Empresa de politécnicos está entre as mais amadas pelos funcionários

Levantamento realizado pela plataforma Love Mondays aponta a Inspira Tecnologia como a segunda melhor para se trabalhar entre  as pequenas e médias empresas brasileiras

Um levantamento realizado pela plataforma Love Mondays, e reportado pela Época Negócios, apontou uma empresa fundada pelos engenheiros Marcio Roberto da Silva e Thiago Alves Silva, formados na Escola Politécnica (Poli) da USP, como uma das melhores empresas para se trabalhar no Brasil. O sócio-diretor Marcio conta sobre a experiência de criar uma empresa com foco no ambiente de trabalho agradável.

Por que é importante para vocês ter uma política da empresa que visa o bem-estar dos funcionários?

Quando criamos a Inspira desejávamos mostrar que era possível viabilizar uma empresa de tecnologia que atuasse de forma justa e honesta no mercado e que tivesse como diferencial um ambiente de trabalho agradável. Por isso essa preocupação com o bem-estar sempre foi muito natural para nós. Na verdade, quando nos questionam sobre isso a primeira coisa que vem à cabeça é uma outra pergunta: por que não priorizaríamos o bem-estar da equipe? Eles são a essência da empresa. Eles que geram valor aos clientes. É o desempenho deles que faz a diferença para o nosso negócio. Nada mais lógico e justo que zelar pela felicidade deles também. Isso acaba alimentando um círculo virtuoso. Melhores profissionais são atraídos para a empresa. Melhor eles atendem às necessidades dos clientes. Mais a empresa ganha capacidade de melhorar a vida da equipe e suas condições de trabalho. Mais eficaz a equipe se torna…

Como vocês viabilizaram isso? Por meio de quais ferramentas vocês alcançam esse objetivo? Quais vocês mantém em mente?

Embora tenhamos pesquisado bastante a respeito e aprendido algumas boas práticas, não chegamos a seguir uma “cartilha”. Nesses 12 anos de Inspira fomos aprendendo com todas as pessoas que passaram por aqui e também com os nossos próprios erros. A seleção de boas pessoas, com grande capacidade e bons valores também auxiliou bastante na criação dessa cultura. No fundo, o essencial é as pessoas perceberem que a empresa se importa com elas. Naturalmente, elas passam a se importar com a empresa também.

Quais os planos para o futuro?

Pelo dinamismo da área de tecnologia é difícil conseguir fazer planos consistentes de médio e longo prazos. Tentamos estabelecer uma direção, vamos testando possibilidades, monitorando os resultados e nos ajustando. Acredito que continuaremos mostrando que é viável criar, manter e evoluir um negócio se preocupando com a felicidade das pessoas. Com as novas gerações procurando mais do que apenas dinheiro e status, em um mundo e em uma área em que eficácia e capacidade intelectual são fundamentais, talvez isso não seja apenas um caminho viável, talvez seja o único que faça sentido. Leia mais sobre a empresa aqui.