Carros novos podem ficar mais caros e até em falta com a crise energética

A escassez de água já é realidade em algumas cidades do estado de São Paulo. A crise energética vem sendo alertada desde o ano passado e a possível consequência é a interrupção no fornecimento de eletricidade. Afinal, mais de 62% da energia elétrica no Brasil depende das hidrelétricas. Esse risco está deixando as montadoras preocupadas com uma eventual paralisação na produção de carros.

O setor automobilístico vem sofrendo com a falta de peças desde o início de 2021, por causa da pandemia, por isso a crise hídrica terá impacto direto, como a suspensão das atividades nas fábricas. Além disso, o aumento do custo da energia elétrica, que acaba de subir, vai inflacionar os carros. Assim, a produção pode cair ainda mais neste ano e em 2022.

“O Governo atrasou a diretiva de racionamento. O sinal de alerta (sobre falta de água) deveria ter sido emitido há meses, para garantir o funcionamento e diminuir os impactos ao sistema. Há grande ameaça. O negócio é rezar para que a chuva chegue com força a partir de novembro”, explica o professor Jose Aquiles Baesso Grimoni, do Departamento de Engenharia de Energia e Automação Elétricas da Escola Politécnica (Poli) da USP.

Leia a matéria do Estadão na íntegra.