Em aula final, alunos da disciplina de Empreendedorismo e Inovação em Engenharia apresentam ideias de startups

[Imagem: Reprodução]

Na manhã da última sexta-feira, 16 de julho, os alunos da disciplina optativa de Empreendedorismo e Inovação em Engenharia (PMI3817), oferecida pelo Departamento de Engenharia de Minas e Petróleo da Escola Politécnica (Poli) da USP, apresentaram as ideias e objetivos de seus projetos de startups para professores e possíveis investidores, no formato conhecido como pitch no mundo do empreendedorismo. 

 

A disciplina começou a ser oferecida em 2020 com o apoio da Diretoria da Poli, da Fundação para o Desenvolvimento Tecnológico da Engenharia (FDTE) e colaboração da PoliStart, aceleradora de startups de ex-alunos da Escola. No segundo oferecimento, em 2021, a disciplina expandiu o número de alunos e a formação de startups, que neste semestre foi responsável pela estruturação de 25 propostas de novas startups

 

Os projetos foram divididos em 5 grupos, diferenciados com a nomenclatura temática dos continentes (África, Américas, Ásia, Europa e Oceania), e os estudantes tiveram de apresentar seus projetos para bancas formadas por membros da Poli Angels, da FDTE, professores, monitores e representantes das empresas Accenture, Ambev, IBM e Itaú. 

 

A dinâmica consistia em escolher apenas uma startup em cada grupo para, ao final, compor um Top 5 com as ideias mais notáveis. A vencedora do grupo África foi a startup My Truck, que tem o objetivo de fazer a logística dos fretes de caminhão; a selecionada do grupo Américas foi a CPyoU, startup de programação e processamento de computadores para gamers; o grupo da Ásia escolheu a startup Weeve, que idealiza pontes entre pessoas interessadas em aprender e mentores destas áreas; a empresa que organiza a contratação entre pessoas e o serviço de mudanças, a Leva Lá, foi a ganhadora do grupo da Europa; e a escolhida pela Oceania foi o aplicativo +Memória, que objetiva uma solução para o excesso de prints no celular.

 

Os vencedores receberam premiações de reconhecimento dos apoiadores, incluindo estágios nos setores de pré-incubação de startups pela FDTE, imersões empresariais e pitch time pela Ambev, mentoria com executivos da área de escolha dos grupos pelo Itaú, eventos de liderança pela Accenture e um café da manhã com especialistas oferecido pela IBM.

 

Sobre a disciplinaMinistrado pelos professores Giorgio de Tomi e Antonio Muscat , bem como Rubens Approbato (CEO Poli Angels), Carlos Fenerich (Poli Angels) e José Renato Mannis (Poli Angels) e uma equipe de monitores composta pelos alunos Ricardo Nicida Kazama, Pedro Ferrufino, Lucas Goulart, Sherida Figueiredo, Gabriel Messias, J. Ricardo Mannis, João Fernando Montes, André Zanella e Raphael Furrier. O andamento do curso resulta na criação de startups com plano de negócios definidos, diferencial da ideia e elaboração de dados sobre possíveis desafios a enfrentar. Tais objetivos são fomentados por meio da exposição de aulas teóricas e atividades de desenvolvimento de startups ao redor do mundo, além de palestras dirigidas por ex-alunos da Poli que seguiram os passos do empreendedorismo e fundaram empresas e/ou atuam na área. 

 

O evento teve ainda a presença da professora e diretora da Poli, Liedi Bernucci, entusiasta da iniciativa nas áreas de inovação e empreendedorismo, que ressaltou a importância da disciplina para o desenvolvimento de ideias mais amplas sobre os planos de startups no futuro.