Alunos da Poli-USP apresentam projeto para conter margens de córrego

com informações da Prefeitura Municipal de São Paulo: https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/meio_ambiente/noticias/?p=274071

Na próxima segunda (8), às 19h, três alunos do curso de Engenharia Ambiental da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) apresentarão formalmente uma proposta de solução inovadora de bioengenharia de solos para contenção de margens do Córrego Corveta Camacuã. O futuro parque linear, localizado na Vila Sonia, está previsto no Plano Diretor Estratégico do Município (PDE) e apresenta forte degradação de suas margens. Os alunos tiveram suporte do Projeto Poli Cidadã, que desenvolve soluções práticas e sociais em áreas de engenharia.

Com o título “Técnicas de Bioengenharia para contenção de margens do córrego Corveta Camacuã”, a proposta foi tema do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) dos estudantes Álvaro Ferro Caetano, André Paulini e Fernanda Guedes, orientados pela Prof. Dra. Amarílis Gallardo, integrante do Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental daquela instituição de ensino. Ele propõe técnicas alternativas de bioengenharia para conter a erosão das margens daquele córrego, com ganhos substanciais de custo-benefício, quando comparadas às opções convencionais. O projeto atende ao Programa de Recuperação Ambiental de Fundos de Vale, instituído pelo Plano Diretor Estratégico (PDE) do Município de São Paulo.

Plano Diretor
O Plano Diretor Estratégico do Município de São Paulo definiu uma série de ações e intervenções urbanas para ampliar progressivamente as áreas verdes permeáveis, minimizando os fatores causadores de enchentes e recuperando os córregos da cidade – aí incluídos os parques lineares. O PDE prevê um conjunto de 43 novos parques lineares, dos quais 15 se localizam no território da Subprefeitura do Butantã e um desses, localizado em Vila Sonia, foi objeto de estudo dos formandos da Poli-USP.

O futuro parque linear será implantado ao longo do córrego Corveta Camacuã, que se encontra a céu aberto em quase toda a sua extensão. Sua implantação depende, inclusive, da contenção do intenso processo erosivo de suas margens. Por sua inovação, o projeto acadêmico de bioengenharia de solos será apresentado aos Conselheiros do CADES Butantã, que estão atentos à proposição de soluções sustentáveis à região. Já a Coordenadoria de Gestão dos Colegiados (CGC), pertencente à Secretaria do Verde e do Meio Ambiente (SVMA), quer dar visibilidade às boas práticas dos CADES Regionais.

O Conselho Regional de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Cultura de Paz – CADES Regional – foi criado pela portaria nª 005/2007, revogada pela Lei nº 4887/2009. O objetivo desse conselho é engajar a população através de seus representantes, na discussão e formulação de propostas socioambientais junto às Prefeituras Regionais. Ele é composto por oito representantes eleitos pela sociedade civil (e oito suplentes), além dos representantes do poder público, indicados pela Subprefeitura à qual está ligado, pela SVMA e por outras seis secretarias municipais. O presidente desse Conselho é sempre o subprefeito ao qual o Conselho está vinculado.

SERVIÇO
Reunião do CADES Butantã
Data: 08/04
Horário: 19h
Local: Casa de Cultura do Butantã – av. Junta Mizumoto, 13, Jardim Peri Peri