Na última aula de Empreendedorismo e Inovação em Engenharia, professores anunciaram a startup vencedora do semestre e impulsionaram os sonhos dos alunos

 

 

Na última sexta-feira, dia 30 de julho, foi realizada a última aula da disciplina optativa de Empreendedorismo e Inovação em Engenharia, oferecida pela Escola Politécnica da USP. Como um evento especial, fora do formato tradicional das aulas, os oradores fizeram uma emocionante apresentação sobre os sonhos e perspectivas para o futuro, como forma de inspirar o futuro dos seus alunos.

 

Antes da apresentação dos pitches das startups, Rubens Approbato exibiu o conceito de Blitzcaling, que é um conjunto de técnicas que aumentam a escala de construção de negócios rentáveis em ritmos vertiginosos, como são os casos de sucesso de empresas como Facebook, Netflix e Airbnb. Apoiado em modelos mais jovens, com ideias inovadoras e que começaram de pontos mais simples para se tornarem sucessos, num conjunto de características que atraem outros jovens empreendedores. 

 

Após a apresentação deste conceito do mundo da inovação e empreendedorismo, os integrantes de cada um dos seis grupos reapresentaram as suas ideias e os objetivos de suas startups para todos os presentes, já que na aula em que o “top 5” foi definido, cada um foi selecionado entre aglomerados de startups diferenciados pela temática. 

 

Mas a conta não fechava. Se havia um Top 5, como poderiam seis grupos apresentarem seus pitches? Esta era uma das surpresas desta aula final consistia em trazer um grupo da “repescagem”, ou seja, colocar mais uma startup em competição, visando os R$2.000,00 que foram estabelecidos como prêmio pela ideia mais inovadora. Com isso, a Tempo Real, também do grupo da Oceania,  que propôs uma ferramenta para  gerir lives de vendas, foi a selecionada para compor o Top 6.

 

Após as apresentações, os professores e monitores organizaram um esquema de votação em que todos os presentes na chamada poderiam escolher a startup que haviam gostado mais. Após momentos de tensão e ansiedade, provocados para que todos entrassem em um ritmo de competição como as Olimpíadas,  a startup CPyoU foi anunciada como a detentora da medalha de ouro, responsável pela ideia de resolver o nível de processamento de computadores durante os períodos de home office. A prata ficou com a equipe vinda da repescagem, a startup Tempo Real, e todas as demais foram coroadas com medalhas de bronze. A emoção foi contagiante entre todos os participantes da videoconferência, que parabenizaram os demais grupos pelo fomento ao desenvolvimento de ideias inovadoras no campo do empreendedorismo. 

 

 

Colocação das startups finalistas [Imagem: Reprodução]

 

Ao final, os professores responsáveis pela disciplina, Giorgio de Tomi e Antonio Muscat, Rubens Approbato (CEO Poli Angels), Carlos Fenerich (Poli Angels) e José Renato Mannis (Poli Angels), a equipe e os demais monitores agradeceram a todos pela presença e debateram planos para aumentar cada vez mais o número de alunos na disciplina optativa, partindo da lógica de que quanto mais startups, maior é a adesão ao programa de aulas e à lógica empreendedora. 

 

Estas considerações não partem apenas de ideais, visto que desde que começou a ser oferecida no primeiro semestre de 2020,  formando 5 startups, a disciplina aumentou o número de ideias em 500%. Neste semestre em questão, foi responsável pela formação de 25 propostas de novas startups, em uma média de 4 integrantes por grupo.

 

Leia mais sobre a disciplina no Sistema Júpiter.

 

Outras notícias sobre esta disciplina:

 

Poli oferece nova disciplina de Empreendedorismo e Inovação para estudantes de engenharia 

 

– Professores apresentam nova edição da disciplina de graduação “Empreendedorismo e Inovação em Engenharia” 

 

Em aula final, alunos da disciplina de Empreendedorismo e Inovação em Engenharia apresentam ideias de startups