Vídeo institucional apresenta laboratórios de pesquisa e projetos sociais da Poli-USP

Uma das mais conceituadas faculdades de engenharia do mundo, e a mais completa da América Latina, a Escola Politécnica da USP é também uma das maiores unidades da universidade, com mais de 150 mil metros de área construída, mais de 450 professores, quase 5 mil alunos apenas na graduação. Para os politécnicos, como se autodenominam os alunos e ex-alunos da Escola, é um orgulho os mais de 120 anos de história dedicados a formar profissionais capacitados a entender e resolver problemas nas diversas áreas da engenharia.

A Poli possui laboratórios e centros de capacitação completos, dedicados às atividades didáticas e de pesquisa. Para sua construção e manutenção, a Escola estabelece parceria com diversas organizações públicas e privadas. A Escola tem seus parceiros tanto na indústria, quanto nos órgão de fomento, e também no governo, para poder aumentar a capacidade de infraestrutura, o que resulta em desenvolvimento científico. “As parcerias sempre foram bem-vindas, porque nos permitem oferecer o que tem de melhor para os nossos alunos”, explica a vice-diretora da Escola, professora Liedi Légi Bariani Bernucci.

O diretor da Poli-USP, professor José Roberto Castilho Piqueira, explica que grande parte da economia mundial está fundamentada na tecnologia, disseminação da informação e inovação. “Temos por obrigação nos associar às principais empresas públicas e privadas que estejam no nosso entorno”, afirma o diretor, ressaltando a importância da interação com a sociedade para aplicar o investimento público em uma universidade da melhor maneira.

Os estudantes da Poli-USP participam de diversas atividades extracurriculares que os incentivam a aprender habilidades que estão além da educação formal, como trabalho em equipe, capacidade de liderança e habilidade de desenvolver ideias e projetos, e incentivam o comportamento ético e profissional. Os projetos recebem apoio da diretoria da Poli-USP e das Fundações. Entre eles estão a equipe de aeromodelismo, KeepFlying, a equipe de robótica, Thunderatz, e o PoliMilhagem, no qual os estudantes constroem protótipos de automóveis visando o consumo mínimo de combustível.

Além de atuar em projetos de desenvolvimento científico e tecnológico, a Escola apoia projetos sociais. O Poli Cidadã, por exemplo, incentiva alunos e professores a utilizarem seus conhecimentos em engenharia para promover a inclusão social. O Programa de Pré-Iniciação Científica da Poli-USP, que tem apoio da Fundação para o Desenvolvimento Tecnológico da Engenharia (FDTE), integra estudantes de ensino médio da rede pública estadual de São Paulo ao mundo acadêmico, apresentando as possibilidades oferecidas pela à universidade.

Assista ao vídeo e entenda como a Escola Politécnica da USP atua no desenvolvimento social e de novas tecnologias, e consequentemente do país.

Assista no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=nQbIzh-jMk0