Desmatamento causado por mineração ilegal na Amazônia aumenta 90%

Segundo artigo escrito por pesquisadores da Escola Politécnica (Poli) da USP e publicado na revista Regional Environmental Change, a taxa de desmatamento ilegal concentrado nas áreas de

Sobrevoo na região sudoeste do Pará em 17/09/2020, quinta-feira e detectou focos de fogo, desmatamento e garimpo em unidades de conservação. Nesta foto, garimpo ilegal na Floresta Nacional do Jamanxim, município de Novo Progresso. Havia muita fumaça provocada por fogo na região. (Foto Marizilda Cruppe/Amazônia Real/Amazon Watch/17/09/2020)

mineração teve aumento de de mais de 90%, no período de 2017 a 2020. O estudo é parte da pesquisa de doutorado que investiga os impactos da mineração nas florestas, que apontam o avanço da clandestinidade mineradora, o desmatamento de áreas florestais não recuperadas, a contaminação dos rios e riscos à saúde das comunidades ribeirinhas e populações indígenas das regiões.

“Os motivos que influenciam no aumento da mineração ilegal, principalmente de ouro, vão desde fatores globais, como a demanda global pelo metal, a fatores locais, como incentivos para expansão das atividades garimpeiras”, conta a pesquisadora Juliana Siqueira-Gay, uma das autoras do artigo. Leia na íntegra.