A Pró-Reitoria de Graduação autorizou o professor a aplicar métodos e critérios de avaliação diferentes dos previstos nas ementas. Assim, pode-se substituir as provas tradicionais por trabalhos, seminários, projetos, etc. O professor deve comunicar à CoC/CCB o método e o critério de avaliação a ser utilizado e deve comunicar formalmente aos estudantes por meio do e-Disciplinas ou AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem) equivalente que estiver sendo utilizado.
  • As diversas CoCs/CCB irão coordenar as avaliações dentro de seu âmbito no período estipulado pela Diretoria e CG, inclusive harmonizando as datas e horários das avaliações. Portanto, todos os processos de avaliação devem ser combinados com a CoC do se curso ou CCB (se for o caso) com antecedência. Deve-se ter muito cuidado para não haver sobreposição ou excesso de avaliações em um mesmo dia. As avaliações que não valham nota não precisam ser coordenadas pela CoC/CCB.
  • Em disciplinas com mais de uma turma e docentes diferentes, a equipe deve adotar o mesmo método de avaliação para a disciplina, e não para cada turma.
  • As datas, horários e duração das avaliações devem ser combinadas e agendadas pela CoC/CCB para que não haja sobreposição ou excesso de avaliações em um mesmo dia. Nesse sentido, assim que for divulgado este FAQ, o professor deve agendar com a CoC/CCB, preferencialmente ouvidos os representantes discentes (RDs), a melhor data para realizar a avaliação. Aguarde a concordância da CoC/CCB do seu curso para divulgar a data aos estudantes.
  • Passamos a fase de inclusão (fase 1) e na fase 2 os estudantes que forem exceções deverão ser tratados especificamente. Assim, o professor deve ter um plano de ação para identificar rapidamente os estudantes com dificuldade em realizar a avaliação remota e definir como tratará esses casos (se houver), lembrando que nenhum estudante pode ser prejudicado por motivo de força maior, como falha de conexão remota ou inadequação de infraestrutura. Esses casos devem ser tratados de imediato (não por meio de Subs, RECs ou equivalentes) de comum acordo com a CoC/CCB do seu curso. Uma forma de identificar antecipadamente se os estudantes estão acessando o AVA é extrair um relatório (log) de acesso que todo professor pode extrair no e-Disciplinas (opção participantes, mostrar todos os participantes).
  • Estudantes que não tiverem acesso remoto permanente durante a avaliação ou local adequado para realizar as avaliações devem comunicar imediatamente ao professor e a coordenação da CoC/CCB por e-mail.

Não. As avaliações durante a fase 2 deverão ocorrer no período de 13/05/2020 a 02/06/2020, em horários definidos pelas CoCs/CCB. O Ciclo Básico deve seguir um calendário específico de avaliações que será do dia 27/05/2020 a 02/06/2020. Outros períodos para aplicação de avaliações (se o professor planejar mais que uma avaliação) serão definidos pela CoC/CG, mas isso dependerá do desenrolar do período de quarentena. Já os procedimentos para avaliações durante a fase 3 serão divulgados posteriormente.

Sim, o seu professor, após a concordância da CoC/CCB do seu curso, deve fazer o comunicado com pelo menos uma semana de antecedência. A CoC e a CCB também irão divulgar o calendário com as datas de todas as avaliações.

Problemas de saúde, problemas de conexão com a internet ou de local inapropriado durante a realização da avaliação ou em sua submissão, falha no sistema onde está sendo aplicada a avaliação, dentre outros. Por esse motivo o professor deve planejar suas avaliações de maneira a minimizar esses problemas (p.ex. com entrega de trabalhos, etc.) e deve ter sempre um plano de ação para os estudantes que não tiverem acesso remoto adequado e que não podem ser prejudicados por isso.

Uma possibilidade para estes casos é aplicar para esses estudantes uma avaliação de reposição logo após detectado o problema. Mesmo para as disciplinas em que a avaliação substitutiva estava prevista, deve-se também garantir que o estudante faça uma outra avaliação logo na sequência da ocorrência. Não se deve resolver o problema desses estudantes no “default”, ou seja, aplicar avaliação substitutiva ou REC ao final do semestre. Lembre-se também que esse plano de ação deve ser combinado com a CoC ou CCB.

Entre imediatamente em contato por e-mail com o professor da disciplina e com a CoC ou CCB, justificando o porquê não conseguiu realizar a avaliação. Lembre-se, sua justificativa só será aceita desde que você se enquadre em problemas citados no item 7 deste FAQ ou equivalentes.

Utilizar o e-Disciplinas (ou AVA equivalente) é a melhor maneira. A CG está preparando um documento com dicas de como realizar essas avaliações.

A CG e as CoCs está disponibilizando um passo a passo preparado pelo PMR-EPUSP sobre como utilizar o e-Disciplinas para elaborar avaliações à distância.

Sim. Primeiramente, as avaliações remotas podem ocorrer de forma assíncrona (offline) ou síncrona (online). No caso da avaliação assíncrona (offline), o estudante precisa apenas se conectar para baixar as instruções e para entregar a avaliação, em um horário à sua escolha dentro do período estipulado pelo professor. Cabem nessa catergoria trabalhos, projetos, seminários ou atividades similares e provas teste ou provas escritas (texto ou numérico) que tenham prazo para entrega maior que o horário da aula. Nesses casos, oferecemos algumas sugestões:

  • Prova (teste ou escrita) assíncrona com prazo para entrega:
    • aplicar de acordo com a agenda da CoC/CCB ou na ausência desta em comum acordo com a turma
    • adotar ferramentas como e-Disciplinas (ou AVA equivalente);
    • o professor deve ter um caminho de comunicação instantânea (como e-mail ou WhatsApp) para minimizar problemas;
    • no caso de avaliação escrita, pode ser manuscrita com upload da foto da prova (mais segura) ou pode ser feita no formato pdf (editor de texto, planilhas, programação, etc);
    • ter um professor e/ou um técnico de plantão durante o período de aplicação da avaliação para dar suporte em eventuais falhas no sistema que podem ocorrer durante a sua realização ou durante a submissão.
  • Trabalho ou projeto assíncrono:
    • adotar ferramentas como e-Disciplinas (ou AVA equivalente);
    • pode ser individual ou em grupo;
    • a entrega pode ser no formato de um relatório;
    • recomenda-se que uma parcela da avaliação seja individual.
  • Seminário assíncrono:
    • adotar ferramentas como e-Disciplinas (ou AVA equivalente);
    • pode ser individual ou em grupo;
    • entrega no formato de vídeo;
    • recomenda-se que uma parcela da avaliação seja individual.

A avaliação síncrona (online) é aquela em que o estudante precisa estar conectado em tempo total (ou parcial) durante um horário específico e limitado para realizar a avaliação. Como regra, tal avaliação deve ser aplicada no horário de aula ou como definido pela CoC/CCB. Neste caso, deve ser cercada de cuidados pois os estudantes podem perder a conexão e serem prejudicados. Assim, pense se, na sua disciplina, você não pode privilegiar avaliações assíncronas (offline).

No caso da avaliação síncrona (online), algumas sugestões são: avaliação continuada, prova oral, provas “teste” e escrita (texto ou numérico). No entanto, muitos cuidados devem ser tomados para aplicar essas avaliações síncronas. Nesse sentido, recomenda-se no mínimo seguir as orientações:

  • Avaliação continuada síncrona:
    • Deve demandar pouquíssimo tempo
    • aplicar com regularidades previsíveis (uma por aula) no horário da aula, sem extrapolar esse horário, mas com alguma tolerância para entrega dentro da aula.
    • o critério de avaliação previsto anteriormente à Pandemia pode ser utilizado, distribuindo os pesos de cada avaliação continuada para cada prova prevista originalmente ou defina um novo critério de avaliação comunicando a CoC/CCB e divulgue-o antecipadamente aos estudantes pelo e-Disciplinas.
  • Prova oral:
    • ideal para turmas pequenas e médias;
    • pode ser individual ou em grupo;
    • agendar um horário para cada estudante ou grupo de estudantes;
    • mesmo no caso de prova em grupo, uma nota deve ser alocada a cada integrante do grupo;
    • aplicar de acordo com a agenda da CoC/CCB ou na ausência desta no horário da aula, respeitando esse horário. Em especial, caso sua disciplina seja do ciclo básico, aplicar de acordo com o calendário de avaliações definido pela CCB.
  • Prova “teste” síncrona:
    • adotar ferramentas como e-Disciplinas ou (AVA equivalente);
    • montar um banco de questões (em geral 3 vezes mais questões do que o número previsto para a avaliação) e utilize a opção de embaralhamento de perguntas e respostas para minimizar o risco de trocas de informações;
    • atribuir tempo para cada pergunta;
    • ter um professor e/ou um técnico de plantão no momento em que for aplicada para dar o suporte aos estudantes em eventuais falhas no sistema;
    • aplicar de acordo com a agenda da CoC/CCB ou na ausência desta no horário da aula e respeitar o horário de aula. Caso sua disciplina seja do ciclo básico, aplicar de acordo com o calendário de avaliações definido pela CCB.
  • Prova escrita síncrona:
    • adotar ferramentas como e-Disciplinas (AVA equivalente);
    • sugerir que o estudante abra a câmera em algum momento do processo de avaliação. Não se recomenda ter mais que quatro câmeras abertas ao mesmo tempo por restrições de banda de conexão;
    • pode ser manuscrita com upload da foto da prova (mais segura) ou pode ser feita no formato pdf (editor de texto, planilhas, programação, etc);
    • o professor deve monitorar o sistema para eventuais dificuldades que o estudante venha a ter;
    • aplicar de acordo com a agenda da CoC/CCB ou na ausência desta no horário da aula. Caso sua disciplina seja do ciclo básico, aplicar de acordo com o calendário de avaliações definido pela CCB. 

Não. No entanto, recomenda-se deixar o mínimo de pendências para a fase 3 para não sobrecarregar o estudante ao final do período, durante a fase 3. Lembre-se, há várias formas de avaliar o estudante como testes, trabalhos, projetos e seminários, podendo ser em grupo ou individual, não se limitando apenas ao método de avaliação do tipo prova.

Não. Não é necessário aguardar o período das próximas avaliações. O professor pode, tendo conversado com a turma e tendo a concordância da CoC/CCB, aplicar as demais avaliações para finalizar a disciplina. 

Não. Não será permitida nenhuma atividade presencial inclusive avaliação presencial na fase 2. As disciplinas que considerarem indispensável aplicar avaliações presenciais devem aguardar a fase 3, quando do retorno das atividades presenciais.

Para enviar sua sugestão ou pergunta clique aqui.

FAQ da Fase 1

(atualizado 01/04/2020)

Não. Pararam as aulas presenciais. Os cursos seguem em frente, com as adaptações necessárias. A Poli manterá toda a comunidade politécnica atualizada sobre as questões de graduação através deste FAQ. Estas informações serão constantemente atualizadas.

A Poli está seguindo as orientações da Pró-Reitoria de Graduação (PRG) da USP. É importante ressaltar que o item 8 das diretrizes COVID-19 da PRG estabelece que a exequibilidade de atividades de graduação deve ser avaliada pela Unidade (Diretoria), Comissão de Graduação (CG) e Comissões de Curso (CoCs) de forma a garantir que os estudantes tenham as mínimas condições de realização dessas atividades.A Poli está utilizando o conceito de Período Letivo, que pode ou não estar totalmente compreendido no 1º semestre de 2020. Desta maneira, dependendo das orientações do Governo do Estado de São Paulo e da PRG da USP, este período letivo pode se estender ou não além do 1º semestre de 2020. Da mesma maneira, os períodos letivos subsequentes podem sofrer ajustes adicionais.

A Poli, com base nas diretrizes COVID-19 da PRG e demais orientações do Estado, identificou três fases para este período letivo. A fase 1 e a fase 2 estão compreendidas dentro do período de Pandemia em que há medidas de isolamento social e a fase 3 em que há o retorno às atividades presenciais dentro da universidade.

A Fase 1 visa disponibilizar acesso à internet e computadores ou similares a todos os estudantes da Poli. A previsão da Diretoria é que isso ocorra até o início de maio. Nesse período, a orientação é não estabelecer prazo final para entregas de atividades ou realizar avaliações para fins de nota dentro deste período. Caso o docente identifique que isto é imprescindível, ele deve encaminhar uma solicitação à CoC ou à Comissão do Ciclo Básico (CCB) para obter a autorização. Também, nessa fase, o controle de frequência deve ser exercido com extremo cuidado, pois estudantes sem acesso ou com restrição de acesso às atividades online não podem ser prejudicados. Todos que puderem contribuir com equipamentos (desktop, notebook, tablet) entrem em contato com a Associação dos Engenheiros Politécnicos (AEP).

Fase 2, ainda no período de Pandemia, mas com todos os estudantes em condições de acessar o material disponibilizado online e também aulas ou conferencias online, onde pode-se solicitar a entrega de trabalhos (e outros meios de avaliação) de forma online. Note que isso deverá ser feito de maneira a garantir a segurança e a rastreabilidade do processo avaliativo. Provas, no sentido tradicional que as fazemos (iguais a todos os estudantes), quando aplicadas online são facilmente fraudadas, prejudicando os demais estudantes. Por precaução, a Diretoria da Poli estabeleceu que durante a Fase 1 e a Fase 2 esse tipo de prova não poderá ser aplicado.

Fase 3, após o período de pandemia as avaliações poderão ser feitas por meio de provas tradicionais. O planejamento e o cronograma de provas serão realizados pela CCB ou pela CoC do seu curso.

Entre em contato com o representante discente (RD) ou coordenador da CoC do seu curso, ou ainda, com o coordenador da Comissão do Ciclo Básico (CCB), para orientação (Contato). A Diretoria também está à disposição para esclarecimentos.A Poli está empenhada em garantir acesso à internet e equipamento para os estudantes sem recursos próprios, isto é essencial para avançarmos para a Fase 2.
Estamos em um período de exceção. Assim como você, seu professor está tentando fazer o melhor possível. A Diretoria, a CG e as CoCs estão entrando em contato com cada um dos coordenadores de disciplinas para esclarecer os pontos apresentados no item 3 deste FAQ.
Como linha geral, o professor pode solicitar entregas na Fase 1 desde que ele receba daqueles não presentes depois da Fase 1, ou seja, na Fase 2 ou mesmo na Fase 3. O professor deve comunicar claramente a todos estudantes (portanto não só na aula online mas principalmente no site da disciplina) e à sua CoC quais as medidas adotadas pela disciplina.
Para auxiliar nesse processo de esclarecimento, o que você pode fazer é enviar um e-mail ao RD ou coordenador da sua CoC ou da CCB (se for o caso) para obter os devidos esclarecimentos.
Se você não tiver a autorização de sua CoC para fazer isso, sim. Mas tranquilize-se, é um momento de exceção e o importante é trocarmos informações e coordenar as ações. Entre em contato com o coordenador de sua CoC o mais rápido possível para orientações e normalização da situação de sua disciplina. Isso evita desgastes para todos os envolvidos.
As aulas online serão obrigatoriamente no mesmo horário da grade horária original de cada turma para evitar conflitos de horários entre disciplinas e com outras atividades que os estudantes tem, por exemplo à noite. No caso de dúvida a grade oficial é aquela no sistema Jupiter, valendo turma a turma.
Sim. A efetividade das aulas online depende da participação dos estudantes. No entanto, durante a Fase 1 explicada no item 3 deste FAQ, o controle de frequência deve ser exercido com muito cuidado, pois estudantes sem acesso às aulas online não podem ser prejudicados. Note que a dificuldade de acesso às aulas online síncronas não se restringe apenas aos estudantes que não tem nenhum acesso à internet. O acesso às aulas online, no modo síncrono, exige uma conexão de internet muito melhor do que para atividades online assíncronas como por exemplo entrega de trabalhos ou acesso ao e-Disciplinas. Existem muitos relatos de estudantes da Poli que tem acesso à internet mas, no entanto, quando seus pais também estão trabalhando online em casa a conexão internet é perdida. Como referência, uma comunicação apenas por áudio ocupa 10 vezes menos banda que comunicação por vídeo ou compartilhamento de tela e ambas escalam linearmente com o número de participantes. Uma conexão ao e-Disciplinas é muito mais leve que os casos citados anteriormente.
Também é importante ressaltar que no ambiente online a frequência deve considerar a participação, não só na aula online síncrona como também em outras atividades, como entrega de trabalhos, participação em fóruns, quizzes e enquetes, etc.
É importante que os estudantes com dificuldade de acesso ou que não tenham como acessar as aulas online, entrem em contato por e-mail com o coordenador da CoC do seu curso ou com a CCB do Biênio (se for o caso) para explicar suas dificuldades. É recomendável também enviar o e-mail com cópia aos professores das disciplinas que o estudante estiver cursando.
Não. A Semana Santa será utilizada para que os estudantes que não tiveram acesso desde o primeiro momento ao conteúdo online possam se colocar em fase. Esta semana também dará uma oportunidade para que os professores façam ajustes e troquem experiências sobre o uso intensivo de recursos online.
Recomendamos aos professores que criem, no e-Disciplinas (ou AVA similar), uma lista de presença ou enquete (modelo) para cada aula que deverá ficar aberta pelo menos uma semana. Outra maneira de aferir presença é solicitar que os estudantes postem mensagens ou soluções de exercícios em um forum garantindo que aqueles que não puderem acompanhar a aula online e, portanto, não conseguirem fazer a postagem sincronamente no fórum, possam fazer a postagem depois, mas justificando a sua ausência. A justificativa deverá ser enviada ao e-mail ao professor com cópia para o coordenador da CoC do curso. Este feedback pode nos ajudar a entender as dificuldades de acesso, quantificar e atender aos estudantes.
Muitas disciplinas podem utilizar a entrega de trabalhos como modo de aferir frequência, sempre respeitando os procedimentos mencionados no item 3 deste FAQ.
Outras formas de controle podem ser sugeridas pelo professor, no entanto devem ser validadas junto a CoC do seu curso ou a CCB.
Pelo e-Disciplinas (ou AVA similar), como já era feito em muitas disciplinas antes da Pandemia.
Caso sua disciplina não esteja no e-Disciplinas (ou AVA similar) entre em contato com a CoC do seu curso ou, se for o caso, com a Comissão do Ciclo Básico. Você pode também entrar em contato com a equipe de TI da Escola Politécnica.
Há várias alternativas de software para aulas online, como o MConf do e-Disciplinas, o Google Meet e o Zoom, entre outros. A escolha é feita pelo professor, que informará os estudantes pelo e-Disciplinas. As CoCs podem compartilhar as boas práticas de aulas online entre os professores de cada curso.
 
O MConf (BigBlueButton) é um software para aulas online e faz parte do e-Disciplinas e dessa maneira é possível identificar quem entrou para a aula. Ele foi atualizado nas últimas semanas e permite fazer gravações das aulas e fazer perguntas para votação online (enquete, quiz).
 
O Google Meet é um software para reuniões e está incorporado ao G-suíte que temos acesso via USP, e também funciona muito bem para aulas.
 
O Zoom junta as funcionalidades do Mconf e do Google Meet, é um software pago, mas brevemente a Poli vai disponibilizá-lo para os professores que estiverem interessados.
Sim. A maioria dos softwares para aulas online permite compartilhar sua tela com os participantes. Para compartilhar seus slides na aula online basta iniciar a apresentação dos slides em modo de compartilhamento de tela. No “compartilhar tela”, o professor pode usar qualquer software instalado em seu computador (editores, planilhas, simuladores, paint etc).
Deixe o Chat (bate papo) sempre visível para você reagir rapidamente a uma pergunta ou comentário dos estudantes (por vezes, a apresentação do PowerPoint encobre o Chat para o apresentador). No compartilhamento de tela, a banda de comunicação aumenta e pode causar lentidão. Uma forma rápida de verificar se está havendo atraso de comunicação por limitação de banda de comunicação é verificar se os chats postados estão aparecendo para você com atraso (latência).
Alguns softwares para aulas, como o WConf do e-Disciplinas, permitem que você carregue a apresentação no próprio software para aulas. Isso reduz a banda de comunicação e permite que a aula seja gravada slide a slide (no lado esquerdo da gravação aparecem os slides e você pode ir direto á gravação de cada um deles).
O professor deve recomendar aos estudantes que desliguem seus microfones e só abram a câmera ou microfone se forem falar ou apresentar alguma imagem, geralmente através da mediação do professor.
Uma aula gravada não é o mesmo que uma aula tradicional, pois não há interação estudante-professor. Entretanto, elas são um recurso didático relevante, que pode ser utilizado nas etapas pré-, durante ou pós-aula (vide item 25 do FAQ).
Durante a aula online o professor pode utilizar trechos de videos gravados de acordo com sua didática.
A aula gravada também é muito interessante como recurso pré-aula se você utilizar a aula online para tirar dúvidas, desenvolver exercícios conjuntamente, inclusive com perguntas e respostas, ou desenvolver aplicações dos conceitos apresentados na aula gravada.
Alguns softwares para aulas, como o WConf do e-Disciplinas, permitem que a aula seja gravada slide a slide se os slides estiverem carregados no próprio software. Se o professor gravar a aula antecipadamente, ao assistir a gravação, os slides aparecerão do lado esquerdo e pode-se assistir imediatamente aquele slide que foi selecionado.
Os professores também podem utilizar vídeos de outras pessoas, desde que sejam de domínio público. Estudantes podem ajudar a localizar e sugerir vídeos interessantes para uso nas disciplinas.
Não é obrigatório. Recomendamos a todos os professores que gravem suas aulas para serem disponibilizadas de forma assíncrona ou offline àqueles estudantes que encontrem dificuldades em acessá-las de maneira síncrona.
O acesso às aulas online, no modo síncrono, exige uma conexão internet muito melhor do que para atividades online assíncronas como por exemplo entrega de trabalhos ou acesso ao e-Disciplinas. Existem muitos relatos de estudantes da Poli que tem acesso à internet mas, no entanto, quando seus pais também estão trabalhando online em casa a conexão de internet é perdida. Como referência, uma comunicação apenas por áudio ocupa 10 vezes menos banda que comunicação por vídeo ou compartilhamento de tela e ambas escalam linearmente com o número de participantes. O compartilhamento de tela e vídeo simultâneos aumenta ainda mais a necessidade de banda de comunicação. Uma conexão ao e-Disciplinas é muito mais leve que os casos citados anteriormente.
A gravação pode ser feita por qualquer ferramenta, como por exemplo Mconf, Zoom ou Google Meet (mencionadas no item 13 deste FAQ), durante a transmissão ao vivo ou podem ser gravadas antecipadamente e disponibilizadas aos estudantes como mencionado no item 15 deste FAQ.
Cada software para aulas online descritos no item 13 dese FAQ salva as aulas em locais distintos. No caso do Google Meet ele salva no seu google drive no formato mp4. No caso do Wconf ele salva em um servidor USP, que não é no formato mp4.
Se você gravar a aula em outro software, a USP dispõe de um portal para videoaulas, o e-Aulas, que já possui em seu repositório mais de 10 mil aulas disponibilizadas e conta com a vantagem de realizar o cadastro automático dessas videoaulas como produção docente junto ao SIBi. No e-Aulas é possível modificar e substituir essas videoaulas quando quiser.
Outra alternativa é disponibilizar em plataformas como o youtube ou vimeo. Nessas plataformas o acesso é público e você não consegue fazer uma reposição de vídeo (você destrói e cria outro), o que gera um novo link para o seu vídeo. Isto cria dificuldades pois você precisa alterar o endereço em todos os locais que você referenciou esse vídeo. Em muitas dessas opções você pode controlar o acesso e mesmo permitir que apenas determinados estudantes tenham acesso.
Sim, como em um curso presencial. O professor pode solicitar trabalhos individuais e/ou em grupo com entrega pelo e-Disciplinas. Como mencionado no item 3 deste FAQ, a entrega de atividades para atribuição de nota só deverá ser feita na Fase 2, sendo que em casos específicos a CoC do curso poderá autorizar a entrega durante a Fase 1, conforme mencionado no item 6 deste FAQ
As disciplinas com atividades práticas exigem uma dinâmica envolvendo uso de equipamentos e atividades em grupos presenciais. Algumas destas atividades podem ser demonstradas em vídeo, o que encorajamos. Outras, precisam ser realizadas presencialmente. Estas atividades presenciais serão planejadas pelas disciplinas em conjunto com as CoCs e somente serão concluídas durante a Fase 3, a ser liberada pela PRG.
Depende da disciplina e do professor. O professor pode, com a concordância da CoC do curso ou, se for o caso, da CCB, aplicar métodos de avaliação diferentes dos previstos nas ementas visando substituir as provas tradicionais. Estas atividades de avaliação serão autorizadas apenas a partir de uma data a ser definida pela Diretoria (início da Fase 2, descrita no item 3 deste FAQ), e deverão ser claramente comunicadas aos estudantes por meio do e-Disciplinas. Provas presenciais, se forem mantidas, serão aplicadas somente após o retorno às atividades presenciais e devem ser agendadas pela CoC do curso ou CCB (Fase 3 – ver item 3 deste FAQ).
Os estágios também serão regulados pelas CoCs. Evidentemente, no período de quarentena, os estudantes devem ficar em casa, não podendo exercer atividades de estágio presencialmente nas organizações e nem mesmo na Universidade. Muitos estágios, porém, podem ser realizados na modalidade home office. Levando isso em consideração, a Poli está readequando toda a sua estrutura no Serviço de Estágios para se adequar a essa nova realidade. Até o dia 02 de abril ela estará totalmente operacional. Aguardem, será muito mais fácil, muito mais eficiente.
A Poli, através da CRInt, está acompanhando e em contato com seus estudantes no exterior e ajudando-os na medida do possível. Os processos seletivos continuam normalmente, entrem em contato com a CRINT para sanar dúvidas. Aguardaremos os acontecimentos para decidir o que fazer com relação ao início dos intercâmbios em cada país de destino.
Neste período de adaptação e aprendizagem, é interessante que as boas práticas nos diferentes cursos da Poli sejam compartilhadas. Recomenda-se que as CoCs promovam reuniões virtuais para o compartilhamento destas experiências e para levar questões à CG e à Diretoria da Poli. As CoCs têm um papel muito importante neste momento pois recebem e capilarizam todas as informações para que atuemos todos juntos e de maneira harmônica.
Não exatamente, mas muitas das dinâmicas das aulas tradicionais podem ser reproduzidas de maneira online (apresentação de conceitos, discussões etc). Muitos professores estão se adaptando ao novo formato.
A USP e a Poli estão oferecendo ferramentas e suporte aos seus professores para desenvolverem seus cursos no novo formato.Recomenda-se aos professores pesquisar sobre o método “aula invertida” (flipped learning) para ser adotado em suas aulas. A adoção da aula invertida, que se aplica tanto ao caso de aulas presenciais como online pode ser gradual, uma aula por vez.
A convite da Escola Politécnica, o Prof. Robert Talbert fez recentemente uma série de workshops na USP sobre “flipped learning”. Confira aqui.
Aula invertida, ou melhor, aprendizagem invertida, é uma metodologia de ensino onde o primeiro contato do estudante com os conceitos e métodos ocorre antes da aula. Há três momentos: pré-aula, aula (presencial ou, no nosso caso, online) e pós-aula.
Na pré-aula, os estudantes se preparam principalmente com conceitos básicos, definições e exercícios que não suscitam muitas dúvidas. Na aula, estes conceitos e definições são rapidamente revistos, tiradas as dúvidas e colocadas questões mais complexas. Essas questões são discutidas pelo professor e pelos estudantes, de uma maneira ativa. Para a pós-aula, podem ser propostas atividades complementares com objetivo de aprofundar o conhecimento.
Na aula invertida, o tempo da aula é utilizado principalmente para interação estudantes-professores. O sucesso da metodologia depende do engajamento do estudante e do bom planejamento das atividades pelo professor.
A adoção da aula invertida se aplica tanto para aulas presenciais como online e, portanto, pode ser útil inclusive pós período de pandemia. A recomendação é aplicar o método paulatinamente, uma aula por vez.

Para enviar sua sugestão ou pergunta clique aqui.