FORMANDO ENGENHEIROS E LÍDERES

FORMANDO ENGENHEIROS E LÍDERES

Carregando Eventos

« Todos Eventos

  • Este evento já passou.

MariAntonia inaugura exposições com temáticas políticas e experiências pessoais na próxima sexta-feira, 5 de abril

5 de abril - 18:00 - 21:00

Imageria das redes, com curadoria de Didiana Prata, explora recorte de produção estética dissidente entre 2019 e 2022 no Brasil, e Onze Horas, do artista Juan Casemiro, as experiências pessoais em seus trabalhos

Com informações do Centro MariAntonia

O Centro MariAntonia inaugura, no dia 5 de abril, a partir das 18 horas, duas exposições com entrada gratuita. O público pode conferir as exposições de terça a domingo, e feriados, das 10 às 18 horas.

Imageria das redes: design e ativismos, com curadoria de Didiana Prata, apresenta por meio de peças gráficas e vídeos um recorte da produção estética dissidente relacionada aos principais acontecimentos que marcaram um período conturbado da história do Brasil de 2019 a 2022, escalonado pela pandemia sanitária, social e política.

O projeto curatorial parte desse levante poético e de uma seleção de artefatos gráficos – mini cartazes digitais – extraídos do experimento de net art e design visual Calendário Dissidente. Fruto de uma extensa pesquisa de Prata, esse arquivo digital da memória gráfica e da cultura visual brasileira é constituído com o auxílio de inteligência artificial e permite a leitura de uma narrativa visual cronológica, configurada pelas milhares de imagens capturadas do Instagram – perdidas e embaralhadas na opacidade das redes e agora disponíveis em suporte físico e num espaço público. 

A exposição apresenta narrativas compostas em torno de # (hashtags) temáticas como  #designativista, #desenhospelademocracia, #mariellepresente, #coleraalegria, #projetemos e #foragarimpoforacovid. São imagens-mensagens que dão voz à pautas coletivas e decoloniais e dão visibilidade à produção estética nacional de designers, artistas, ilustradores e cidadãos, usuários das redes. O texto sobre o uso da visão computacional na pesquisa é de Giselle Beiguelman, orientadora da tese de Prata na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP.

Para a curadora, “o design visual e as múltiplas linguagens  – ilustrações digitais, ilustrações manuais, tipografias digitais, escritas vernaculares, imagens factuais, apropriadas e remixadas – representam a estética contemporânea da imageria das redes e reforçam a potência dos artefatos gráficos como vetores de transformação social e política”. 

Já Juan Casemiro traz a exposição Onze Horas, com curadoria de Julie Dumont e Daniela Avellar, que consiste na instalação Levar Meu Pai para Conhecer e um grupo de vinte trabalhos.

O artista evoca experiências pessoais em seus trabalhos: os encontros amorosos, o luto, as incertezas; tanto na configuração das obras como nos títulos. São objetos encontrados nas ruas e em caçambas que, depois de um tempo convivendo no ateliê, onde também o artista mora, se transformam em objetos. Uma espécie de organização da própria vida que fica evidente lendo os títulos dos trabalhos, que faz referências a trechos de músicas, poesias e mensagens de texto que recebe. 

A curadora Dumont explica que “há nas obras do artista uma parcimônia de gestos, um minimalismo que parece procurar revelar as memórias carregadas pelos elementos que ele manipula e junta, evidenciando a simplicidade da matéria e as tensões que ela incorpora, sem impor narrativas, sublimando a história que se adivinha nas entrelinhas – com delicadeza, para não perturbar as imagens refletidas na superfície lisa das águas da memória.”

Conheça mais sobre os curadores e o artista aqui. 

Print Friendly, PDF & Email

Detalhes

Data:
5 de abril
Hora:
18:00 - 21:00
Categoria de Evento: