Coronavírus: Site da Poli reúne curadoria de informações sobre pandemia

Entenda a situação e os cuidados necessários nessa crise

O que é o coronavírus

A COVID-19 é uma doença causada por um tipo de coronavírus que foi descoberto no final de 2019, depois de causar infecções respiratórias na região de Wuhan, na China. Desde então, o vírus se espalhou pela Ásia, atingindo fortemente a Europa e, posteriormente, os outros continentes do globo.

A família dos coronavírus é muito comum, tendo sido identificada ainda na primeira metade do século passado como agente de diversas doenças respiratórias em humanos. Estima-se que a maioria das pessoas é infectada com os tipos mais comuns de coronavírus durante sua vida.

A nova variedade do vírus, nomeada de SARS-CoV-2, tem origem incerta, mas supõe-se que seus primeiros casos vieram de animais vendidos no mercado central de Wuhan, metrópole chinesa onde o vírus foi descoberto. A doença causada por ele é altamente infecciosa, o que auxiliou na rápida disseminação do vírus pelo mundo. Em 11 de março de 2020, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou situação de pandemia do coronavírus.

Sintomas

Os principais sintomas da COVID-19 são febre, tosse seca e cansaço, além de dificuldade para respirar e garganta seca. Outros sintomas que podem aparecer são congestão nasal, dor muscular e diarreia, dependendo do caso. Os sintomas costumam aparecer gradativamente e, em muitos casos, a pessoa infectada pode não desenvolver sintomas nem se sentir mal. A maioria dos casos (80%, aproximadamente) se recuperam sem a necessidade de cuidados especiais.

Em casos mais graves, a infecção pode afetar o sistema respiratório e gerar pneumonia, chegando a causar a morte. Aproximadamente uma a cada seis pessoas infectadas pode desenvolver um quadro mais sério e dificuldade para respirar, necessitando de cuidados médicos mais intensos. Pessoas mais velhas e/ou com problemas de saúde preexistentes como pressão alta, problemas cardíacos ou diabetes, por exemplo, são consideradas como grupo de risco, com maior probabilidade de desenvolverem condições mais graves da doença.

Febre, tosse seca e dificuldade para respirar são sintomas que podem necessitar cuidados médicos especiais.

Contágio

O contágio pelo coronavírus ocorre através do contato com as secreções de uma pessoa contaminada, como gotículas de saliva, que podem se espalhar através de espirro ou tosse e toque, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos. Essas gotículas de saliva podem ficar também em superfícies e contaminar quem tocá-las posteriormente.

Recomendações: como se proteger

As recomendações oficiais para evitar o contágio são:

  • Lave as mãos com água e sabão ou use álcool em gel;
  • Cubra o nariz e boca com o braço ao espirrar ou tossir;
  • Evite aglomerações, principalmente se estiver doente. Se possível, fique em casa;
  • Mantenha os ambientes bem ventilados;
  • Não compartilhe objetos pessoais;
  • Evite tocar olhos, nariz e boca;
  • Mantenha distância de pelo menos um metro de pessoas que estejam espirrando ou tossindo;
  • Se você teve febre, tosse ou dificuldade para respirar, procure serviço médico o mais rápido possível.

Coronavírus no Brasil

O primeiro caso da doença no Brasil foi confirmado em 26 de fevereiro. O homem é de São Paulo e tinha retornado recentemente de viagem à Itália, epicentro europeu da doença. Dia 29, o segundo caso foi confirmado, também em São Paulo. Até dia 24 de março, foram registrados 1.980 casos em todo o país, segundo dados das Secretarias estaduais da Saúde. Desde então, os governos estaduais, municipais e federal vêm implementando medidas de segurança para diminuir o contágio e controlar a situação no Brasil. A primeira morte confirmada pela doença foi registrada em 17 de março. No dia 24 de março, o número de óbitos chegou a 34.

Atualmente, a recomendação no país é de isolamento social, ou seja, caso você possa, permaneça em casa e não saia a menos que realmente seja necessário. Diversas atividades presenciais, como aulas e trabalhos, foram suspensos ou adaptados para serem realizados remotamente. Comércios, exceto mercados, farmácias e restaurantes, estão mantidos fechados como medida de contenção, e outras medidas preventivas vêm sendo implementadas. 

Informações – Para mais informações sobre a pandemia e as recomendações sobre prevenção, acesse os sites de fontes oficiais, como a OMS ou o Ministério da Saúde. É importante ficar atento quanto a proliferação de fake news neste momento, ou seja, procure jornais ou portais de notícias confiáveis para se informar sobre o assunto — muito conteúdo enganoso vem circulando nas redes sociais e grupos de mensagens.

A OMS ainda possui um serviço de perguntas e respostas para as questões mais frequentes sobre o coronavírus. O texto está em inglês, mas pode ser traduzido pelo seu navegador. Para acessá-lo, clique aqui

O Ministério da Saúde disponibilizou o número de WhatsApp oficial para tirar dúvidas: (61)99289-4640. Além disso, lançou o aplicativo Coronavírus - SUS, com informações e triagem virtual dos casos. O app está disponível para download nos sistemas Android e iOS.

As medidas ajudam a impedir a propagação da doença para outras pessoas da casa e a desafogar os serviços do Sistema de Único de Saúde, que só devem ser procurados em casos mais graves.