Exploração de gás e petróleo perto de Noronha pode danificar áreas de preservação, dizem especialistas

A Agência Nacional do Petróleo (ANP) irá leiloar 92 blocos para exploração e produção de petróleo e gás natural na região das bacias de Campos, Pelotas, Potiguar e Santos a partir desta quinta-feira, 7 de outubro. A inclusão de um dos blocos disponíveis na Bacia Potiguar vem gerando polêmica e provocando críticas de especialistas, pois o bloco fica muito próximo a três unidades de conservação e áreas de alta sensibilidade ambiental: o Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha, a Área de Proteção Ambiental ao redor e a Reserva Biológica do Atol das Rocas, entre as costas dos estados do Rio Grande do Norte e do Ceará.

O professor Luis Enrique Sanchez, da Escola Politécnica (Poli) da USP, afirma que, durante as atividades de exploração sem as devidas informações, “podem acontecer impactos diretos no fundo do mar e afetar áreas que abrigam uma quantidade de seres vivos”. Para Sanchez, também é importante levar em conta a possibilidade de acidentes com vazamento de petróleo e quais áreas seriam atingidas antes de uma ação de contenção do vazamento. Especialmente em uma região tida como muito importante em termos de biodiversidade.

Leia a matéria do G1 na íntegra.