Parceria entre USP e TSE pretende criar novo formato para as urnas eletrônicas no futuro

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, anunciou o intuito de reduzir o tamanho e o peso das urnas eletrônicas para algo semelhante a uma máquina de cartão de crédito. Segundo Barroso, assim, a logística de transporte das Forças Armadas durante a preparação eleitoral seria otimizada, assim como os custos também diminuiriam. O objetivo é aproveitar o convênio firmado em outubro de 2021 com a Escola Politécnica (Poli) da USP para a realização de pesquisa tecnológica aplicada, de modo que assegure a segurança do processo eleitoral e, no futuro, viabilize um sistema de votação mais aprimorado.

“Um dos principais requisitos é a questão da redução de custos”,  em entrevista ao Jornal da USP no Ar 1ª Edição, explica o professor Wilson Ruggiero, do Departamento de Engenharia de Computação e Sistemas Digitais do Laboratório de Arquitetura e Redes de Computadores (Larc) da Poli e coordenador do projeto. Ele explica que o projeto tem sido chamado de Eleições do Futuro e que segue uma linha de desenvolvimento que trará elementos com foco na redução de custos ao longo dos próximos tempos. “Esse requisito vem, evidentemente, acompanhado da preservação e do aprimoramento das características de segurança, sigilo, auditabilidade e transparência do sistema e do processo eleitoral como um todo”, destaca.

Leia a matéria do Jornal da USP na íntegra.