Grupo de Engenharia Biomédica da Poli participa de hackathon da área da saúde

O grupo de Engenharia Biomédica, o ARGO, da Escola Politécnica (Poli) da USP, participou da primeira edição do evento HackMed – Conference & Health Hackathon, realizado entre os dias 31 de janeiro e 2 de fevereiro, na Faculdade de Medicina da USP. Durante três dias, profissionais, estudantes e professores de diferentes nacionalidades e áreas do conhecimento participaram de uma imersão no universo da saúde. 

O evento foi inspirado no MIT Hacking Medicine, que tem um formato parecido. O HackMed realizado na USP foi dividido em duas partes, uma conferência e uma “maratona tecnológica”, a Health Hackathon. Na primeira, referências nacionais e internacionais apresentaram discussões sobre empreendedorismo, liderança e inovação em saúde, com foco especial em inteligência artificial. A conferência contou com a presença de figuras ilustres, como o empresário Jorge Paulo Lemann, e a diretora do Centro Colaborador da OMS, Linamara Battistella, além de representantes da Harvard Medical School e da Stanford Medical School.

Os estudantes da Poli contam que, logo no início do evento, durante a conferência ficaram muito empolgados com a oportunidade. “Foram mais de 700 participantes, todos eles com um objetivo: tornar a saúde no Brasil mais eficiente, acessível e tecnológica. Estar nesse ambiente foi bastante gratificante para nós, pois pudemos ouvir de diversos especialistas os atuais desafios da saúde e a necessidade de inovação e interdisciplinaridade nas soluções, conceitos que são a base do nosso grupo”, relatou a equipe.

Em seguida, deu-se início ao Hackathon, que contou com a participação de cerca de 300 competidores e mais de 150 mentores. A competição foi formatada dentro da metodologia do MIT, um dos mais renomados centros de pesquisa e inovação do mundo,  e as equipes foram auxiliadas por mentores, para desenvolver startups que solucionassem problemas na área de saúde.

Os participantes foram divididos nos três seguintes temas: Atenção Primária à Saúde e Telemedicina, Terceira Idade e Reabilitação e, por fim, Saúde Mental e Cuidados Cirúrgicos. Ainda no primeiro dia, os participantes apresentaram diversas problemáticas dentro de cada um dos seus temas e começaram a juntar-se em equipes para tentar solucioná-las. Ao final, as soluções mais inovadoras para os problemas identificados seriam premiadas.

Às 8h do dia seguinte, as equipes já estavam dando continuidade ao seu trabalho, validando o problema, fazendo pesquisa de mercado e ideando um solução. Para tanto, eles contaram com  instrução e feedback dos mentores e dos integrantes do MIT Hacking Medicine, além de participarem dos workshops que aconteceram ao longo de todo o dia.


Todo esse trabalho de lapidação de ideias continuou ao longo da madrugada até a manhã do domingo e à tarde os participantes puderam fazer uma apresentação final diante de uma qualificada banca de jurados. “A cerimônia final, na qual foram anunciadosos vencedores, foi um momento emocionante para todos, pois apesar do cansaço, era extremamente gratificante ver o resultado brilhante de diversas equipes”, destacou a equipe.  “Todos estavam orgulhosos de terem participado de um evento organizado durante meses e que nós, do grupo ARGO, temos a certeza que trará grandes impactos para a saúde no Brasil e os resultados de todo esse trabalho já estão surgindo”. 

Os integrantes da equipe MIT Hacking Medicine também participaram da primeira edição do HackMed não só como convidados, mas como guias e mentores para a equipe de organização, e o Grupo ARGO teve o contato com esses convidados. Cada equipe participante teve a oportunidade de conhecer e receber feedback direto de um membro do MIT durante o Hackathon. 

O evento foi multidisciplinar, e isso ficou claro com a participação de representantes de empresas do setor de saúde e tecnologia, além de alunos de vários institutos da USP, como a Poli, a Faculdade de Medicina (FMUSP), a Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), o Instiuto de Ciências Biomédicas (ICB) e a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU).

O Grupo ARGO, como parte da organização, atuou fazendo a ponte entre as equipes e os mentores que melhor pudessem lhes orientar, (desde profissionais de saúde, a engenheiros, designers, empresários, etc), além de trabalhar na parte logística do evento, como por exemplo, audiovisual, divulgação, canais de comunicação, alimentação, financeiro, entre outros. “O processo de organização do evento foi maravilhoso, pois trouxe ensinamentos e auxiliou no amadurecimento do grupo, além de nos aproximar-nos de outras áreas do conhecimento, o que foi fundamental para o objetivo do ARGO de ser interdisciplinar e inovador. É muito gratificante para o ARGO poder ajudar e incentivar essa área de empreendedorismo voltado à saúde”, ressaltou o grupo.

“Conhecer tantas pessoas experientes, engajadas e dispostas a organizarem e participarem de um evento tão grande como foi o HACKMED é uma honra e um prazer para o ARGO, pois tudo será levado como ensinamento para o grupo e contribuirá para a imagem e participação da Poli em outros eventos”.

Veja abaixo as redes sociais do grupo ARGO:

Facebook: https://www.facebook.com/argo.biomedica/

Instagram: https://www.instagram.com/grupo.argo/