Orientações Gerais

Trabalho de Formatura em Engenharia Química da Escola Politécnica da USP é elaborada ao longo das duas disciplinas presenciais: PQI 2411-Trabalho de Conclusão de Curso I (setembro-dezembro) com um intervalo quatro meses onde aluno não deixa de dar sequência constante aos seus trabalhos de elaboração de Trabalho de Formatura, seguida de finalização em PQI 2000 -Trabalho de Conclusão de Curso II (maio-agosto).

O Trabalho de Conclusão de Curso é um dos pontos mais importantes na formação dos nossos alunos e trata-se esta questão com a máxima prioridade.

A monografia é um texto com corpo (escopo) que tem identidade sobre um único tema, razoavelmente autocontido, e que deve demonstrar o profundo conhecimento do aluno em um campo da Engenharia Química, assim como a sua capacidade de aplicar os métodos de investigação científica na prática de Engenharia de forma independente e crítica.

Ao se tratar de um trabalho de formatura, rompe-se radicalmente esta estanqueidade de disciplinas, departamentos e áreas de conhecimento, mas se mantém esse aspecto relativo à capacidade de sintetizar e integrar os diversos assuntos e conhecimentos abordados no objeto do TCC, analisando todos os aspectos criticamente. Assim, tem-se algumas singularidades em relação a outras disciplinas.

Em primeiro lugar, é uma atividade e um entregável em que o aluno escolhe o assunto da monografia, ao invés de ser algo imposto ao aluno sob argumentos de métodos pedagógicos. Portanto é uma oportunidade única de escolher um assunto que seja significativo para aluno e seja relevante para Engenharia Química. Em segundo lugar, diferentemente das outras disciplinas, a monografia é um documento único do qual, além dos alunos e seus professores, o público em geral também terá acesso e que estará arquivada por vários anos.

Veja mais detalhes em Diretrizes de TCC no campo Guias e Formulários.

Adicionalmente, acesse site abaixo, onde são as diferentes modalidades de TCC aceitos no Curso de Engenharia Química da Escola Politécnica da USP, os cronogramas dos entregáveis  

PQI TCC (EPUSP): http://tcc2-2015.wixsite.com/tcc2

 

Avaliação

A avaliação (A), tanto em TCC-I quanto em TCC-II, é calculada de seguinte modo:

A= (2T+D)/3 onde (T) é a média da avaliação do documento final e (D) é a média da avaliação do desempenho ao longo da disciplina.

T=(T1+T2+T3)/3  onde (T1, T2, T3) são as avaliações do documento final feitas pelo orientador, por um avaliador externo e um membro da coordenação.

D=(D1+D2) onde (D1, D2) são as avaliações do desempenho feitas pelo orientador e por um membro da coordenação.

Como TCC-I e TCC-II são disciplinas regulares de PQI, a frequência é obrigatória e é calculada para registro e aprovação nas disciplinas.

Todas as avaliações (T1, T2, T3), (D1, D2) abrangem a faixa de [0-10]. A avaliação final (A) das disciplinas, tanto na TCC-I quanto na TCC-II, é dividida em duas partes.

A primeira parte (T) é sobre seu documento definido como entregável final segundo os itens descritos na seção “Qualidade do TCC”. Um dos orientadores atribui a nota sobre a entrega final, um segundo avaliador externo (pode ser o segundo orientador ou alguém designado para tal) atribui outra nota e um coordenador atribui terceira nota. No caso do orientador ou avaliador externo não atribuir essa nota, será calculada média das notas recebidas.

A segunda parte (D) é sobre suas atividades intermediárias tais como as propostas do TCC, os relatórios parciais, e os envolvimentos no processo da elaboração do TCC, tais como os itens já usuais de assiduidade, disciplina, responsabilidade, cooperação, equilíbrio emocional, iniciativa, responsabilidade com o patrimônio, qualidade do trabalho, quantidade de trabalho, conhecimento de tarefas e compreensão de todo o conteúdo. No caso do orientador não atribuir essa nota, os coordenadores irão utilizar apenas a sua nota.

Se a nota (T) da entrega final obtiver nota máxima, a nota final (A) será dez (10), independente dos entregáveis intermediários calculados em (D).