Tecnologia do Bitcoin preserva biodiversidade da Amazônia

7/5/2021 – O blockchain, tecnologia relacionada com a criptomoeda Bitcoin, tem sido usado para auxiliar na preservação de biodiversidade na região amazônica, com o projeto Amazônia 4.0, liderado pelo professor Marcos Simplício, pesquisador no Laboratório de Arquitetura e Redes de Computadores da Escola Politécnica da USP. “O projeto está transformando as informações da biodiversidade em tokens. Estes podem ser rastreados pelo blockchain, ajudando a manter o valor da biodiversidade na região”, explica Simplício.

Leia na íntegra.