SIICUSP: Pesquisadora propõe metodologia para reciclagem de resíduo da indústria de laticínios

Isabela Mehi Gaspari Augusto desenvolveu forma de obter hidrogênio a partir de soro de leite, e recebeu menção honrosa em Simpósio de Iniciação Científica da USP

 

Todos os anos a USP promove o Simpósio Internacional de Iniciação Científica e Tecnológica, o SIICUSP, em que alunos de graduação da USP e de outras instituições brasileiras e internacionais apresentam os resultados dos projetos de iniciação científica e tecnológica. Neste evento são apresentados trabalhos como o da pesquisadora Isabela Mehi Gaspari Augusto, que recebeu menção honrosa na etapa final da edição de 2020 do evento. Isabela realizou um estudo sobre a otimização dos processos de produção de gás hidrogênio a partir da digestão do soro do leite. 

Saiba mais sobre como acompanhar o SIICUSP 2021 aqui.

Esquema gráfico do projeto [Imagem: Isabela Mehi Gaspar Augusto]

A pesquisadora se formou em Engenharia Química pelo Instituto Mauá de Tecnologia (IMT) em 2020, e revela que a motivação para o estudo foi entender os impactos que o subproduto da indústria de laticínios acarreta no meio ambiente, e buscar estratégias alternativas para a otimização desses processos. Segundo Gaspari, por ser gerado em grande quantidade industrial, o soro de leite acaba sendo descartado e possui uma destinação inadequada. Estima-se que 190 milhões de toneladas do soro foram produzidas no mundo todo, apenas em 2020; acompanhando os números da indústria que calculam que na produção de 1kg de queijo, obtém-se, em média, de 8,5 a 9 litros de soro de leite.

 

O projeto estudou o processo de digestão anaeróbica, normalmente utilizado para a produção de metano e para o tratamento de efluentes, em que os microrganismos presentes em reatores degradam a matéria orgânica contidas na matéria prima, que nesse caso era o soro. Durante a degradação, as bactérias produzem alguns compostos, como o hidrogênio e metano.

Projeto final [Imagem: Isabela Mehi Gaspar Augusto]

O diferencial deste método é justamente a otimização da produção de hidrogênio, obtido a partir das estratégias desenvolvidas no Laboratório de Engenharia Bioquímica do Instituto Mauá de Tecnologia pela pesquisadora com orientação das Profª Drª Suzana Maria Ratusznei e Giovanna Lovato e baseadas na partida do reator, para selecionar os melhores microrganismos e gerar o biocombustível em maior abundância. “Durante o desenvolvimento do artigo, conseguimos identificar quais eram os microrganismos selecionados, contribuindo para construção do conhecimento acerca desse fenômeno – que ainda é pouco investigado no meio acadêmico”. O estudo foi indicado para participar da Jornada Nacional de Iniciação Científica da 73.ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência e foi publicado em uma revista internacional.

 

Seguindo hoje os passos da produção científica, a pesquisadora pontua a relevância que a experiência do Simpósio teve em sua trajetória e os diferenciais que podem ser como alavancas para uma carreira na pesquisa. “As contribuições das bancas examinadoras geraram novas visões sobre o trabalho e me fizeram refletir sobre a importância de conseguir transmitir as ideias a um público maior e mais diverso – e não apenas a acadêmicos”.

SIICUSP 2020 – Na 28ª edição do SIICUSP, realizada em 2020 e em formato totalmente on-line devido a pandemia de covid-19, a pesquisadora Isabela Mehi Gaspari Augusto apresentou o projeto pelo qual viria a receber Menção Honrosa na Etapa Internacional, sendo o maior dos prêmios na área de Engenharias desta fase. Composto por duas etapas, na primeira o Simpósio é realizado por cada Unidade ou grupo de Unidades com a apresentação de trabalhos de suas áreas específicas. Após análise dos projetos para uma comissão avaliadora, ocorre a indicação dos estudantes mais bem avaliados para a segunda fase, a Etapa Internacional. Nesta, os melhores trabalhos selecionados têm a oportunidade de receberem o prêmio de Menção Honrosa, como foi agraciado o trabalho de Gaspari.