FORMANDO ENGENHEIROS E LÍDERES

Poli-USP sediou Escola de Verão de IA na Indústria 4.0


A Escola Politécnica (Poli) da USP recebeu, entre os dias 24 e 28 de julho, a Escola de Verão de Inteligência Artificial na Indústria 4.0. Promovido pelo Departamento de Engenharia e Computação e Sistemas Digitais da Escola em parceria com universidades do exterior, o evento foi pensado para ensinar o uso de tecnologias e modelos de IA para enfrentar os desafios da revolução de dados e expandir a automação de tarefas cognitivas visando o desenvolvimento de uma indústria 4.0 confiável e fortalecida.


A programação foi planejada em torno de problemas concretos da indústria

estruturados em casos práticos. A prática foi integrada com objetivo de estimular a discussão nas instituições acadêmicas para abordar problemas concretos e mostrar caminhos para soluções inovadoras a parceiros industriais. O público-alvo do evento eram alunos de mestrado e doutorado, e contou com a participação de estudantes estrangeiros na modalidade online da Escola, que aconteceu de forma híbrida.


O professor Jaime Sichman, do Departamento de Computação e Sistemas Digitais, destacou que a Escola contribuiu de forma efetiva para os estudantes vislumbrarem e pensarem soluções para os desafios da Indústria 4.0. “Creio que o objetivo principal, que era de disseminar o uso de tais tecnologias para serem usadas na indústria 4.0, foi alcançado. Embora requerendo um grande esforço concentrado em 4 dias, onde os alunos tiveram de absorver muitos conceitos novos e dominar novas ferramentas computacionais, a apresentação dos hackathon mostrou como estas técnicas podem resolver problemas desafiadores no domínio da indústria 4.0.


O evento contou com palestras sobre IA, e exercícios práticos dedicados a

aplicação dessas tecnologias, a partir da abordagem de vários aspectos do uso de IA na indústria, com foco particular em Web of Things, Knowledge Graphs, Multi-Agent Systems e Trustworthy and Responsible AI.


A escola também promoveu um hackathon (maratona de programação) como parte prática do evento, baseado nos fundamentos teóricos ministrados nas palestras. Após a realização da Escola, os participantes foram incentivados a dar seguimento ao planejamento de soluções para os problemas colocados e a enviarem seus trabalhos a conferências.


A Escola foi fruto da união da École de Mines Saint-Étienne (França), USP,

Universitatea Politehnica din Bucuresti (Romêni, Universität St. Gallen (Suiça), e Technische Universität Berlin (Alemanha), e contou com o apoio da rede TIME. O evento está inserido no contexto do projeto NAIMAN (Normative Artificial Intelligence for Regulating Manufacturing), do programa FAPESP/ANR, coordenado no Brasil pelo Prof. Jaime Sichman.


Print Friendly, PDF & Email