Professores da Poli apresentam linhas de pesquisas em Engenharia de Minas e Petróleo

Professor Jean Ferrari apresenta laboratórios e linhas de pesquisa do departamento de engenharia de petróleo. (Foto: Letícia Cangane)
A professora Anna Luíza Marques falou sobre a linha de pesquisa "Ventilação das Minas". (Foto: Beatriz Carneiro)

Nesta quinta-feira, 13 de fevereiro, professores e alunos do Departamento de Engenharia de Minas e Petróleo da Escola Politécnica (Poli) da USP apresentaram as linhas de pesquisas que desenvolvem, durante um workshop interno. O evento foi realizado para promover a troca de conhecimento entre os pesquisadores do departamento, e possibilitar, futuramente, não apenas parcerias internas, mas também com empresas por meio de soluções práticas para indústria.

Na parte da manhã, foram apresentados os estudos da área de engenharia de minas. A professora Anna Luíza Marques apresentou as linhas de pesquisa Planejamento de Gestão Ambiental nas Minas, que busca a diminuição do impacto social e ambiental das atividades de mineração; Ventilação das Minas à partir da construção de dutos e cortinas como o foco na redução de acidentes de trabalhos; e por último Economia Mineral e Políticas Públicas. A estudante Gabriela Cardoso apresentou os estudos com o tema “Amostragem e Manuseio  de Sólidos”, da pesquisadora Ana Carolina Chieregati.

 

O professor Eduardo César Sansone falou sobre Mecânica de Rochas, enfatizando a necessidade de realização de pesquisas que aprofundem cada vez mais os estudos acerca dos minerais. O docente Wilson Siguemasa, do Laboratório de Controle Ambiental, Higiene e Segurança na Mineração (LACASEMIN), abordou a aplicação de medidas que visem à segurança nos setores de minas e extração de óleo e gás natural.

 

O professor Giorgio de Tomi fez um relato acerca das atividade do Laboratório de Lavra como a automação e o desenvolvimento de inteligência artificial. Posteriormente, a professora Carina Ulsen, engenheira de minas que pesquisa tecnologias aplicadas a matérias-primas minerais, explicou sobre a linha de Tratamento de Minérios, com o recorte para caracterização tecnológica. Por fim, o professor Maurício Guimarães, doutor em tecnologia mineral, também falou sobre o tratamento de  minérios. 

 

No período da tarde, o professor Jean Ferrari apresentou os laboratórios do campus de Santos e suas linhas de pesquisa. O docente explicou que o InTRA (Integrated Technology for Rock and Fluid Analysis) conta com uma equipe de pesquisadores que engloba as três principais linhas de pesquisa da área: Reservatório, Produção e Perfuração. O laboratório é sede de pesquisas envolvendo a análise e caracterização de rochas, fluidos e reservatórios, com foco em carbonáticos. São desenvolvidos trabalhos com análise química, material e interfaces da indústria do petróleo, inteligência artificial aplicada à rochas, otimização em tempo real e simulação de problemas multifásicos.

 

A linha de pesquisa de Otimização e Logística na Cadeia do Petróleo é comandada pelas  professoras Regina Meyer Branski, que ainda comentou seu trabalho de economia associada ao petróleo e o final da vida útil de uma plataforma. A professora Elsa Vásquez Alvarez explicou que o projeto funciona utilizando modelos matemáticos e algoritmos para auxiliar na tomada de decisões. 

 

O professor Ricardo Cabral de Azevedo falou sobre seu trabalho com aplicação de veículos operados remotamente, os ROVs (Remote Operated Vehicle), na indústria do petróleo e sua utilização em processos de inspeção e observação. A linha de Métodos Numéricos e Simulações foi apresentada pelo professor Ronaldo Carrion, que a definiu como o estudo do comportamento de estruturas e escoamentos e explicou seu uso em problemas que não têm soluções analíticas. O docente ainda contou sobre a pesquisa que desenvolve sobre fraturamento hidráulico e poroelasticidade, a qual logo integrará um novo laboratório em Santos, e procura pesquisadores interessados. 

 

Por fim, a professora Nara Policarpo introduziu alguns dos projetos nos quais trabalha em conjunto com a UNICAMP, como um estudo da formação de hidratos em operações de perfuração de óleo e gás e a proposta de construção de envelopes de fases de misturas multicomponentes compostas por fluidos de perfuração base olefina linear e gases encontrados na formação. A pesquisadora ainda disse que busca estudantes de iniciação científica e trabalho de conclusão de curso para integrar o projeto. 

 

Para outras informações, acesse aqui as linhas de pesquisa do departamento.

 

Acesse aqui as fotos do evento.

 

Texto: Beatriz Carneiro e Letícia Cangane (estagiárias de jornalismo).

Revisão: Amanda Rabelo, jornalista.