Participantes da Oficina de Carrinhos de Rolimã concluem atividades com disputa de corrida

Estudantes que integraram o projeto da Poli-USP neste ano projetaram e construíram os carrinhos usados no tradicional GP

Os meninos e meninas participantes do projeto “Oficina de Carrinhos de Rolimã”, realizado por estudantes de engenharia da Escola Politécnica da USP, finalizaram neste sábado (05/11) suas atividades com o tradicional e divertido GP Carrinhos de Rolimã da USP, promovido no campus da universidade no bairro do Butantã, em São Paulo.

A Oficina é uma iniciativa conjunta do Programa Poli Cidadã e do Centro Acadêmico da Mecânica e Mecatrônica (CAM), e tem como parceiros e patrocinadores jovens engenheiros da American Society of Heating, Refrigerating and Air Conditioning Enginneers (ASHRAE) e a Fundação para o Desenvolvimento Tecnológico da Engenharia (FDTE). Os participantes têm entre 10 a 14 anos, estudam na Escola Estadual Emygdio de Barros e são moradores de comunidades vizinhas ao campus da USP.

Todos puderam descer a Rua do Matão por duas vezes, em quatro baterias, e receberam uma medalha de partipação. Os carrinhos serão levados para a Escola, que decidirá sua destinação final.

Antes da corrida, durante o final de semana de 22 e 23 de outubro, quando também foi realizada a I Semana USP de Ciência e Tecnologia, os participantes trabalharam nos projetos. Foram divididos em oito equipes, cada uma com apoio dos monitores, estudantes de engenharia da Poli que os ajudaram a desenvolver os projetos dos carrinhos. Os alunos estabeleceram as características, as dimensões e os processos de fabricação dos carrinhos. Também foram responsáveis pelo aspecto decorativo do layout e pela fabricação. Na última etapa, as equipes testarAM seus protótipos em uma bateria especial do tradicional “GP Carrinhos de Rolimã da USP”. Ao final, todos os participantes receberam um certificado.

A proposta de promover corridas de carrinho de rolimã, que partiu da experiência dos estudantes de engenharia, tem como objetivo despertar e motivar as crianças a direcionarem sua formação para a área técnica mecânica. “Esta iniciativa possibilita também a integração entre estudantes de engenharia da USP com meninos comunidades vizinhas, aumentando nestes estudantes a sensibilidade para a realidade de grande parte da juventude brasileira”, explicam o professor da Poli-USP, Antonio Luis de Campos Mariani, coordenador do Poli Cidadã.