Diretor da Poli abre IV Workshop de Petróleo da USP

Professor aproveitou ocasião para apresentar planos futuros de atividades da Escola na cidade de Santos

O diretor da Escola Politécnica da USP realizou a abertura do IV Workshop de Petróleo da USP na manhã desta segunda-feira, dia 7 de novembro, em Santos (SP). O professor José Roberto Castilho Piqueira ressaltou a importância das atividades acadêmicas e sociais dos alunos do curso de engenharia de petróleo da Poli-USP, que além de já terem recebido reconhecimento internacional duas vezes pelas atividades ligadas à Sociedade dos Engenheiros de Petróleo (SPE), oferecem cursinho pré-vestibular gratuito e aulas de reforço escolar voltadas ao Enem, entre outras atividades. “Trabalho muito interessante, com mérito acadêmico, e de integração com a comunidade da cidade”. Piqueira ressaltou que o curso de engenharia de petróleo, que desde 2012 é oferecido em Santos para atender à demanda de mão de obra no setor de óleo e gás, está entre os 50 melhores do mundo no ranking  da Times entre as escolas internacionais. “Os cursos de engenharia da nossa escola estão entre os 55 primeiros, e a USP está entra as 200 melhores universidades do mundo, a única brasileira. A Engenharia de Minas ocupa a 37ª posição. O curso de Engenharia de Petróleo da Escola Politécnica da USP, que é oferecido aqui em Santos, está entre os 50 melhores”.

O professor aproveitou para falar sobre os planos futuros da Escola na Baixada Santista. “Estamos batalhando para fazer a restauração do prédio e a construção de um anexo para evoluir com aulas de laboratório mais confortáveis e instalações melhores. Acabamos de apresentar uma proposta do curso de Engenharia da Complexidade à Comissão de Graduação. “Possivelmente, no vestibular e SISU de 2018, haverá vagas no curso de engenharia da complexidade em Santos”. Segundo o diretor, este será o primeiro curso de engenharia realmente interdisciplinar e internacional, no qual o formado receberá um diploma brasileiro e francês, reconhecido pela comunidade europeia.

O diretor explicou que o curso não é convencional, mas baseado em projetos, ou seja, os alunos não cursarão disciplinas bem marcadas como cálculo, física ou química. “As disciplinas serão ministradas à medida que os projetos estão se desenvolvendo. Desde o primeiro ano o aluno terá projetos e problemas para resolver, e durante a resolução desses problemas ele aprenderá os conceitos de cálculo, resistência dos materiais, e outros conteúdos. O curso terá duração de 4 anos, e no quinto ano poderá fazer o que chamamos de pré-mestrado, se especializando em uma de três áreas: cidades, energia e instalações portuárias. Ou seja, o profissional se forma como um engenheiro multidisciplinar, que será especialista em uma destas áreas”.

O Workshop de Petróleo da USP vai até esta quinta-feira, dia 10 de novembro. O evento será realizado no Parque Balneário Hotel, e pretende discutir os caminhos a serem tomados mediante um cenário de desaceleração mundial da indústria. Outras informações no site do evento. http://speuspstudentchapter.com.br/programacao.html