Professores da Escola Politécnica recebem prêmio da USP por trajetória pela inovação

Guilherme Ary Plonski e Ivanildo Hespanhol têm seus nomes associados à importantes pesquisas e projetos, dentro e fora da Universidade

Os docentes Guilherme Ary Plonski e Ivanildo Hespanhol, falecido em 2019, tiveram sua contribuição com o desenvolvimento e construção de conhecimento reconhecidas pelo Prêmio USP Trajetória pela Inovação, conforme anunciado em 31 de janeiro. Os dois professores, juntamente com outros quatro nomes da universidade, foram escolhidos pela segunda edição do prêmio, que é uma iniciativa da Pró-Reitoria de Pesquisa (PRP) da USP e da Agência USP de Inovação (Auspin). A solenidade com a entrega do prêmio ocorrerá no dia 8 de abril. 

A trajetória do professor Guilherme Ary Plonski é diversa e multidisciplinar, incluindo o posto de professor em duas unidades da USP, na Escola Politécnica, no departamento de Engenharia de Produção, e na Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA). Durante mais de 25 anos na universidade, realizou diversas atividades de incentivo à pesquisa e à inovação e atuou em conjunto com entidades nacionais e internacionais promovendo tais valores. Além disso, o docente atuou fomentando políticas públicas. 

Formado na turma de 1971 pela Universidade de São Paulo nos cursos de Engenharia Química e Matemática, fez mestrado e doutorado ainda na USP, assim como o pós-Doutorado em parceria com o Rensselaer Polytechnic Institute, nos Estados Unidos, e a sua livre-Docência. Seu currículo ainda registra os postos de vice-diretor do Instituto de Estudos Avançados, coordenador científico do Núcleo de Política e Gestão Tecnológica e vice-coordenador do Centro de Inovação da USP. Presidente da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec).

O professor e pesquisador Ivanildo Hespanhol foi parte importante da implantação do curso de Engenharia Ambiental na Escola Politécnica, na qual atuou como docente por décadas. Também criou o Centro Internacional de Referência do Reúso de Água (Cirra), vinculado ao departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental da Poli. Alguns de seus objetos de pesquisa foram a gestão de água, os sistemas avançados de tratamento de esgotos e a conservação dos recursos hídricos. Além disso, contribuiu com a produção de livros sobre o assunto. 

Graduado em Engenharia Civil pela USP em 1961, concluiu seu doutorado em Saúde Pública na universidade, além de se tornar Mestre e Doutor em Engenharia Sanitária pela Universidade de Berkley, na Califórnia. Ainda em 1982, conseguiu sua livre-docência com uma tese sobre cinética de floculação com polieletrólitos naturais. Durante sua longa carreira, atuou em conjunto com diversas instituições externas, como Fiesp, Firjan e SindusCon, e foi consultor da Agência Nacional de Águas, sempre visando a inovação. Falecido em 3 de janeiro de 2019, o professor recebe o prêmio In Memoriam pela sua trajetória.

Texto: Letícia Cangane (estagiária de jornalismo).

Revisão: Amanda Rabelo, jornalista.