Escola Politécnica da USP

usp.br

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte


Mais de 40 crianças participam da Oficina de Carrinhos de Rolimã da Poli-USP

Foram projetados e fabricados carrinhos que serão utilizados em uma bateria especial em corrida a ser disputada em 11 de novembro

O Programa Poli Cidadã e o Centro Acadêmico da Mecânica e Mecatrônica (CAM), ambos da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP), promoveram, durante os dias 21 e 22 de outubro, a 7ª edição da Oficina de Carrinhos de Rolimã. O evento contou com a participação de 44 meninos e meninas, na faixa etária de 10 a 14 anos, um aumento de 25% no número de participantes em relação à última edição.

As crianças são estudantes das escolas públicas EE Emydgio de Barros e EMEF Professor Roberto Mange. Elas foram orientadas por alunos da Poli no projeto e construção dos carrinhos, que serão utilizados posteriormente no GP de Rolimã USP, a ser realizado no dia 11 de novembro no campus da USP no Butantã, em São Paulo.

A Oficina tem como principal objetivo promover a integração entre estudantes, funcionários e docentes da USP com os moradores de comunidades vizinhas à Universidade. Com ela, pretende-se incentivar os jovens a seguirem uma carreira técnica e também oferecer a oportunidade de conhecer um pouco do ambiente acadêmico. Os monitores responsáveis por auxiliar a montagem dos carrinhos, todos estudantes da USP, se voluntariaram em setembro, e somaram aproximadamente 40.

Outras atividades - O final de semana também contou com a participação de estudantes do curso de Odontologia da USP, que realizaram uma atividade sobre a importância da saúde bucal. Com a ajuda de monitores de unidades como a Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH-USP), Faculdade de Saúde Pública (FSP-USP) e Instituto de Química (IQ-USP), houve uma escovação assistida. O aumento de 25% das crianças em comparação com o ano anterior se deu devido ao apoio da Poli Júnior, empresa júnior de Engenharia da Poli.

Confira aqui as fotos da Oficina.

 

Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais promove a 16ª edição do concurso MetMat

Serão selecionados e premiados seis trabalhos em duas categorias

Estão abertas, até o dia 24 de novembro, as inscrições para o XVI Concurso MetMat de Fotomicrografias de Metalurgia e Materiais. O evento é promovido pelo Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais (PMT) da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) e será realizado por meio de uma exposição de fotos, e uma posterior premiação no dia 5 de dezembro.

Serão selecionados e premiados os três melhores trabalhos que utilizarem a técnica de Microscopia Óptica e os três melhores trabalhos utilizando a técnica de Microscopia Eletrônica de Varredura ou Microscopia de Força Atômica. O resultado do julgamento será divulgado no dia 1 de dezembro.

Os ganhadores serão contemplados com quantias de R$ 1.800,00, R$ 1.200,00 e R$ 600,00 de acordo com a colocação. Cada concorrente poderá apresentar no máximo duas fotografias por categoria, todas com formato 20x30 centímetros e com uma qualidade mínima de 300 dpi, que serão entregues fisicamente na Secretaria do PMT em um CD-ROM com o nome do autor, telefone e e-mail.

Além do CD, é necessário preencher um formulário, acessível neste link. Nele, devem constar as características técnicas da fotomicrografia (material, técnica de preparação da amostra, técnica de registro fotográfico, tipo de câmara, tipo de microscópio, resolução).

Para participar, é preciso ser aluno de graduação, pós-graduação, pesquisador, engenheiro, técnico ou professor, filiado a alguma instituição de pesquisa, universidade ou empresa. Fotografias compostas, sobreposições e imagens descaracterizadas digitalmente, sem correspondência com a microestrutura real do material, serão excluídas do concurso. O júri que vai apreciar os trabalhos será constituído por professores do Departamento, e por um especialista convidado.

----------------------------------

Serviço: XVI Concurso MetMat de Fotomicrografias de Metalurgia e Materiais

Quando: 5 de dezembro de 2017.

Local: Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais (PMT) da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP).

Endereço: Av. Prof. Melo de Morais n. 2463, 05508-030, São Paulo – SP.

Inscrições até 24 de novembro.

 

Eleição para representantes discentes de Pós-Graduação do Departamento de Engenharia Química

Conselho de Departamento e Comissão Coordenadora de Programa (CCP)

Conforme o estabelecido na portaria DIR 2229, publicada no D.O.E. de 20.10.2017, informamos que estão abertas as inscrições para a eleição para a escolha dos representantes discentes de pós-graduação junto ao Conselho de Departamento e à  Comissão Coordenadora de Programa do Departamento de Engenharia Química da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

A eleição será realizada no dia 27/11/2017, das 9 às 16 horas, por meio de sistema eletrônico de votação.

Escola Politécnica da Universidade de São Paulo

 

Departamentos PMT, PMI e PRO tem inscrições abertas para eleições discentes

Eleição para representantes discentes na Escola Politécnica da USP

PMT – Conselho de Departamento e Comissão de Coordenação de Curso (CoC)

Conforme o estabelecido na portaria DIR 2230, publicada no D.O.E. de 21.10.2017, informamos que estão abertas as inscrições para a eleição para a escolha dos representantes discentes de graduação junto ao Conselho de Departamento e à  Comissão de Coordenação de Curso do Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.A eleição será realizada no dia 30/11/2017, das 9 às 16 horas, por meio de sistema eletrônico de votação.

PMI – Conselho de Departamento e Comissão de Coordenação de Curso (CoC)

Conforme o estabelecido na portaria DIR 2231, publicada no D.O.E. de 21.10.2017, informamos que estão abertas as inscrições para a eleição para a escolha dos representantes discentes de graduação junto ao Conselho de Departamento e à  Comissão de Coordenação de Curso do Departamento de Engenharia de Minas e de Petróleo da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

A eleição será realizada no dia 30/11/2017, das 9 às 16 horas, por meio de sistema eletrônico de votação.

PRO – Conselho de Departamento e Comissão de Coordenação de Curso (CoC)

Conforme o estabelecido na portaria DIR 2232, publicada no D.O.E. de 21.10.2017, informamos que estão abertas as inscrições para a eleição para a escolha dos representantes discentes de graduação junto ao Conselho de Departamento e à  Comissão de Coordenação de Curso do Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

A eleição será realizada no dia 27/11/2017, das 9 às 16 horas, por meio de sistema eletrônico de votação.

Escola Politécnica da Universidade de São Paulo

 

Poli-USP em parceria com Instituto i-CORPS Brasil forma rede de escolas de engenharia empreendedoras

Iniciativa nasceu da aplicação da metodologia i-CORPs no âmbito da instituição. O treinamento é voltado para o desenvolvimento de startups

A aplicação da metodologia i-CORPs, que foi adotada pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) para estimular o desenvolvimento de startups, deu tão certo que o grupo se ampliou. Agora será formada uma rede de escolas de engenharia empreendedoras, que irão aplicar a metodologia junto a seus alunos e professores para a criação de novas empresas de base tecnológica e inovadoras. Além da Poli-USP, hoje o elo central da rede, participarão a Universidade Federal do Ceará (UFC) e do Rio Grande do Sul (UFRGS), o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), o Insper, o Centro Universitário FEI, o Instituto Mauá de Tecnologia, o Mackenzie e a Unicesumar, do Paraná. O treinamento da terceira turma de empreendedores da Poli-USP já começou.

“O Brasil tem uma grande competência tecnológica espalhada pelas diversas escolas de engenharia. A iniciativa de uni-las deve produzir resultados relevantes, uma vez que, no mundo atual, o trabalho coletivo é imprescindível para o progresso técnico, industrial e científico”, destaca o diretor da Poli-USP, professor José Roberto Castilho Piqueira.

A i-CORPs é uma metodologia criada por Steven Blank, professor de empreendedorismo de universidades como Stanford e Columbia, e que acabou tornando-se ferramenta de um programa do governo dos Estados Unidos para ampliar a competitividade da economia daquele país. O treinamento oferece formação para empreendedores com o objetivo de incentivar a criação de startups a partir de pesquisas desenvolvidas em universidades.

No Brasil, a metodologia está sendo disseminada por Flavio Grynszpan, que criou o Instituto i–CORPS Brasil com essa finalidade. “Todas essas instituições escolherão um grupo formado por alunos e docentes que tenham uma ideia inovadora e queiram ver essa ideia transformada em um negócio ou que já tenham uma startup”, explica.

“Ao final desse treinamento, vamos avaliar os resultados. Se forem considerados positivos, vamos expandir essa rede para outras universidades”, afirma Grynszpan. No futuro, pretende-se que a rede tenha um site para prover conteúdo aos participantes e também para mantê-los integrados após o período do treinamento. “Cada universidade será responsável, então, por difundir a metodologia i-CORPs dentro da instituição”, explica. Outro objetivo é que cada uma seja difusora da metodologia junto a outras instituições de sua região, ampliando o alcance da rede.

Até o momento, a metodologia i-CORPs já foi aplicada em 120 startups originárias de pesquisas desenvolvidas por alunos e professores da Poli-USP, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP e de empresas participantes do Programa Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Treinamento virtual – As demais escolas de engenharia que integram a rede vão começaram suas atividades na quinta-feira (19/10), com conclusão das aulas prevista para novembro. Dado que instituições de várias partes do País estarão participando, o treinamento será feito virtualmente.

Uma parte consistirá em aulas expositivas nas quais são explicados os passos para construção do chamado customer development. Trata-se de um conceito no qual o foco do negócio a ser montado é dado pelas demandas e necessidades dos clientes.

Cada grupo vai desenvolver a ideia inicial do negócio em um CANVAS, ferramenta digital de planejamento e gerenciamento estratégico. Em seguida, a ideia é aprimorada por meio de uma sequência de entrevistas que os participantes devem fazer com potenciais clientes ou usuários da tecnologia, produto ou solução pensada pelas startups.

Mentores, geralmente empresários com larga experiência no mercado que passam por um treinamento com o Instituto i-CORPs Brasil, acompanham cada grupo dando orientações diversas, incluindo a procura pelos potenciais clientes/usuários que devem ser entrevistados ao longo do treinamento. Os mentores são escolhidos por Grynszpan dentro de uma rede de 100 executivos que ele já formou a partir de outros treinamentos. Outros 40 mentores da Embrapa estão sendo treinados.

A metodologia para a entrevista, que serve para validar os pressupostos do negócio junto a agentes do mercado, também é ensinada no treinamento. Após a rodada de entrevista, os empreendedores atualizam o CANVAS de acordo com o conhecimento obtido e compartilham seus avanços com os demais grupos ao longo do treinamento. Além das entrevistas e apresentações da evolução de suas propostas, os participantes terão aulas teóricas, pela internet ou presencialmente, e bibliografias específicas sobre empreendedorismo.

Na conclusão, eles apresentam o CANVAS final, destacando as mudanças feitas em relação ao plano inicial. Duas perguntas básicas devem ser respondidas ao fim do treinamento: qual mudança no plano original precisou ser feita para atender ao que interessa ao cliente, e qual o tamanho do mercado para o negócio.

*******************************************

 

ATENDIMENTO À IMPRENSA:

Acadêmica Agência de Comunicação

Janaína Simões – Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Ângela Trabbold – Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Tel. (11) 5549-1863 / 5081-5237

 

Limpeza de poluição usando luz é uma das atrações da Poli na Semana Nacional de C&T

Participantes poderão visitar ainda os simuladores de voo e marítimo, a Caverna Digital, o Laboratório de Pavimentação e ver demonstrações de robótica.

A Escola Politécnica da Universidade de São Paulo preparou uma série de atividades que serão desenvolvidas ao longo da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, que começa nesta segunda-feira (23) em todo o País. A iniciativa é do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação (MCTIC). A entrada é gratuita. Algumas das atrações já são tradicionais, como a visita aos simuladores de voo e marítimo e à Caverna Digital, mas nesta edição a Poli traz novidades.

Uma delas é a demostração do grupo de pesquisa AdOX – Reserach in Advanced Oxidation Process, sediado no Departamento de Engenharia Química, que vai mostrar em laboratório, nesta quarta-feira, 25 de outubro, entre 14h e 17h, alguns processos que usam ultra-violeta e luz solar para remover antibióticos, pesticidas e outros contaminantes de elevado risco ambiental da água.

Outra atração que passou a integrar a programação deste ano é a visita monitorada ao Laboratório de Tecnologia de Pavimentação. Quem quiser entender os materiais e tecnologias usados para o asfaltamento de ruas, avenidas e rodovias não pode deixar de conhecer o laboratório e interagir com a equipe de pesquisadores. São mais de 30 anos de pesquisas acumulados pelos seus profissionais, que estarão recebendo o público nesta segunda-feira, dia 23 de outubro, das 9h às 16h.

Como ocorreu em anos anteriores, estão programadas visitas a dois simuladores para pesquisas na área da aviação e marítima. O simulador de navios, usado para avaliar a segurança das operações em alto mar e portuárias, representa com fidelidade o comportamento de navios em ambiente marítimo, e estará recebendo os visitantes na sexta-feira, 27 de outubro, das 16h às 19h. Já o simulador de voo do Centro de Engenharia de Conforto da Poli vai abrir suas portas na terça-feira, 24 de outubro, e na quinta-feira, 26 de outubro, das 10h às 13h.

A Engenharia Mecatrônica também estará presente, com pesquisadores e professores fazendo a demonstração do funcionamento de robôs industriais nos dias 26 e 27 de outubro, quinta e sexta-feira, das 17h às 19h.

A Caverna Digital, outro local de passagem obrigatória para quem visita a Poli, estará aberta na sexta-feira e sábado, dias 27 e 28 de outubro, das 9h às 19h. Lá os participantes poderão ver duas instalações de realidade virtual, a arqueologia digital e manutenção de rede elétrica.

Confira os dias, horários e requisitos para a visita das atrações da Poli no site da USP que traz mais detalhes do evento - http://usp.br/semanact/2017/tag/escola-politecnica/?platform=hootsuite

**********************************

ATENDIMENTO À IMPRENSA

Acadêmica Agência de Comunicação

Janaína Simões

(11) 5549-1863

 

Evento da Poli-USP busca apontar as ações mais eficazes para a revitalização de rios urbanos

O Simpósio conta com palestras, apresentações de trabalhos acadêmicos sobre o tema, oficina de discussão e visita técnica.

 

Evitar o acúmulo de resíduos urbanos nos rios ao diminuir a quantidade de lixo nas ruas, ocupar as margens dos mesmos com instalações que podem ser inundadas (como piscinões, parques e quadras poliesportivas) e desenvolver projetos paisagísticos para eles são algumas das soluções utilizadas hoje em diferentes cidades ao redor do mundo e que serão discutidas durante o II Simpósio de Revitalização de Rios Urbanos, realizado na Escola Politécnica de São Paulo (Poli-USP) entre os dias 23 e 27 de outubro. As inscrições  são gratuitas para a comunidade USP e variam de preço para externos.

O evento é coordenado pelos docentes José Rodolfo Scarati Martins e Monica Ferreira do Amaral Porto, ambos do Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental (PHA). Porto explica que a importância da discussão do assunto se deve, sobretudo, pelo fato de que a recuperação de um rio poluído ir muito além do tratamento do esgoto despejado em seu corpo. “Para requalificar um rio, é necessário também um grande esforço para que esses corpos hídricos reintegrem a paisagem urbana”, ressalta.

Esforço esse que, para ela, exige a mobilização de diferentes setores. “Obrigatoriamente é uma dedicação coletiva. Precisamos de um boa parceria entre a entidade que é responsável pela coleta e tratamento de esgoto, as prefeituras municipais e a população”.

Atualmente, as cidades influenciam na contaminação dos rios de diversas maneiras. Além do despejo de esgotos não tratados, os corpos hídricos podem sofrer com a chamada carga difusa, que consiste no acúmulo de resíduos tipicamente urbanos – como partículas de asfalto, óleo, gasolina, bitucas de cigarro e embalagens de todo tipo. Por ser o ponto mais baixo da topografia da bacia, o rio acaba servindo como um acumulador de lixo, que é trazido pela água da chuva.

Outro problema apontado por Porto diz respeito à ocupação urbana não respeitar as margens dos rios. “Nosso padrão usual de ocupação das cidades é ir até a beirada da margem com avenidas e casas”. Os corpos hídricos costumam ter dois volumes de leito durante o ano: o leito menor, que corresponde à vazão que ocupam durante o tempo seco, e o leito maior, resultado das sublimações naturais em épocas mais chuvosas. O que acontece, explica Porto, é que as construções geralmente são feitas tendo em vista o leito menor. “Por isso, quando vem a cheia, nos queixamos que a cidade sofre com inundações”. Parte do processo de requalificação seria, então, dar mais espaço aos rios.

Com o intuito de resolver o problema, Porto ainda exemplifica a iniciativa da Prefeitura da cidade de São Paulo, em uma parceira com a Sabesp. O projeto “Córrego Limpo” consiste na tentativa de revitalizar os rios da cidade que abrange atualmente 150 córregos do município. Para trazer os mesmo de volta à paisagem urbana, a prefeitura cuida da recomposição das margens e dos serviços de zeladoria, enquanto a Sabesp garante que nenhum tipo de esgoto não tratado chegue até esses locais.

Destaques do evento – O Simpósio foi pensado para a comunidade acadêmica em geral, instituições nacionais e estrangeiras e representantes de diversas áreas relacionadas ao planejamento e gestão de recursos hídricos. Os três primeiros dias serão de oficinas de projetos, enquanto os dois últimos contarão com palestras e apresentação de trabalhos acadêmicos, inscritos no mês de setembro. Haverá também uma visita técnica a uma bacia hidrográfica a ser definida. Nas oficinas, serão selecionados 15 participantes com formações diversas a fim de promover um debate interdisciplinar sobre as alternativas para a revitalização de uma bacia hidrográfica.

Os participantes poderão ainda entender mais sobre os resultados do projeto piloto capitaneado pela entidade “Águas Claras de Pinheiros”, e feito em uma parceria com a Poli, que atuaram na requalificação do Rio Jaguaré, próximo da Escola. A partir dos resultados obtidos com o projeto, os presentes poderão identificar quais as ações foram mais eficazes para o Jaguaré. “Será uma discussão, com base naquilo que foi experiência do projeto Jaguaré, sobre quais são as soluções que melhor se encaixam para as cidades brasileiras”, conta Porto.

 

 


Página 1 de 31