Pesquisadores da Poli-USP vão testar os impactos de usina fotovoltaica e de sistema de iluminação mais moderno em prédio do campus

A partir de investimentos em infraestrutura promovidos pela concessionária Enel, poderão ser realizados estudos dos impactos econômicos e ambientais

A Enel Distribuição São Paulo realizou, por meio do edital conjunto dos Projetos de Eficiência Energética(PEE) e Projetos de Pesquisa e Desenvolvimento(P&D) da Aneel, um investimento na Escola Politécnica (Poli) da USP para melhorar a eficiência energética do prédio do Biênio, o que inclui a instalação de uma usina solar fotovoltaica e a modernização do sistema de iluminação das salas de aula.

 

Essa infraestrutura permitirá que os pesquisadores e alunos da Poli da área de energia elétrica tenham dados para conduzir pesquisas sobre o impacto desses investimentos, e da utilização desses recursos. As obras estão na fase final e serão entregues neste mês de março. 

As obras foram realizadas e financiadas pela Enel, por meio de um edital que fomenta a redução de gastos e emissões de poluentes no meio ambiente, em campus universitários. O investimento da concessionária foi de R$ 607,9 mil na troca de lâmpadas e na usina fotovoltaica de 100 kW. Alem deste recurso foi investido um valor para financiar a pesquisa do impacto e a instalação de um sistema de armazenamento de energia elétrica de 100 kWh composto por baterias de lítio e um estação solarimetrica e um sistema supervisório para monitorar e controlar todo o sistema. O valor total do projeto foi de R$ 2,6 milhões em dois anos e quatro meses de projeto.

 

A usina solar fotovoltaica tem  288 placas e está na fase final de montagem. A modernização do sistema de iluminação foi feita, com a troca das lâmpadas antigas das salas de aula por LED. Ao todo foram 1.039 lâmpadas trocadas. 

 

Além dos benefícios econômicos e em termos de sustentabilidade,  a usina solar e o sistema de armazenamento propiciam mais uma fonte de dados para estudo e pesquisa na Poli. Professores e alunos produzirão relatórios, análises e estudos sobre esses equipamentos e a redução dos gastos energéticos, o que resultará em projetos de doutorados e artigos, explica o professor José Aquiles Baesso Grimoni, do Departamento de Engenharia de Energia e Automação Elétricas, da Poli-USP. Atualmente, um programa de pós-doutorado sobre o potencial das placas fotovoltaicas em telhados esta em curso na Poli, acrescenta o professor. Há também um sistema de supervisão que permitirá que os professores façam visitas monitoradas com os alunos na usina e no sistema de armazenamento, como parte de atividades de aprendizagem.

 

O projeto já apresenta várias vantagens em muitas áreas, como para a educação, a economia e a sustentabilidade, e os benefícios tendem a aumentar com o tempo. O professor Aquiles ressalta que a economia de energia rapidamente dá retorno sobre o investimento, ou seja, “comparados aos benefícios os custos serão mínimos”. A redução dos preços dos equipamentos e os aumentos das tarifas de energia elétrica têm reduzido constantemente os tempos de retorno destes tipos de sistemas.  Em regiões onde a irradiação solar é maior, como por exemplo a região Nordeste do Brasil, os tempos de retorno também são menores.  Para finalizar, o professor Aquiles enumerou algumas das contribuições que essas obras irão gerar: “redução de consumo, benefício para graduação e pesquisa, infraestrutura para gerar pesquisas”.