Rejeitado na Europa, carro a diesel volta a debate no Brasil; é retrocesso?

Os carros de passeio a diesel estão proibidos no Brasil desde 1976, mas voltaram a ser assunto após emenda parlamentar propondo a liberação da venda desse tipo de veículo no País, apresentada pelo deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP).

Em 2011, os motores a diesel representavam 60% das vendas de carros na Europa, mas o número vem caindo de maneira exponencial desde o escândalo do Dieselgate envolvendo a Volkswagen. A empresa utilizou um software para ocultar as reais emissões do veículo e passou a ser impopular entre consumidores, além do impacto nas montadoras, que têm deixado de investir em motores desse tipo em solo europeu, pressionadas por limites cada vez mais estritos em relação a poluentes.

“É preciso refletir se vale a pena aceitar esses carros aqui, uma vez que estarão defasados, sem investimento. Eles só serão autorizados na Europa por aproximadamente mais 15 anos. É realmente o momento de discutir isso para o Brasil? Seria uma forma de dar sobrevida às fábricas europeias de motores a diesel, mas elas também terão de ser adaptadas para a fabricação de carros elétricos”, avalia Marcelo Augusto Leal Alves, professor da Escola Politécnica (Poli) da USP.

Leia a matéria do UOL na íntegra.