Estudo realizado na USP possibilita aumento do porte dos navios nos portos do Amapá

Pesquisadores do Tanque de Provas Numérico da Poli-USP e profissionais da Praticagem do Amapá e da Plataforma Logística do Amapá (PLA) receberam Prêmio Antaq 2021 por trabalho que analisou a segurança de novas operações

No dia 14 de outubro de 2021, o Tanque de Provas Numérico (TPN) da Escola Politécnica (Poli) da USP, a Praticagem do Amapá e a Plataforma Logística do Amapá (PLA) receberam o Prêmio Antaq 2021 pelo trabalho que viabilizou o aumento do porte dos navios nos portos do Amapá. O prático Ricardo Falcão e o professor do Departamento de Engenharia Mecatrônica e de Sistemas Mecânicos da Poli, Eduardo Aoun Tannuri, foram os representantes do grupo na premiação. O Prêmio Antaq é um importante reconhecimento aos agentes que atuam no sistema nacional marítimo e portuário, concedido pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), a qual é vinculada ao Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil.

A necessidade do aumento dos navios aconteceu porque, durante décadas, o estado só operou embarcações da classe Handymax, com capacidade de até 55 mil toneladas de carga. Para superar o problema, durante quatro dias foram feitas simulações controladas por práticos, no Centro de Simulação de Manobras do TPN.

O projeto possibilitou que, pela primeira vez, participassem das simulações representantes da praticagem – profissionais responsáveis pelas manobras de embarcações dentro do porto -, das autoridades Marítima e Portuária, do Ministério Público e dos poderes Executivo e Legislativo, o que agilizou o consenso sobre a segurança de novas operações.

O professor Eduardo A. Tannuri conta que os estudos indicaram a possibilidade do porto e os futuros terminais receberem navios New Panamax, com 105 mil toneladas de capacidade. As simulações também apontaram que o Porto de Santana tem a capacidade de operar ao longo de todo o dia, e não apenas por cerca de uma hora no estofo da baixa-mar. Além de que há a oportunidade de funcionamento 24 horas, desde que se implante o balizamento noturno e faça-se o uso de rebocadores adequados.

Esses resultados possibilitam o aumento da competitividade do porto e trazem enorme potencial de desenvolvimento e atração de investidores para o Amapá, o que torna o estado mais uma opção para o escoamento dos grãos do Centro-Oeste.

O Tanque de Provas Numérico da Poli – o centro de pesquisas foi inaugurado em 2010 e é uma estrutura única no Brasil. O TPN foi idealizado e é coordenado pelos professores Kazuo Nishimoto (Departamento de Engenharia Naval e Oceânica – PNV), e Eduardo A. Tannuri (Departamento de Engenharia Mecatrônica – PMR). O TPN é um centro de tecnologia que permite projetar e testar embarcações e seus materiais de forma mais adequada para a sua aplicação prática, contando com um Tanque de Ondas e um Centro de Simulação de Manobras.