Diretora da Poli recebe visita de embaixador da União Europeia

Como se desenharão cooperações entre as universidades e empresas brasileiras e europeias dentro de um possível acordo entre a União Europeia e Mercosul foi um dos assuntos abordados da reunião realizada entre representantes da USP e o embaixador da União Europeia, Ignácio Ybáñez, nesta quarta-feira, dia 9 de outubro. O diplomata foi recebido no Instituto de Relações Internacionais (IRI) da USP pela diretora da instituição, Janina Onuki, e pela diretora da Escola Politécnica (Poli) da USP, professora Liedi Légi Bariani Bernucci.

Durante a reunião foram apresentados os projetos internacionais de ensino e pesquisa realizados pelas unidades da USP, especialmente com instituições universitárias europeias. Ignácio Ybáñez relatou que esta foi uma das suas primeiras visitas à São Paulo, e tinha um particular interesse em conhecer as ações já realizadas entre a USP e a União Europeia no âmbito da pesquisa e de intercâmbio de alunos e professores entre o Brasil e as universidades europeias. 

“Já se fazem muitas coisas, mas ainda há uma vontade das duas partes de fazer ainda mais juntos. Brasil e União Europeia tem uma relação muito positiva, somos parceiros estratégicos, temos o acordo entre a União Europeia e o Mercosul que dará muitas oportunidades. O relacionamento entre as universidades europeias é uma das grandes prioridades”, destacou o embaixador.

Participaram da reunião, também, o professor do IRI, Amâncio Jorge de Oliveira, o presidente da Comissão de Relações Internacionais da Poli, Henrique Lindenberg Neto, e a assistente técnica do Instituto de Estudos Brasil Europa, Cecília Matsumura.

Da esquerda para a direita, o professor do Instituto de Relações Internacionais (IRI) da USP, Amâncio Jorge de Oliveira, o embaixador da União Europeia, Ignácio Ybáñez, a diretora do IRI, Janina Onuki, a diretora da Escola Politécnica (Poli) da USP, professora Liedi Légi Bariani Bernucci, a assistente técnica do Instituto de Estudos Brasil Europa, Cecília Matsumura, e o presidente da Comissão de Relações Internacionais da Poli, Henrique Lindenberg Neto.