Professor da Poli passa a integrar conselho da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, SBPC

O professor José Roberto Cardoso, do Departamento de Engenharia de Energia e Automação da Escola Politécnica (Poli) da USP, foi eleito membro do Conselho da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), como representante da Sociedade de Ciências Exatas e Tecnológicas, uma das afiliadas da SBPC. Seu mandato será de julho de 2021 a julho de 2023. O docente também é presidente da Sociedade Brasileira de Eletromagnetismo, uma das associações que compõem a Sociedade de Ciências Exatas e Tecnológicas.

Cardoso está animado para compor o congresso e contribuir com a SBPC. Ele pretende, como conselheiro, auxiliar a SBPC a estimular os jovens a seguirem carreiras na área tecnológica. Atualmente, há poucos jovens ingressando no mercado tecnológico, a maioria deles opta por estudar e trabalhar com as ciências da saúde e de humanidades. Segundo o docente, isso acontece porque o setor tecnológico é muito volátil e seu funcionamento está diretamente relacionado à economia do País. Por outro lado, nas outras áreas, há uma maior estabilidade e os jovens conseguem uma colocação profissional mais rápida.

“Se a economia está forte, consequentemente existe um número grande de empregos para o pessoal da área tecnológica. Se a economia é reduzida ou prejudicada, como na situação que nós estamos vivendo, então, o pessoal de tecnologia sofre e não consegue emprego”, explica o conselheiro. Em razão dos problemas econômicos se estenderem há alguns anos no Brasil, os profissionais da área tecnológica estão enfrentando o desemprego, o que contribui para o afastamento de jovens desse setor. 

Por isso, o professor objetiva que o SBPC incentive os estudantes a optarem por essa área, por meio de explicações sobre a importância do desenvolvimento de tecnologias. “E que é possível, mesmo numa situação de economia fraca, os jovens conseguirem se desenvolver na carreira tecnológica, por meio da criação de Startups” comenta o docente. Ele acrescentou que a SBPC deve utilizar de sua posição junto ao Congresso para estimular o desenvolvimento tecnológico no  Brasil, por meio da produção industrial, o que contribuirá para o aumento do número de vagas de emprego no setor.

SBPC: função e importância

A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência é uma associação que reúne diversos pesquisadores e sociedades científicas de várias áreas. Cada ramo do conhecimento – ciências humanas, exatas e biológicas – possui uma assembleia, afiliada à SBPC, que é composta por todas as sociedades desse setor. Essas agremiações são a Sociedade de Ciências Humanas, a Sociedade de Ciências Exatas e Tecnológicas e a Sociedade de Ciências Biológicas.

O Conselho da SBPC é formado por seis representantes dessas sociedades, sendo um titular e um suplente para cada ramo científico. Esses conselheiros são escolhidos, por meio de uma votação realizada entre os membros de cada sociedade. Para a seleção do novo conselho da SBPC, foram feitas três etapas de consultas e votações.

As sociedades científicas são importantes para agregar pesquisadores com a mesma linha de pensamento, pesquisa e trabalho, o que permite a eles unirem esforços para alcançar objetivos em comuns. A SBPC reúne pesquisadores de todo o Brasil, por isso, uma de suas funções é lutar para que o investimento em pesquisa e ciência seja suficiente para todo o país, por meio do constante monitoramento desses investimentos. 

“Então, o que as sociedades brasileiras filiadas à SBPC fazem é dar apoio nesse sentido, por exemplo fazer pressão, abaixo-assinados e cartas em prol do movimento. Também ir ao Congresso e reclamar dos problemas que são acarretados quando o país não investe em pesquisa”, expõe Cardoso. “A sociedade científica de uma área é pequena, mas são várias afiliadas à SBPC, então tornam a SBPC grande, forte e representativa. Então é isso que vamos fazer no conselho: torná-la cada dia mais forte com o apoio das sociedades”, resume o professor.

Como se informar e fazer parte da SBPC

A SBPC é composta tanto por sociedades científicas afiliadas como por sócios individuais. Na categoria de sócios individuais, há vários graus, como profissionais, professores e alunos de graduação e pós-graduação. Para ser sócio, os estudantes precisam pagar uma pequena taxa, mas em troca recebem, por meio de eventos, congressos, fóruns e cursos de aprimoramento, várias informações e conhecimentos relacionados à pesquisa e as atividades da SBPC em prol da ciência.

Também são relacionadas atividades gratuitas e abertas ao público em geral, com a Reunião Anual da SBPC. Um evento que reúne milhares de pessoas e conta com atividades para os estudantes. Essa reunião da SBPC normalmente ocorre em julho.  Agora, já está há dois anos seguidos sendo virtual, mas é uma reunião muito rica de discussão dos problemas do país”, comenta o conselheiro. “Então, ao meu ver, é muito útil para os estudantes para que eles tenham uma consciência clara dos grandes desafios que a ciência e tecnologia têm no nosso país e, evidentemente, conhecendo você começa a ter ideias de ações para melhorar” acrescenta Cardoso.

“Eu espero que os nossos alunos cada dia mais se engajem na SBPC”, afirma o professor. Ele acredita que os estudantes da Poli têm muito a contribuir com a SBPC e que com suas criatividades e capacidades, eles irão propor ações relevantes para SBPC, as quais irão impactar na sociedade. “Eu fiquei muito contente de receber apoio dos meus pares e das outras sociedades científicas. Agradeço muito a eles pela votação que eu tive e espero honrá-los nesse cargo” finaliza Cardoso.