Pesquisador do Imperial College de Londres faz palestra sobre comercialização no RCGI

pro

Segundo Kris Anderson, é prioritário identificar as ideias com maior potencial comercial entre as iniciativas de pesquisadores na área de petróleo e gás

No dia 6 de abril, o Centro de Pesquisa para Inovação em Gás Natural (“Research Centre for Gas Innovation” – RCGI, na sigla em inglês), promove a palestra Industrial Partnerships: Turning research ideas into new technology, com o pesquisador Kris Anderson, do Sustainable Gas Institute, ligado ao Imperial College de Londres. O evento acontece às 14h no Anfiteatro do prédio da Engenharia Mecânica e Naval da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP), e será aberto ao público, com inscrições via internet (http://bit.ly/1UhSHSD).

Anderson discutirá o caminho para a comercialização de novas tecnologias, e como trabalhar com sucesso com os parceiros industriais. Nos últimos anos, ele tem trabalhado no desenvolvimento comercial de pesquisa para várias empresas de petróleo e gás, incluindo a Chevron, UOP, BP, PETRONAS, Cameron, BG Group e Shell.

“O desenvolvimento do comércio é um processo caro e difícil. As perspectivas de sucesso podem ser muito melhoradas, explorando-se teoricamente as ideias por trás de projetos antes de fazer grandes compromissos financeiros. Ideias para novas tecnologias, muitas vezes, são abundantes, mas estabelecer qual dessas ideias têm o maior potencial comercial é fundamental para o sucesso”, diz o pesquisador, expert em desenvolvimento e comercialização da tecnologia de separação de óleo e gás.

Serviço:

Local: Auditório do prédio de Engenharia Mecânica e Naval da Escola Politécnica da USP.

Endereço: Av. Professor Mello Moraes, 2.231, São Paulo – SP

Horário: 14h

Inscrições pelo site http://bit.ly/1UhSHSD

Sobre o RCGI

O RCGI (www.usp.br/rcgi) foi criado no final do ano passado para investigar o uso atual e futuro do gás natural com o objetivo de aumentar a sua participação na matriz energética do País e diminuir as emissões de gases de efeito estufa. O gás natural tem papel estratégico na transição entre uma matriz energética com base em fósseis para uma matriz mais limpa.

Com previsão de R$ 100 milhões em investimentos por parte da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e a BG Brasil (empresa do BG Group recentemente adquirida pela Shell), o RCGI está investigando temas como o uso de energia solar para produção de syngas, o uso de gás natural como combustível para navios, combustão avançada, células de combustível para hidrogênio, entre outros.

As pesquisas são conduzidas em parceria entre pesquisadores de nove departamentos da Poli-USP, dos institutos de Energia e Ambiente (IEE), de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN) e de Química (IQ-São Carlos), da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, todos da USP; do Instituto de Química da Universidade Federal de São Carlos e da Escola de Medicina da Universidade Federal de São Paulo.

Outros parceiros são: Sustainable Gas Institute (SGI), ligado ao Imperial College London; University College London, University of Cambridge e University of Leeds (Reino Unido); University of Illinois at Urbana-Champaign e Texas A&M University (EUA); Technische Universitaet Darmstadt (Alemanha) e Université de Lyon (França).