Poli-USP realiza encontro para debater Extensão Universitária​

I Encontro de Extensão da Poli focou em debater os papéis de profissionais de Engenharia no desenvolvimento de estratégias voltadas à sociedade, e apresentar a importância e o impacto dos cursos de extensão

Na tarde desta segunda-feira, 25 de outubro, a Escola Politécnica da USP realizou online o I Encontro de Extensão da Poli, “A engenharia na academia e a formação do engenheiro”, com transmissão pelo canal da Poli no YouTube. O evento foi organizado pela direção da Poli e pela Comissão de Cultura e Extensão da Escola. Voltado à apresentação de atividades de extensão desenvolvidas pela Escola, o evento reuniu professores da Poli e convidados de outras instituições, que discutiram também a importância dos engenheiros como agentes de transformação social. Assista o evento na íntegra no link.

A diretora da Poli, professora Liedi Legi Bariani Bernucci, em conjunto a outras autoridades da área de engenharia e extensão, deu início ao evento e apresentou os temas que seriam abordados. A professora Adriana Backx Noronha Viana, Assessora Técnica de Gabinete da Pró-reitora de Cultura e Extensão Universitária, representou a Pró-Reitora Adjunta em exercício de Cultura e Extensão Universitária, Margarida Maria Krohling Kunsch.

A abertura temática contou com a apresentação de Luiz Bevilacqua, atual Professor Emérito da UFRJ, que também ocupou cargos de Presidente da Agência Espacial Brasileira e Secretário-Geral do Ministério de Ciência e Tecnologia. Bevilacqua elencou os desafios que a engenharia enfrenta para desenvolver estratégias que fomentem a economia e políticas sociais no Brasil, e insistiu que o espaço universitário precisa ser propulsor dessas mudanças. “É preciso que muitas maçãs caiam na nossa cabeça. Precisamos de atividades de laboratório, e a partir de observação e experimentação, mostrar aos alunos que é possível inventar e pensar em suas próprias teorias”, afirma o professor.

Exemplos notáveis, como o desenvolvimento do ventilador pulmonar pelo Projeto INSPIRE e a padronização da televisão digital no Brasil, foram apresentados pelos professores Raúl Gonzáles Lima e Marcelo Knorich Zuffo no painel “O papel da Engenharia na formulação de Estratégias Nacionais”, moderado pela professora Roseli de Deus Lopes. O objetivo do painel era fomentar, a partir de exemplos, a atuação de relevância de profissionais da engenharia na elaboração de técnicas e métodos que colaboram com a resolução de problemas enfrentados pela sociedade. Os professores Monica Ferreira do Amaral Porto e Kazuo Nishimoto participaram do Painel como debatedores. Os docentes discutiram o futuro da área, e as ligações entre os planos nacionais que contribuem para a economia, para o desenvolvimento da indústria, e para outros âmbitos da sociedade brasileira.

O segundo painel “A educação continuada na formação do engenheiro”, teve os professores Wilson Iramina e Fernando Tobal Berssanet como moderadores, e direcionou o debate para o escopo da relação entre o meio acadêmico e a iniciativa privada na capacitação dos profissionais em engenharia, pensando em como os cursos de extensão podem contribuir para a compreensão e aproximação das necessidades da sociedade. O professor Lucas Antonio Moscato apresentou um panorama histórico da criação dos cursos de extensão, a partir de uma necessidade da indústria, no final da década de 1960, até os dias de hoje, em que a Escola Politécnica está oferecendo 68 cursos de extensão, com mais de 1500 alunos matriculados. Ele apresentou a importância que os cursos de extensão têm na relação entre a Poli e a sociedade. 

A partir de um exemplo de parceria entre academia e empresa externa, o professor José Sidnei Colombo Martini apresentou A Educação Continuada na Engenharia como Instrumento de Gestão. O professor explicou que sempre manteve sua atuação dentro e fora da Escola, pois sempre teve a percepção de que a Poli precisava de pessoas que estivessem vivendo a realidade empresarial de fora, para trazer os problemas reais para dentro, e alguém de dentro que pudesse levar as soluções possíveis pelo conhecimento do que se fazia na Escola. “Fiz a maior parte da minha carreira nesta condição explorando esta oferta, a extensão dos serviços que a universidade, além do ensino e da pesquisa, tinha a oferecer”. Ele citou, em sua fala, o desenvolvimento, por uma equipe coordenada pelo professor Lucas Moscatto,  de um robô que andava em linhas de alta tensão e fazia algumas atividades.”Um exemplo real para mostrar como aparece a oportunidade na extensão de se levar conhecimento que aparecem aqui dentro, que se materializam em soluções lá fora”.

Participaram deste Painel como debatedores a professora Eliane Monetti, do Departamento de Engenharia de Construção Civil, e o professor Paulo Vanderlei Patullo, gerente de relações institucionais do PECE – Programa de Educação Continuada da Poli.

O encerramento ficou por conta da diretora da Poli, professora Liedi Legi Bariani Bernucci que agradeceu a presença dos professores da Poli, professores convidados e todos os espectadores do evento. “Espero que seja o primeiro evento de muitos que ainda virão, que mostram e reforçam a missão da Escola como apoiadora da Indústria, das empresas e das políticas públicas. A missão da Engenharia é muito grande neste século”, finaliza Bernucci.

Confira a transmissão na íntegra no canal da Poli no YouTube.